Aleteia logoAleteia logo
Aleteia
Sábado 31 Outubro |
Beato Domingos Collins
home iconAtualidade
line break icon

Renúncia do Papa: cardeais, entre desconcerto e admiração

Aleteia Vaticano - publicado em 18/02/13

Todos destacam o senso de responsabilidade e a humildade de Bento XVI

As primeiras reações ao anúncio da renúncia de Bento XVI estiveram marcadas pela dor, tristeza e desconcerto, não somente por parte dos fiéis, mas também entre os membros do colégio cardinalício. Pouco a pouco, porém, os purpurados viram nesta decisão uma demonstração da humildade e do senso de responsabilidade do Papa, que sempre buscou o bem da Igreja acima do seu próprio.


"Uma escolha assim tão forte e clara testemunha como o bem da Igreja constitui a única preocupação de Joseph Ratzinger", sempre guiado em seu serviço pelo "senso de responsabilidade", comentou o cardeal sul-africano Wilfried Fox Napier (La Stampa.it, 14 de fevereiro).


Como em toda a sua história bimilenar, a Igreja sempre enfrentou "períodos de ferimentos devastadores" e "sempre foi capaz de se recuperar e tomar impulso para a conversão e correção de erros", para o purpurado, também desta situação ela sairá "com um forte renascimento espiritual", porque a crise "é também um momento de crescimento".


O gesto do Papa é, para o cardeal Sepe, arcebispo de Nápoles, "uma lição para muitos que estão ligados aos papéis" (La Repubblica, 12 de fevereiro) e deve ser visto "com profundo respeito e admiração pela coragem evangélica e pela responsabilidade eclesial demonstrada pelo Sucessor de Pedro" (Corriere della Sera, 12 de fevereiro).


Para o presidente da CEI, cardeal Angelo Bagnasco, a renúncia nasce de uma alma "profundamente humilde, que vive de fé e na liberdade do próprio coração, que não procura se afirmar, mas se reconhece como anunciador de Jesus Cristo" (Avvenire.it, 12 de fevereiro).


Portanto, falar de abandono por parte do Papa é um equívoco, como apontou o cardeal Giovanni Battista Re, prefeito emérito da Congregação para os Bispos, para quem o ato de Bento XVI é "um sacrifício pessoal de significado histórico, para o bem da Igreja". Da mesma forma, "é errado fazer comparações" com João Paulo II, porque ambos os papas "se sacrificaram e colocaram suas vidas ao serviço da catolicidade" (La Repubblica, 13 de fevereiro).


Este passo do Santo Padre é, portanto, um "sinal muito evidente de seu amor por Cristo", como disse o cardeal Salvatore De Giorgi, arcebispo emérito de Palermo (Corriere della Sera, 13 de fevereiro), referindo-se a "uma escolha de grande coragem e responsabilidade pastoral, de profunda humildade" e que, "sem dúvida, diz respeito também ao futuro".

Do valor desta decisão para os próximos anos falou inclusive o cardeal Georges Cottier, teólogo emérito da Casa Pontifícia, recordando que "a expectativa de vida se prolonga e, no futuro, casos semelhantes a este serão inevitáveis" (Avvenire, 14 de fevereiro). Atualmente, o ministério petrino é "pesado", muito mais desafiador que no passado, porque os compromissos "são intermináveis, exaustivos" (Il Sussidiario.net, 13 de fevereiro).

Para o cardeal Cottier, é falso dizer que o Papa renunciou ao poder, porque na Igreja "quem comanda é um servo". "A autoridade que vem de Cristo é um serviço; a humildade de Bento XVI consistiu em entender que, para continuar servindo Cristo, era hora de renunciar".


Quanto ao sucessor, "o caminho foi mostrado e ele terá de completar a purificação da Igreja iniciada por Bento XVI" (Vatican Insider, 14 de fevereiro), indicou o cardeal Napier. "Receber a batuta dele não será fácil para ninguém. Quem for eleito terá de pregar o Evangelho com a mesma coerência, credibilidade e sacrifício pessoal".

"Não importa se ele vai ser europeu, sul-americano ou asiático: em uma eleição pontifícia, o que conta é a qualidade da pessoa e os requisitos de potencial liderança da Igreja universal. É sobre um plano pastoral que se diferenciam os perfis, e não em função da nacionalidade. A característica determinante é que ele tenha a sensatez e energia necessárias para responder aos desafios que a Igreja enfrenta em todos os cantos do planeta."

Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • A Aleteia é publicada em 8 idiomas: Português, Francês, Inglês, Árabe, Italiano, Espanhol, Polonês e Esloveno.
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

Tags:
Bento XVIConclavePaparenuncia
Oração do dia
Festividade do dia





Top 10
Brasileira Simone Barreto Silva é vítima de ataque terrorista na catedral de Nice
Reportagem local
Brasileira é vítima no ataque terrorista na c...
Reportagem local
França: atentado na basílica de Notre Dame em...
TRIGEMELAS
Esteban Pittaro
A imagem de Nossa Senhora que acompanhou uma ...
Pe. Robson de Oliveira
Francisco Vêneto
Defesa desmente Fantástico, da TV Globo, em n...
Aleteia Brasil
O milagre que levou a casa da Virgem Maria de...
Reportagem local
Corpo incorrupto de Santa Bernadette: o que o...
Philip Kosloski
3 poderosos sacramentais para ter na sua casa
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia