Aleteia logoAleteia logoAleteia
Segunda-feira 15 Abril |
Aleteia logo
Estilo de vida
separateurCreated with Sketch.

Os divorciados são mais pecadores?

2gobyjq42o7ktthwpskgxr3si4i4q9ted69jpz2ce5smyukaxl8e0v_w7z3cs3hnmmgvb6nynwio5vzjhqyrjhyc5ijhza.jpg

David Medrano - publicado em 24/05/13

Dom Paglia considera que a Igreja deve oferecer-lhes uma atenção especial

O presidente do Conselho Pontifício para a Família, Dom Vicenzo Paglia, convidou os padres a dar uma atenção especial aos divorciados, pois eles têm problemas maiores, já que a ruptura de um matrimônio é sempre um fracasso e afeta os filhos.

Por este motivo, considera que a Igreja deve ajudar estes irmãos e irmãs com mais empenho. Da mesma maneira, "nunca mais devem ser considerados como pecadores, porque todos nós o somos".

A mensagem da Igreja "não é contra ninguém", disse o prelado, na Universidade Católica da Argentina, onde apresentou a "Carta dos Direitos da Família".

O problema é cultural. Dom Paglia afirma que a família é o mais importante sujeito produtivo, mas não é considerada em seus direitos fiscais; não recebe isenções nem apoios. Para ele, falar da sociedade atual sem a família formada por pai, mãe e filhos é uma loucura.

Neste sentido, lamentou a institucionalização das famílias monoparentais. Além disso, dentro de alguns anos, "haverá tantos filhos únicos, que já não se compreenderá qual é o significado da palavra 'irmão' ou 'irmã'", advertiu.

Dom Paglia recordou aos jovens que "a crise do individualismo está envenenando a sociedade" e que "a ditadura do individualismo busca destruir a família".

É por isso que a família deve estar no centro da pastoral da Igreja, da política, da economia e da cultura. Portanto, as famílias devem receber mais atenção, apoio e ajuda por parte dos governos.

O bispo falou aos jovens sobre a beleza do matrimônio. Recordou que, hoje em dia, é mais fácil usar o "para sempre" referindo-se a um time de futebol que a uma esposa, por exemplo, porque já não confiamos em ninguém.

A família, segundo o prelado, "é um afeto sólido, que pede fadiga, esforço, mas que acompanha você pela vida toda". Em contrapartida, existe a tristeza de envelhecer sozinho e, assim, "a solidão se torna pior que a morte", concluiu.

Tags:
CasamentoDivórcioFamília
Top 10
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia