Aleteia

O que aconteceu com a menininha doente que foi beijada pelo Papa nos EUA?

cortesia de Kristen Masciantonio
Compartilhar
Comentar

Os médicos não esperavam que ela nascesse viva. Agora, ela já tem mais de 2 anos.

Faz mais de um ano que o Papa Francisco esteve na Filadélfia durante a sua visita histórica aos Estados Unidos. Alguns podem se lembra do momento em que uma menina foi arrancada da multidão na rua e entregue ao Papa Francisco, que a beijou na cabeça e a abençoou com o sinal da cruz. Esta imagem espontânea foi instantaneamente estampada em jornais e logo foi explorado o fato que ficou conhecido como “O Milagre na Rua do Mercado.” Mas este não foi único milagre na vida de Gianna Graça Masciantonio; o fato de ela estar viva já é um considerado um milagre.

Até aquele momento, Gianna vinha lutando por sua vida por quase um ano. Apenas quatro semanas após o nascimento, os médicos descobriram um tumor no tronco cerebral da menininha, um caso tão grave que os seus pais, Kristen e Joey Masciantonio, foram informados pelos médicos de que era considerado extraordinário o fato de ela ter sobrevivido até mesmo à gravidez. Esta notícia foi chocante, principalmente por causa de todas as aparências.  Gianna era uma menina saudável, apenas com perda de audição. Mais tarde, os médicos descobriram que o que Gianna tinha não era câncer, mas uma doença chamada Xantogranuloma juvenil (XGJ). No entanto, o prognóstico ainda era terrível porque a localização do tumor dentro do tronco cerebral estava atacando seu sistema nervoso central, em vez de ser uma lesão benigna na pele como o XGJ comumente se manifesta.

Celebrando o aniversário de Gianna. Foto: Cortesia de Kristen Masciantonio

O caso de Gianna era muito crítico e raríssimo – um dos poucos confirmados no mundo. A descrença inicial de Kristen e Joey, pais da garotinha, transformou-se em agonia. Kristen lembra os primeiros dias depois do diagnóstico de Gianna, quando ela estava com muito medo e só podia rezar e dormia todas as noites com um terço que ela ganhou de um professor. Pessoas bem-intencionadas do amplo círculo de amizade de Kristen não conseguiam chegar até ela. Além de se fechar com a família, Kristen encontrou seu único consolo na oração. Seus amigos mais queridos e familiares sabiam da dor que ela estava passando e somente se ofereciam para rezar o terço com ela. Nada mais. Nada de bate papo. Somente ficar com ela naquele momento.

Os dias se transforavam em meses e o caso de Gianna continuava confundindo os especialistas, que, quando a garotinha tinha 4 semanas, disseram para Kristen e Joey colocá-la em cuidados paliativos e planejar seu funeral. Eles fizeram isso. Mas eles também mantiveram viva a esperança porque Gianna continuava dando-lhes todas as razões para acreditar. Os médicos disseram que os movimentos dela seriam sempre muito limitados, mas ela começou a se mexer e a se contorcer. Eles disseram que ela não conseguiria comer, mas conseguiu. Eles disseram que ela não conseguiria ouvir, mas depois de três meses de quimioterapia, ela começou a balbuciar e, agora, consegue chamar seus pais, irmão e outros parentes pelo nome. Ela também sabe como pedir mais sorvete.

Os meses se transforaram em um ano e Kristen decidiu criar um vídeo de aniversário. Vários minutos de fotos com música ao fundo mostram Gianna no nascimento e passando por todas as fases do tratamento hospitalar e eventos familiares. Nas fotos, Gianna muitas vezes aparece com seus pequenos punhos fechados, esmurrando o ar, ao estilo de Rocky Balboa. Mas para cada momento de luta sempre havia a possibilidade do pior acontecer. O tumor de Gianna respondia minimamente ao tratamento. Todos os dias de manhã, os pais iam até o berço dela com muito medo, sem saber se ela tinha sobrevivido.

Indo ver o Papa

Agora, incrivelmente, Gianna está fazendo dois anos, e Kristen se prepara para criar um outro vídeo de aniversário. Refletindo sobre o ano passado, desde a  bênção do Papa Francisco, Kristen e Joey tem uma mistura de riso e espanto quando eles pensam sobre o encontro. Joey lembra como Kristen estava ansiosa para chegar à cidade na esperança de vislumbrar o papa. Mas Joey queria ir para Roma para acompanhar uma audiência na Praça de São Pedro.

Finalmente, o dia visita do Papa chegou, mas Kristen e Joey ainda estavam indecisos se iriam ou não. No meio da manhã, milhares de pessoas já tinham ocupado as ruas ao longo do trajeto que o Papa Francisco e seu papamóvel fariam. Havia poucas rotas liberadas na cidade e muitas ruas foram completamente bloqueadas. Estacionar o carro poderia ser impossível e eles precisariam caminhar por milhas, passando por multidões, tudo isso com um bebê gravemente doente e um menino de 4 anos de idade (Dominic, o outro filho do casal) a reboque. Se alguma vez uma viagem parecia impossível, era esta. Mas um amigo próximo que trabalhava no FBI ofereceu-se para posicioná-los o mais próximo possível da procissão, onde poderiam pelo menos ver o papa.

Como última precaução, e quase esperando por um “não”, Joey ligou para o médico de Gianna, esperando que ele os proibisse de levar Gianna no meio da multidão. Em vez disso, lembra Joey, o médico disse: “Vá em frente!” Eles entraram no carro e pegaram a estrada, que estava estranhamente tranquila. A viagem ao centro da cidade, que em um dia normal pode demorar mais de uma hora, foi de 38 minutos. Eles pararam perto das barricadas e prontamente encontraram um lugar de estacionamento na rua. Era para ser.

O mundo testemunhou um verdadeiro milagre?

Com Dominic sobre os ombros de Joey e Gianna em uma bolsa no peito de Kristen, Joey e Kristen caminharam rapidamente para chegar ao ponto de encontro com amigo do FBI. A caminhada foi rápida, houve até um momento para tirar uma foto com papamóvel antes que ele partisse para a jornada com o pontífice. Mais tarde, Kristen e Joey se misturaram com as pessoas ao seu redor, que eram em sua maioria agentes do FBI, agentes federais, segurança interna e policiais. À medida que o papamóvel dobrava a esquina perto deles, todos em torno de Kristen e Joey gritavam “Papa! Papa! Papa!” para chamar a atenção para Gianna. Então Joey levantou Gianna e Kristen agarrou um pedaço de papel em que tinha escrito uma mensagem ao papa pedindo-lhe para orar por Gianna. De repente, o papamóvel parou e o Papa Francisco olhou diretamente nos olhos de Joey. “Ele sorriu.”

Dois meses após o beijo do papa, os resultados dos exames trimestrais de Gianna foram surpreendentes. O tumor foi reduzido a quase nada e houve apenas fracos sinais de cistos que persistiram, como nos tratamentos anteriores. Kristen, Joey, e seus médicos ficaram eufóricos. “Nós esperávamos que Gianna fosse morrer em seu primeiro ano de vida, mas agora ela está vindo à vida”, disse Kristen.

Kristen e Joey são pessoas que acreditam fortemente em milagres e no poder da oração. Não tente desapontá-los dizendo que o Papa Francisco curou o tumor de Gianna. Eles ficaram chateados com algumas reportagens da mídia que disseram isso. O casal acredita que o Papa Francisco é um mensageiro santificado. “A vida de Gianna é um milagre”, disse Kristen. “O fato do Papa Francisco ter beijado Gianna é uma forma de Deus mostrar que Ele está conosco na nossa jornada, ouvindo nossas orações.”

A cada dia, um novo teste de fé

Até agora, Gianna passou por 10 horas de cirurgia no cérebro, 15 meses de quimioterapia e outras 8 cirurgias. Além disso, após os tratamentos de quimioterapia, Gianna fica hospitalizada na semana seguinte às sessões por causa de febres e baixa contagem do sangue. Esta vida no Hospital Infantil da Filadélfia (CHOP) é aliviada e confortada pelos familiares mais próximos que foram para a Filadélfia para ficar em casa com Dominic – o outro filho do casal. “Nossa família nunca nos deixou sozinhos”, disse Kristen. No entanto, mesmo com esse cuidado terno, alguns períodos de tempo foram angustiantes, especialmente quando Kristen ficou sem ver Dominic por três meses enquanto ela estava amamentando Gianna na quimioterapia. Não é uma queixa; é apenas uma verdade dolorosa.

Enquanto sua família e amigos têm  desempenhado um papel insubstituível em casa, Kristen tem contato com outras mães no hospital e isso também tem ajudado a levantar o seu espírito. Às vezes, há finais felizes para crianças e suas famílias, e outras vezes há tragédias, com a morte, devastação financeira, trauma e divórcio. O casal até lançou uma fundação de caridade para ajudar as famílias que são desafiadas com doenças graves. Eles também planejam ajudar a financiar a pesquisa de “doenças órfãs”, como a de Gianna, que ainda não são objetos de pesquisa.

Embora a família tenha muitas razões para comemorar, Gianna ainda tem um longo caminho pela frente. Kristen diz que ela e Joey decidiram continuar a levar a vida “hora a hora, dia a dia, mês a mês. Não é sempre fácil levar as coisas um dia de cada vez. O medo paralisa, às vezes. E, nestas horas, oramos e tentamos entregar a Deus.” Enquanto há uma cirurgia ocular marcada para Gianna, Joey e Dominic estão indo para uma viagem especial à Base da Força Aérea dos EUA nas proximidades de onde moram, e Kristen tem um vídeo de aniversário de 2 anos para produzir.

*Jesus, assuma a direção. Por que Gianna fica doente? O que vai acontecer hoje … amanhã … e no próximo? O que devemos fazer? Kristen e Joey já encontraram conforto imenso na “Novena da Redenção”, do padre Dolindo Ruotolo. Isso foi compartilhado com eles pelo padre nos momentos mais difíceis, quando as perguntas insondáveis poderiam sobrecarregar.

Além disso, o grupo do terço formado por amigos e familiares de Kristen continua a ser feito em vídeo conferência toda terça-feira à noite. O círculo de participantes tem crescido, e as intenções de oração incluem não só Gianna, mas outras crianças necessitadas. Uma coisa que não mudou é a sua devoção ao Rosário das Sete Dores de Maria, em que Kristen se agarrou após a doença de Gianna.

 

Boletim
Receba Aleteia todo dia