Aleteia
Sábado 24 Outubro |
São Maglório
Estilo de vida

Sexualidade e deficiência: tabu ou oportunidade para repensar a afetividade?

Lucandrea Massaro - publicado em 15/05/13

A pessoa com deficiência tem necessidade de afeto como qualquer outra pessoa

Existem temas que não são simples, mas devem ser tratados com serenidade e sem preconceitos. Um deles é certamente o da sexualidade vivida por pessoas com deficiência. Qual é o enfoque cristão?


Partimos de uma consideração feita pelo Papa João Paulo II em janeiro de 2004. Naquela ocasião, o Papa polonês (que vivia pessoalmente o sofrimento de um corpo que não respondia aos mandatos da mente) recordou que: "Este é um aspecto muitas vezes enfrentado de maneira superficial, reducionista ou até ideológico. A dimensão sexual é, no entanto, uma das dimensões constitutivas da pessoa, que, enquanto criada à imagem de Deus Amor, está originalmente chamada a ser implementada no encontro e na comunhão. O pressuposto para a educação afetivo-sexual da pessoa com deficiência está na persuasão de que ela tem uma necessidade de afeto pelo menos igual a qualquer outra pessoa".


Para tratar acertadamente deste tema, pedimos a ajuda da professora Claudia Giorgini, docente de "Metodologia catequética: pessoas diversamente hábeis" no Pontifício Ateneu Salesiano.

Como tratar este tema em um contexto ético e médico hoje?


Atualmente, vivemos em uma cultura da erotização. Ela está construída sobre a ideia de que "o ser humano é tal porque pratica sexo; a pessoa com deficiência é um ser humano e, portanto, deve praticar sexo".


O sexo é visto como o lugar do prazer individual e o outro é somente um instrumento para alcançá-lo. A sexualidade é reduzida à genitalidade.


Devemos afirmar que a sexualidade coincide com uma maneira fundamental de ser quem somos: pertence à experiência do próprio corpo, na relação com os outros e nas formas da cultura. Os gestos do corpo têm sentido enquanto estão dentro de uma relação afetiva e integrados em uma totalidade de sentimentos e emoções.


O eros é mais do que a sexualidade e envolve a possibilidade de viver o prazer da vida, de estar juntos, de comer, beber, de fazer qualquer coisa que provoque emoções positivas e agradáveis.

Não se trata só do aspecto sexual, mas também de uma correta educação afetiva, para que a vida das pessoas com deficiência seja plena e satisfatória. Mas que iniciativas devem ser apoiadas e que preconceitos devem ser evitados, neste sentido?


É uma experiência que envolve todo o corpo, toca a nossa liberdade e as nossas escolhas, É um jeito de ser, global, que envolve toda a minha pessoa: corpo, sentimentos, relações. Um possível caminho educativo deveria prever estas etapas:


Do eros como necessidade ao eros como experiência da relação, da ternura e do dom de si mesmo;


Do individualismo (do privado) à relação: a família é a primeira forma de experiência do amor. Adquire o sentido de relação de amor, de comunhão total.


É necessária uma aprendizagem do controle dos impulsos também.


Quanto aos preconceitos a serem evitados, é preciso trabalhar em três aspectos que a maior parte das pessoas considera inamovíveis:


– Primeiro, que as pessoas com deficiência são "assexuadas";


– Segundo, que as pessoas com deficiência não são capazes de ter e de viver relações sexuais, que não têm libido;


– Terceiro, que as pessoas com deficiência estão excessivamente interessadas no sexo e não são capazes de controlar seu comportamento sexual.


É necessário acabar com estes mitos e partir do fato de que as pessoas com deficiência são "pessoas" e devem ser consideradas como tal.

Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • A Aleteia é publicada em 8 idiomas: Português, Francês, Inglês, Árabe, Italiano, Espanhol, Polonês e Esloveno.
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

Tags:
PecadoSexualidade
Oração do dia
Festividade do dia





Top 10
Philip Kosloski
3 poderosos sacramentais para ter na sua casa
TRIGEMELAS
Esteban Pittaro
A imagem de Nossa Senhora que acompanhou uma ...
Aleteia Brasil
Quer dormir tranquilo? Reze esta oração da no...
Aleteia Brasil
O milagre que levou a casa da Virgem Maria de...
SAINT MICHAEL
Philip Kosloski
Oração a São Miguel por proteção contra inimi...
Rosário
Philip Kosloski
Benefícios do Rosário: 3 virtudes que aprende...
Papa Pedro João Paulo II Bento XVI Francisco
Reportagem local
Pedro, João Paulo, Bento e Francisco: 4 Papas...
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia