Aleteia logoAleteia logo
Aleteia
Quarta-feira 20 Outubro |
Aleteia logo
home iconEstilo de vida
line break icon

Os irmãos Grimm nos enganaram sobre o amor

Juan Ávila Estrada - Aleteia Vaticano - publicado em 12/07/13

Entenda por que o amor é ao mesmo tempo o sentimento mais forte e mais frágil que existe

De todas as relações fortes que se estabelecem entre humanos, não existe nenhuma mais frágil que a relação de amor entre esposos. A presença inoportuna de alguns membros da família que intervêm nela e que opinam, a presença de certos amigos, que podem ser considerados mais importantes que a família, a perigosa chegada de uma terceira pessoa, que aparentemente oferece novidades ao tédio e à rotina, e até o nascimento de um filho fazem que, com muita probabilidade, você possa começar a chamar seu parceiro de "ex".

A família sempre opina, sempre diz saber o que é melhor para cada um e, com suas palavras e atitudes, leva a outra pessoa a não resistir mais e acabar afirmando: "Eu não me casei com os seus pais". A chegada de uma terceira pessoa sempre aparece como novidade, ela sempre parece mais bonita, com presença mais agradável e com a oferta de trazer mais "aventura" e adrenalina a uma relação que pode estar vivendo uma fase de monotonia.

A intervenção dos amigos, com o argumento de aliviar o peso da vida, pode acabar afastando os esposos, até o ponto de que cada domingo deixa de ser o dia da família para se tornar o dia dos amigos e do futebol. Mas também a chegada de um filho pode atrair toda a atenção dos pais, até chegarem a esquecer de si mesmos e dedicar ao recém-nascido um amor que deveria ser direcionado ao casal também.

Amar nunca foi tão fácil e é por isso que os cristãos acreditam que o amor verdadeiro é um dom de Deus e que, sendo Ele mesmo o Amor, então, só Ele pode nos ensinar a amar.

A inocente credulidade de pensar que o amor é instintivo e que, portanto, basta seguir os movimentos do coração, levou-nos a deixar por conta da natureza algo sublime e perfeito, que é este dom que Deus nos dá e pelo qual nossa vida adquire o maior dos sentidos.

Talvez o maior dano seja causado pela leitura contínua de contos como os dos irmãos Grimm, que sempre terminam suas histórias dizendo que "se casaram e viveram felizes para sempre". Seria preciso escrever a história depois do casamento, pois é aí que começa o autêntico caminho, a verdadeira luta para dar forma ao amor que se tem.

O amor esponsal é frágil e não podemos nos esquecer disso. E tem muitos inimigos. A paixão sexual não tem poder para manter duas pessoas unidas, não tem força suficiente para isso, é efêmera, alimenta-se dos sentidos e prontamente repousa seu olhar sobre outras pessoas. Se antes os pais se mantinham unidos pelo bem dos seus filhos, hoje isso não é obstáculo para romper qualquer casamento; os filhos também não conseguem manter nenhum casal unido.

Para amar, é importante ser como um agricultor: conhecer as estações, os sinais do céu, as épocas para semear e colher, e conhecer o estilo da planta que temos em casa, pois ela não é nem de sol pleno (que a queimaria) nem de sombra constante (que a faria murchar), mas precisa de espaços de sol e espaços de sombra. Isso é uma arte e nem todos estão preparados.

O que encontramos hoje? Maus agricultores que, no início do relacionamento, ficam expostos ao sol permanentemente, deixando que a paixão os consuma, que o ciúme os acompanhe, não querem se separar em nenhum momento, controlam seu tempo, seus amigos e seus espaços; mas, depois de alguns meses, submetem esta mesma planta à sombra total: descuido generalizado, falta de detalhes, poucas palavras, pouco diálogo, rotina e morte.

A tudo isso se une a escassa capacidade de perdoar, pois as pessoas se esquecem de que esta é uma exigência do amor, já que a perfeição humana não existe e todos nós erramos. Tais erros tornam necessário ser misericordiosos, ter paciência, ajudar-se mutuamente a crescer, a amadurecer. Quem não está disposto a perdoar, não deve se casar, pois fracassará e sairá correndo diante  do primeiro erro.

Amar é uma arte e só Deus é o professor, por meio de Jesus. É preciso olhar para Ele, aprender dele, para chegar a ter um amor semelhante ao seu.

Tags:
AmorCasamento
Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • Aleteia é publicada diariamente em sete idiomas: inglês, francês,  italiano, espanhol, português, polonês e esloveno
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

Top 10
1
Pe. Zezinho
Reportagem local
Pe. Zezinho faz alerta sobre orações de cura e libertação
2
AVENIDO BROTHERS
Agnès Pinard Legry
Três irmãos são ordenados padres no mesmo dia
3
COMMUNION
Philip Kosloski
Oração ao seu anjo da guarda antes de receber a comunhão
4
VENEZUELA
Ramón Antonio Pérez
Quando a vida surge do abuso atroz a uma jovem deficiente
5
MARRIAGE
Matrimonio cristiano
Beijar a aliança todos os dias: uma indulgência especial aos casa...
6
Aleteia Brasil
O segredo da cidade bósnia onde jamais houve um divórcio
7
Livres de todo mal
O demônio tem mais poder à noite ou em determinada época do ano?
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia