Sem condições de apoiar?

Veja 5 formas de você ajudar a Aleteia

  1. Reze por nossa equipe e pelo êxito de nossa missão
  2. Fale sobre a Aleteia em sua paróquia
  3. Compartilhe os artigos da Aleteia com seus amigos e familiares
  4. Desative o bloqueio de publicidade quando nos visitar
  5. Inscreva-se para receber nosso boletim gratuito e leia-nos diariamente

Obrigado!
Redação da Aleteia

Enviar

Aleteia

Por que Bento XVI renunciou?

Compartilhar

A saúde do Papa já não demonstra a mesma vitalidade

Quem viu Bento XVI de perto nos últimos meses compreendeu as palavras com que ele anunciou a decisão de apresentar sua renúncia ao ministério como bispo de Roma.

 

Seus olhos brilhavam com mesma lucidez, mas suas costas mostravam o peso de seus mais de 85 anos. Seus passos se tornaram mais lentos, frágeis. Ele precisa de ajuda quando o trajeto é longo. O fardo do governo da Igreja, que ele carrega há quase oito anos como sucessor de Pedro, fez-se mais pesado que nunca.

 

O irmão do Papa, monsenhor Georg Ratzinger, de 89 anos, explicou à agência alemã DPA: “a idade pesa”. “A esta idade, meu irmão quer mais descanso”. 

 

O sacerdote revelou que os médicos tinham pedido que o Papa não fizesse mais viagens transatlânticas, por causa de suas dificuldades para caminhar. Este ano, por exemplo, Bento XVI teria de ir ao Brasil para presidir à Jornada Mundial da Juventude, no Rio de Janeiro. 

 

No encontro com os jornalistas sobre a renúncia de Bento XVI, o padre Federico Lombardi, diretor da Sala de Imprensa da Santa Sé, explicou que o Papa “examinou repetidamente a sua consciência perante Deus”.

 

“E chegou à certeza de que suas forças, por causa da idade avançada, já não são as mais propícias para exercer de modo adequado o ministério petrino”, afirmou.  

 

Ainda que a notícia tenha sido uma surpresa para os jornalistas, o Papa considerava essa decisão há algum tempo. Seu irmão mais velho revelou que ele pensava nisso havia meses.

 

O comentário de Luis Badilla, jornalista com um papel decisivo na Rádio Vaticano, serve para compreender como a notícia foi recebida no Vaticano.

 

“Depois do anúncio da renúncia, temos de nos acostumar a utilizar pela primeira vez em muito tempo a expressão ‘ex-Papa’, ainda que formalmente ele será o ‘bispo emérito de Roma’”.

 

“Bento XVI se vai, mas não nos deixa – acrescenta Badilla, que é coordenador do blog Il Sismograto (http://ilsismografo.blogspot.it) –. Ele continuará acompanhando a Igreja com a oração e o silêncio, sendo certamente de grande ajuda e apoio para os católicos de todo o mundo”.

 

“É surpreendente e triste receber a notícia da renúncia do Papa, mas, ao mesmo tempo, é consolador e alentador saber que ele sempre estará próximo, de uma maneira silenciosa e discreta, humilde e gentil, de todas as igrejas locais e da sede de Pedro”, afirmou.

 

O Papa decidiu morar, depois de se aposentar, no mosteiro das religiosas de clausura do Vaticano. Uma decisão que fala mais que mil palavras. 

São leitores como você que contribuem para a missão da Aleteia

Desde o início de nossas atividades, em 2012, o número de leitores da Aleteia cresceu rapidamente em todo o mundo. Estamos comprometidos com a missão de fornecer artigos que enriquecem, informam e inspiram a vida católica. Por isso queremos que nossos artigos sejam acessados por todos. Mas, para isso, precisamos da sua ajuda. O jornalismo de qualidade tem um custo (maior do que o que a propaganda consegue cobrir). Leitores como você podem fazer uma grande diferença, doando apenas $ 3 por mês.