Aleteia
Sexta-feira 23 Outubro |
São Paulo Tong Viet Buong
Religião

Ter uma devoção significa ter menos fé em Deus?

© Pascal Deloche / GODONG

¿Las devociones ayudan o mas bien sustituyen a la verdadera fe?

Julio De la Vega Hazas - publicado em 06/05/13

Alguns afirmam ser devotos de santos; outros, de Nossa Senhora. Mas o que isso significa realmente?

Em primeiro lugar, vamos refletir sobre a pergunta apresentada, condição indispensável para que a resposta seja clara. Antes de pensar no significado de "devoção", vamos falar da legitimidade do culto e da oração a pessoas que não são Deus, como os santos.


Este é um tema destacado pelos evangélicos, que se apoiam em preceitos do Antigo Testamento que proíbem imagens, mas na verdade se baseiam no princípio de "só Cristo": só a Ele se deve acudir, pois Ele é Deus.


Como em outras questões, a resposta deve se dividir em duas partes: as fontes e as razões.


O motivo desta divisão é que existe um concílio ecumênico dedicado ao tema: o 2º de Niceia (o 7º dos concílios), que aconteceu no século VIII. Trata-se de um dos concílios antigos que a cristandade inteira aceita, tanto a católica como a ortodoxa e, em princípio, também a protestante.


O problema debatido não eram exatamente as devoções, mas as imagens (inclusive as de Jesus Cristo ou as que faziam referência a Ele), mas sua resposta sobre o assunto implica o tema das devoções. O concílio declarou a validez do uso de imagens, tanto de Cristo como de Nossa Senhora e dos santos.


Também distinguiu o tipo de devoção que cabia prestar em cada caso. Utilizou os termos gregos que diferenciavam Deus dos santos: doulia, no primeiro caso; proskinesis, no segundo. Estas palavras foram traduzidas como "adoração" e "veneração". Para Nossa Senhora, reservou-se um trato especial dentro da veneração: hiperdoulia, a veneração especial.


A distinção não é só terminológica. A adoração é reservada unicamente a Deus. Ele é o destinatário do nosso culto e da nossa oração em todos os casos, sempre. Já aos santos se recorre como a mediadores, ou seja, para que sirvam de intercessores diante de Deus. Isso se manifesta claramente na liturgia. Os santos nos proporcionam um exemplo de fidelidade a Deus e uma intercessão que tem como fundamento precisamente o fato de que Deus escuta com predileção seus filhos exemplares.


O próprio Evangelho oferece argumentos a favor do recurso a intercessores, pois há vários milagres realizados a partir da intercessão de pessoas diferentes do beneficiado. Por exemplo, a cura do servo do centurião.


A intercessão de Nossa Senhora, nas bodas de Caná, tem um traço peculiar. É o único caso em que se vence o que parece ser uma resistência por parte do próprio Jesus, por ser solicitado fora de hora. Mas Ele faz o milagre. Manifesta a posição de Maria e a eficácia da sua intercessão. A razão é clara: é sua Mãe e, ao mesmo tempo, a filha de Deus mais exemplar. Daí a singular veneração dos cristãos a Ela.


O Catecismo da Igreja Católica dedica vários pontos a este tema. Sobre o uso de imagens na liturgia, tratam os números 1159-1162. Também fala das proibições do Antigo Testamento, que abrangem as imagens do próprio Deus, nos números 2129-2132. O texto afirma que a novidade que fundamenta a mudança de perspectiva é a Encarnação do Filho de Deus. Jesus Cristo, ao encarnar-se, inaugurou uma nova economia das imagens (cf. 2131).


A antiga lei buscava impedir a idolatria, mas, fazendo-se Homem, o próprio Deus se converteu em imagem visível e representável, e com isso o perigo se afasta. Ao representar sua vida na terra, entram em cena as imagens dos primeiros santos da nova lei, bem como alguns dos antigos (Moisés e Elias, na transfiguração), especialmente sua santíssima Mãe; e com isso se abre a porta para estender as imagens aos santos. As devoções a eles, como foi dito, deve se centrar no que nos ensinam com a sua vida e doutrina, assim como em sua intercessão. Os santos sempre nos remetem a Deus.

Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • A Aleteia é publicada em 8 idiomas: Português, Francês, Inglês, Árabe, Italiano, Espanhol, Polonês e Esloveno.
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

Tags:
DevoçãoSantos
Oração do dia
Festividade do dia





Top 10
Aleteia Brasil
Quer dormir tranquilo? Reze esta oração da no...
TRIGEMELAS
Esteban Pittaro
A imagem de Nossa Senhora que acompanhou uma ...
Philip Kosloski
3 poderosos sacramentais para ter na sua casa
Aleteia Brasil
O milagre que levou a casa da Virgem Maria de...
nuvens sinais
Reportagem local
Estão sendo fotografados "sinais do céu"?
Extremistas queimam igrejas no Chile
Francisco Vêneto
Por que queimam igrejas: Dom Henrique e Pe. J...
Rosário
Philip Kosloski
Benefícios do Rosário: 3 virtudes que aprende...
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia