Receba o boletim diário da Aleteia gratuitamente no seu email.
Alimente o seu espírito. Receba grátis os artigos da Aleteia toda manhã.
Inscreva-se

Sem condições de apoiar?

Veja 5 formas de você ajudar a Aleteia

  1. Reze por nossa equipe e pelo êxito de nossa missão
  2. Fale sobre a Aleteia em sua paróquia
  3. Compartilhe os artigos da Aleteia com seus amigos e familiares
  4. Desative o bloqueio de publicidade quando nos visitar
  5. Inscreva-se para receber nosso boletim gratuito e leia-nos diariamente

Obrigado!
Redação da Aleteia

Enviar

Aleteia

Último Angelus de Bento XVI

Compartilhar

Papa: renúncia “não significa abandonar a Igreja”. Ele agradeceu por “todas as manifestações de afeto e solidariedade, em particular pelas orações com que me estais acompanhando nestes dias”

O Papa Bento XVI rezou neste domingo, 24 de fevereiro de 2013, o seu último Angelus com os peregrinos, na Praça de São Pedro.

Em português, o Papa fez um agradecimento: "Queridos peregrinos de língua portuguesa que viestes rezar comigo o Angelus: obrigado pela vossa presença e todas as manifestações de afeto e solidariedade, em particular pelas orações com que me estais acompanhando nestes dias. Que o bom Deus vos cumule de todas as bênçãos".

Em sua reflexão em italiano, antes de rezar com os peregrinos, o Papa afirmou que neste momento de sua vida Deus o chama para se retirar a uma vida de oração e meditação.

Ele abordou a leitura evangélica da Transfiguração do Senhor, foco deste segundo domingo da Quaresma. 

Meditando sobre essa passagem do Evangelho, disse o Papa, retiramos um ensinamento muito importante: "o primado da oração". Sem ela, "todo o empenho do apostolado e da caridade reduz-se a ativismo".

Bento XVI convidou todos os católicos a dedicarem o devido tempo à oração nesta Quaresma.

Ele citou sua mensagem para a Quaresma deste ano: "A existência cristã consiste num contínuo subir ao monte do encontro com Deus e depois voltar a descer, trazendo o amor e a força que daí derivam, para servir os nossos irmãos e irmãs com o próprio amor de Deus". 

 

Segundo o Papa, essas palavras tocam de modo particular o seu coração neste momento. "O Senhor me chama a 'subir ao monte', a dedicar-me ainda mais à oração e à meditação."

Mas isso não significa "abandonar a Igreja", pois, se Deus lhe pede isso, é para que "possa continuar a servir com a mesma dedicação e o mesmo amor com que tenho buscado fazer até agora, mas de um modo adaptado à minha idade e às minhas forças".

Os peregrinos – quase 200 mil – lotaram a Praça de São Pedro e interromperam o Papa com aplausos inúmeras vezes durante suas falas. Bento XVI terá seu último compromisso público com os fiéis nessa quarta-feira, na tradicional catequese semanal.

 
Boletim
Receba Aleteia todo dia