Aleteia

7 contundentes afirmações do padre Amorth sobre o diabo e suas ações no mundo

Gustave Doré - Domínio Público
Compartilhar
Comentar

Entre elas: o diabo é uma pessoa, tem medo de Nossa Senhora e dirige o Estado Islâmico

1. Satanás é o tentador desde o princípio dos tempos:

“Satanás é o tentador desde o princípio e é monótono – ele me confirmou isto: usa o mesmo método para tentar o homem, que é livre; usa as suas fraquezas. A ação ordinária é tentar; e a extraordinária, e muito rara, é a possessão diabólica”.

 

2. O diabo é uma pessoa, não uma simples representação do mal:

“Satanás quer que não falemos dele; ele se esconde. O diabo é uma pessoa. Não é só uma mera representação do mal”, disse o pe. Amorth ao canal TV2000.

Em seu livro O último exorcista, o sacerdote reforçou que “não devemos nos esquecer de que o diabo é mentiroso; por isso é necessário relativizar e, se possível, comprovar as respostas dele. É preciso comprovar tudo, especialmente um dado fundamental: a origem da vexação ou possessão, quem é o autor do malefício. É preciso comprovar porque o demônio pretende semear ódios e rancores; ele pode dizer que foi a sogra, a irmã, a prima ou a tia, e depois se descobre que não era verdade”.

 

3. O diabo tem medo de Nossa Senhora:

“O diabo tem medo de Nossa Senhora, porque ela é uma criatura nascida sem pecado, humilde e obediente a Deus desde sempre. Uma vez eu perguntei ao diabo: ‘Por que você se sobressalta mais quando invoco a Virgem Maria do que quando invoco Jesus?’. E a resposta dele: ‘Porque me humilha mais ser derrotado por uma criatura humana do que ser derrotado por Ele [por Jesus]’”.

 

4. O Estado Islâmico (ISIS) é dirigido por Satanás:

“Onde há mal, pequeno ou grande, é sempre o demônio que sugere […] Sem dúvida, o ISIS, eu tenho certeza, onde há guerra e destruição está sempre o diabo rindo por trás. Deus não permitiria isso jamais, Deus só quer coisas boas. E essa gente [do Estado Islâmico] pode também disparar contra o papa sem hesitação…”, afirmou o sacerdote a Fabio Marchese Regona, do Il giornale.it, em 27 de maio de 2015.

 

5. O diabo odeia a Igreja católica e adora as seitas:

No livro O último exorcista, o pe. Amorth assegura que as seitas são usadas pelo diabo para atingir os seus objetivos.

“Quando se faz um pacto com Satanás, o próprio diabo reconhece que a única religião verdadeira é a cristã católica, fiel ao papa, e, por isso, as seitas lutam contra ela. Toleram a duras penas as outras religiões cristãs, enquanto apoiam religiões falsas. As seitas costumam se esconder atrás de nomes e objetivos falsos, quase sempre como terapias alternativas à medicina tradicional”.

 

6. Fé, oração e jejum para combater o diabo:

Em um vídeo de 17 de abril de 2015, voltado aos exorcistas, o pe. Amorth recordou: “Não valemos nem um centavo se não acreditamos em Jesus”; “a oração e a confissão” são instrumentos irrenunciáveis para um “limpo servidor de Jesus”. No mesmo vídeo, ele incentiva o jejum a fim de preparar o corpo para as privações que o diabo pode usar para nos tentar.

 

7. Uma resposta às ameaças do diabo:

Nosso Senhor, afirma ele, concede aos exorcistas e aos batizados “toda a graça para enfrentar e superar o diabo”.

No livro Deus é mais belo que o diabo, ele atesta que cada um pode responder às ameaças do diabo: “Estou envolto no manto de Maria. Que podes fazer contra mim? Tenho ao meu lado o arcanjo São Miguel. Tenta lutar contra ele. Tenho o meu anjo da guarda, que vela para que eu não seja tocado; tu não podes fazer nada”.

Compartilhar
Comentar
Boletim
Receba Aleteia todo dia