Receba o boletim diário da Aleteia gratuitamente no seu email.
Newsletter Aleteia: uma seleção de conteúdos para uma vida plena e com valor. Cadastre-se e receba nosso boletim direto em seu email.
Registrar

Sem condições de apoiar?

Veja 5 formas de você ajudar a Aleteia

  1. Reze por nossa equipe e pelo êxito de nossa missão
  2. Fale sobre a Aleteia em sua paróquia
  3. Compartilhe os artigos da Aleteia com seus amigos e familiares
  4. Desative o bloqueio de publicidade quando nos visitar
  5. Inscreva-se para receber nosso boletim gratuito e leia-nos diariamente

Obrigado!
Redação da Aleteia

Enviar

Aleteia

Papa Francisco: cristãos, fujam da hipocrisia!

© Alessia GIULIANI /CPP
El Papa Francisco acaricia a una niña en la Plaza de San Pedro
Compartilhar

“A mansidão que Jesus quer de nós não tem nada, não tem nada desta adulação, com este modo açucarado de ir adiante. Nada!”, afirma o Papa

Um cristão não usa uma “linguagem socialmente educada”, inclinada à hipocrisia; ele é porta-voz da verdade do Evangelho com a mesma transparência das crianças. Essa foi a mensagem do Papa Francisco na homilia da missa na Casa Santa Marta na manhã desta terça-feira.

 

A passagem evangélica do tributo a Cesar e da traiçoeira pergunta dos fariseus a Cristo sobre a legitimidade daquele tributo deu a oportunidade ao Papa de continuar a reflexão iniciada ontem.

 

A intenção com a qual os fariseus se aproximam de Jesus é fazê-lo cair em uma cilada. Sua pergunta sobre os impostos é colocada “com palavras mórbidas, com palavras bonitas, com palavras demasiado melosas”. “Eles tentam se mostrar como amigos”, mas isso tudo é falso – afirma o Papa – porque eles não amam a verdade, apenas a si mesmos.

 

"Essa é a linguagem da corrupção: a hipocrisia. E quando Jesus fala aos seus discípulos, diz: ‘Mas que a vossa palavra seja ‘Sim, sim! Não, não!’. A hipocrisia não é uma linguagem da verdade, porque a verdade nunca vai sozinha. Nunca! Vai sempre com o amor! Não existe verdade sem amor. O amor é a primeira verdade. Se não existe amor, não existe verdade. Estes querem uma verdade escrava dos seus próprios interesses. Existe um amor, podemos dizer: mas é o amor de si mesmo, amar a si mesmo. Aquela idolatria narcisista que os leva a trair os outros, leva-os ao abuso de confiança".

 

O Papa Francisco advertiu aqueles que se aproximam de Jesus “tão amáveis na linguagem”, mas que são os mesmos que depois irão prendê-lo e levá-lo a Pilatos.

 

"A mansidão que Jesus quer de nós não tem nada, não tem nada desta adulação, com este modo açucarado de ir adiante. Nada! A mansidão é simples, como aquela de uma criança. E uma criança não é hipócrita, porque não é corrupta. Quando Jesus nos diz: "A vossa palavra seja 'Sim, sim! Não, não!’ com alma de crianças, diz o oposto do (modo de) falar destes".

 

O Papa aludiu ainda a uma “certa debilidade interior”, estimulada pela vaidade, pela qual “nós gostamos que digam coisas boas de nós”. Disso “os corruptos sabem” e “com essa linguagem tentam nos debilitar”.

 

“Pensemos bem hoje: qual é a nossa forma de falar? Falamos na verdade, com amor, ou falamos um pouco com essa linguagem social de ser educados, também de dizer coisas bonitas, mas que não sentimos? Que nosso falar seja evangélico, irmãos! Ademais, esses hipócritas que começam com a adulação, a lisonja e tudo isso, acabam buscando falsos testemunhos para acusar os que tinham adulado. Peçamos ao Senhor que nosso falar seja o falar dos simples, o falar de uma criança, o falar de filhos de Deus, falar com verdade a partir do amor”, afirmou o Papa.

 

Com Rádio Vaticano

Boletim
Receba Aleteia todo dia