Aleteia

Papa Francisco: o cristão não precisa caminhar nas trevas

Compartilhar

Em homilia da missa diária que celebra, Papa indica para os católicos o confessionário, numa atitude de humildade e docilidade

O Papa Francisco afirmou nesta segunda-feira, na homilia da missa na Casa Santa Marta, que “todos nós temos obscuridades na nossa vida”, momentos “em que há escuridão em tudo, inclusive na própria consciência”, mas isso não significa caminhar nas trevas.

 

“Caminhar nas trevas significa estar satisfeito de si mesmo; estar convencido de que não precisa de salvação. Essas são as trevas! Olhem seus pecados, os nossos pecados: todos somos pecadores, todos… Este é o ponto de partida. Se confessamos nosso pecados, Ele é fiel, é justo a ponto de nos perdoar.” 

 

Nesse sentido, afirmou o Papa, “o confessionário não é uma tinturaria: é um encontro com Jesus que nos espera, que nos espera como somos. Temos vergonha de dizer a verdade, ‘fiz isso, pensei aquilo’, mas a vergonha é uma virtude verdadeiramente cristã e também humana… a capacidade de envergonhar-se é uma virtude do humilde.” 

 

“Humildade e docilidade são como uma moldura da vida cristã – disse Francisco. Um cristão vive sempre assim, na humildade e na docilidade. E Jesus nos espera para nos perdoar. Confessar não é como ir a uma ‘sessão de tortura’. Não! Confessar-se é louvar a Deus, porque eu pecador fui salvo por Ele. E ele me espera para me repreender? Não, com ternura para me perdoar. E se amanhã fizer a mesma? Confesse-se mais uma vez… Ele sempre nos espera.” 

 

Com informações da Rádio Vaticano

Boletim
Receba Aleteia todo dia