Receba o boletim diário da Aleteia gratuitamente no seu email.
Cadastre-se e receba Aleteia diretamente em seu email. É de graça.
Receber

Sem condições de apoiar?

Veja 5 formas de você ajudar a Aleteia

  1. Reze por nossa equipe e pelo êxito de nossa missão
  2. Fale sobre a Aleteia em sua paróquia
  3. Compartilhe os artigos da Aleteia com seus amigos e familiares
  4. Desative o bloqueio de publicidade quando nos visitar
  5. Inscreva-se para receber nosso boletim gratuito e leia-nos diariamente

Obrigado!
Redação da Aleteia

Enviar

Aleteia

É possível comunicar-se com os mortos? (1 de 4)

© DR
Una sesión de espiritismo en los años 30
Compartilhar

Conheça mais sobre o que está por trás do espiritismo

Não há nenhuma possibilidade – se Deus não o permitir – de comunicação dos vivos com os mortos. Este tipo de prática é pecaminosa e totalmente desaconselhada pela Igreja. Na maioria das vezes, trata-se de fraude e engano por parte dos necromantes e médiuns, podendo, em ocasiões excepcionais e muito raras, supor inclusive o contato com demônios. Só Deus é o Senhor dos vivos e dos mortos e nele colocamos a nossa confiança, nossos pedidos, desejos, necessidades, e esperamos junto dele o reencontro com nossos entes queridos já falecidos.

O que é o espiritismo ou, mais em geral, a comunicação com os mortos?

A possibilidade de falar com os mortos, hoje em dia, é comumente conhecida dentro do Ocidente como espiritismo, ou seja, falar com os espíritos dos mortos.

A necromancia é uma prática de adivinhação que consiste originalmente em tentar conhecer o futuro por meio da consulta dos seus cadáveres. Este sentido, ainda que não tenha se perdido, foi se ampliando com o tempo, podendo também significar a invocação do espírito do falecido para conhecer o que vai acontecer no futuro. Sem entrar em maiores detalhes etimológicos e semânticos das diversas crenças e âmbitos mágicos ao longo da história, estes aspectos serão suficientes para tratar do nosso tema.

Em suma, alguns acreditam que é possível falar com os mortos, pois, ainda que o corpo físico seja descomposto biológica e quimicamente, seu espírito (ou sua alma imortal) permanece com algum tipo de contato ou possibilidade de comunicação com os vivos.

Isso supostamente pode ser conseguido de diversas formas: usando um tabuleiro ou tábua ouija, usando alguns objetos mágicos ou por meio de invocações e fórmulas mágicas; também por meio de um canal ou médium; ainda por meio de um bruxo ounecromante, que executa os atos mágicos e inclusive pode ser possuído pelo espírito do morto, que domina seu aparelho fonético, com sua boca e suas cordas vocais, falando por meio dele; também pode acontecer que o espírito do morto domine a mão do bruxo ou do médium necromante, fazendo-o escrever mensagens.

Inclusive a comunicação dos espíritos supostamente pode ser direta, no sentido de que a iniciativa parte deles, sem concurso ativo dos vivos. Assim, afirma-se que os espíritos se manifestam, aparecendo seus rostos ou figuras em impressões fotográficas, em diversos objetos e superfícies; ou inclusive emitem vozes e sons que podem ser gravados (psicofonia); ainda, podem se manifestar em uma frequência de rádio ou falar com um vivo via telefone.

Leia mais (as 4 matérias completas):

É possível comunicar-se com os mortos? (1 de 4)

É possível comunicar-se com os mortos? (2 de 4)

É possível comunicar-se com os mortos? (3 de 4)

É possível comunicar-se com os mortos? (4 de 4)