Receba o boletim diário da Aleteia gratuitamente no seu email.
Newsletter Aleteia: uma seleção de conteúdos para uma vida plena e com valor. Cadastre-se e receba nosso boletim direto em seu email.
Registrar

Sem condições de apoiar?

Veja 5 formas de você ajudar a Aleteia

  1. Reze por nossa equipe e pelo êxito de nossa missão
  2. Fale sobre a Aleteia em sua paróquia
  3. Compartilhe os artigos da Aleteia com seus amigos e familiares
  4. Desative o bloqueio de publicidade quando nos visitar
  5. Inscreva-se para receber nosso boletim gratuito e leia-nos diariamente

Obrigado!
Redação da Aleteia

Enviar

Aleteia

Os cardeais poderão antecipar a data do conclave

Compartilhar

Apresentado o motu proprio de Bento XVI

Foi apresentado hoje, na sala de imprensa vaticana, o esperado motu proprio de Bento XVI para esclarecer alguns pontos da constituição apostólica Universi dominici gregis, que regula a matéria da sé vacante e da eleição do Sumo Pontífice.
 
Como se havia antecipado estes dias, Bento XVI interveio na norma que estabelece – para o início do conclave – que se esperem entre 15 e 20 dias desde o início da sé vacante para dar a possibilidade a todos os cardeais de chegarem a Roma. A nova formulação do número 37 da Universi dominici gregis deixa o prazo de 15 dias, mas confere ao colégio dos cardeais (e, portanto, também aos cardeais não eleitores) a faculdade de antecipar o conclave "se constar a presença de todos os cardeais", assim como de prolongar a espera "se houver motivos graves" – ao máximo, depois de 20 dias desde o início da sé vacante, mas todos os cardeais eleitores devem proceder à eleição.
 
No briefing se transmitiu também a aceitação, por parte do Pontífice, da renúncia do arcebispo de Santo André e Edimburgo (Escócia), cardeal Keith O'Brien, ao governo pastoral da diocese, diante do seu próximo 75º aniversário.
 
Foi informado também que Bento XVI recebeu nesta manhã os três cardeais – Julián Herranz, Jozef Tomko e Salvatore De Giorgi – que levaram a cabo uma investigação interna na Cúria sobre o vazamento de documentos reservados (Vatileaks): o Papa agradeceu seu trabalho e dispôs que o relatório seja apresentado somente ao novo Pontífice. Com isso, segundo comentou o porta-voz vaticano, Pe. Federico Lombardi, "a comissão foi dissolvida".
Boletim
Receba Aleteia todo dia