Aleteia

Histórias divertidas de pedidos de casamento

Compartilhar
Comentar

Histórias sobre o momento mais emocionante na vida de qualquer pessoa apaixonada nas quais aconteceu algo totalmente fora do normal

  • Uma vez, durante o verão, meu namorado e eu estávamos no meio de uma tempestade e entramos numa loja próxima em busca de abrigo, e era justamente uma loja de vestidos de noiva. A chuva estava forte e demorando muito. Para evitar o tédio, decidi experimentar um vestido de noiva. Meu namorado me viu com ele, chorou de emoção e me pediu em casamento. Nós estávamos juntos há apenas um mês.
  • Hoje, depois de quatro anos de namoro, finalmente pedi que minha namorada casasse comigo. Ela respondeu: “Ei, ei, ei, rapaz, para que a pressa?”.
  • Outro dia aconteceu algo que me pegou totalmente desprevenida. Estava com meu companheiro num pequeno restaurante chinês, tão pequeno que nem tem banheiro. Porém, durante a refeição, fiquei super apertada. Por isso, parei de comer e comecei a ficar inquieta na cadeira. Mencionando a dor de barriga e a necessidade que eu tinha de ficar deitada, convenci meu namorado a voltar para casa. Quase completei a missão, mas quando estávamos na porta de casa, percebi que não ia mais aguentar e, por alguma razão, gritei em voz alta: “Está na hora!”. Desesperadamente, corri até os arbustos próximos e sofri uma catástrofe. Esta história terminou no dia seguinte, quando meu namorado me pediu em casamento, dizendo que já sabia o suficiente sobre mim para saber que queria estar comigo o resto da vida. Ele já tinha intimidade suficiente comigo para ter certeza da decisão.
  • Embora trabalhe como subdiretor em uma grande empresa, sou, no fundo, um excêntrico nato. Por minha profissão, preciso viajar muito em avião. Quando a aeronave está subindo, me entretenho e, ao mesmo tempo, entretenho os outros passageiros ao meu redor, pronunciando em voz alta os números misteriosos do seriado de TV “Lost“: 4, 8, 15, 16, 23, 42. Há um ano, durante a decolagem em um voo entre Moscou e Munique, pronunciei novamente os números, e pude ouvir a mulher ao lado murmurando: ”Chegou a hora da aventura!”. Então, a pedi em casamento.
  • Em certa ocasião, meu namorado me disse: “Não marque nada para agosto. Teremos um evento!”. Não marquei, mas também não entendi nada.
  • Na última festa de Ano Novo, escrevi um desejo num pedaço de papel: que meu namorado me pedisse em casamento. No momento da décima-segunda badalada, coloquei fogo no papel, joguei-o dentro de uma taça de champanhe e bebi rapidamente. Meu namorado, sabendo que eu sou, ao menos inicialmente, um tanto estranha, não deu muita importância ao fato de eu estar mastigando as cinzas. Ele tirou um anel do bolso, ficou de joelhos… Eu só consegui gritar: “Já? Que rápido!”.
  • Perguntei ao meu namorado: “Se nos casássemos, que família você acha que formaríamos?“. Ele respondeu: ”Ainda é muito cedo para falar disso, estamos juntos há apenas três meses “. Eu concordava com ele, mas internamente, de alguma forma, estava triste.

    No dia seguinte, quando eu ia ao trabalho, uma cigana me abordou de repente, querendo ler meu futuro. Era uma mulher um tanto estranha, exageradamente maquiada. Tentei me desvencilhar dela, mas a mulher continuou me perseguindo. Então, eu disse: “Por que você não me deixa em paz?” E ela respondeu com calma, um sorriso e uma voz familiar: ”Ok, ok, mas pelo menos leve o seu anel“. E me entregou uma caixa com uma aliança e um bilhete: “Seremos uma família feliz… você nunca ficará entediada”.

  • Decidi pedir minha namorada em casamento. Estávamos juntos há sete anos. Chegamos a um restaurante caro. Ao meu pedido, o garçom colocou o anel de noivado em uma torta. Vocês podem imaginar minha surpresa quando, ao ver o anel, ela achou que o cozinheiro tinha deixado cair na massa durante o preparo. E foi até a cozinha para devolver.
  • Eu estava tão cansada de esperar que meu namorado me pedisse em casamento, que decidi eu mesma fazer isso. E ele respondeu: “Vou pensar“. No dia seguinte, a caminho de casa, vi uma dezena de caras durões, andando pela rua em motocicletas. De repente, eles pararam ao meu lado. Um deles, com um buquê de rosas, se ajoelhou e me pediu em casamento. Eu disse: ”Tira o capacete, pelo menos”. Enquanto meu futuro marido tirava o capacete, o anel caiu das suas mãos e se perdeu. De repente, quem passava por ali tinha uma ótima visão: uma dezena de motoqueiros mal encarados abandonando suas motos, arrastando-se pelo chão e examinando o asfalto cuidadosamente. Deus, como eu amo este idiota!
  • Meu marido me pediu em casamento de um jeito incomum. Com uma certeza injustificada na voz, ele me disse: Pense num número de 1 a 1000. Se eu adivinhar, nós casamos imediatamente”. E este foi o maior milagre da minha vida, pois ele adivinhou o número de primeira. Fiquei tão feliz com isso…
  • Eu caminhava com um amigo pelo metrô, dando risadas porque, naquele dia, ele não tinha feito a barba. Então, brinquei dizendo que, com aquela barba, diria sim a qualquer coisa que ele me perguntasse. Ele continuou com a brincadeira fazendo uma série de perguntas, e eu sempre respondendo “sim“. De repente, ele ficou muito sério e disse… ”Quer casar comigo?”
  • Meu pai combinou com o recepcionista do hotel que o funcionário ligaria para minha mãe dizendo que ela precisaria deixar o quarto. E quando minha mãe, chorando, tentava resolver o problema da moradia, meu pai chegou num táxi com um buquê de flores, as chaves de um novo apartamento e um pedido de casamento. Minha mãe até hoje não sabe que aquilo tudo foi um plano.
  • Meu namorado queria me pedir em casamento de uma forma incomum. Ele preparou temakis e, em um deles, colocou o anel. Só que acabou confundindo os temakis e comeu aquele que levava o anel.

(via Incrível)

Compartilhar
Comentar
Boletim
Receba Aleteia todo dia