Aleteia logoAleteia logoAleteia
Sexta-feira 12 Abril |
Aleteia logo
Atualidade
separateurCreated with Sketch.

Novo passo do Papa Francisco na reforma das finanças vaticanas

1lhid1-vqbuwrfwbi4xdjv564xxqpvaqv39o53emkokoer1flx9_dune1cuveolj1ysagiench8mjjvao92nwgcy7st2.jpg

Jesús Colina - publicado em 18/07/13

Criada uma comissão composta por especialistas em administração e economia para preparar mudanças no Vaticano

O Papa Francisco decidiu criar uma comissão composta por especialistas em organização, economia, direito e finanças, com o objetivo de reformar a administração e organização econômica do Vaticano.

A decisão acontece depois do Papa ter criado uma outra comissão de características similares para reformar o Instituto para as Obras de Religião (IOR), conhecido como Banco do Vaticano.

O Papa definiu as atribuições desta comissão com um documento (quirógrafo), com data de 18 de julho, em que estabelece que a Comissão pontifícia tem direito a receber todas as informações que requisitar das instituições vaticanas.

Ao mesmo tempo, o texto indica que a Comissão deve informar diretamente o Papa sobre o seu trabalho e deverá entregar a Francisco todos os documentos que gerar. 

É a terceira Comissão de reforma de instituições vaticanas, após a criada para o Banco do Vaticano, e de cardeais que tem por objetivo a reforma geral da Cúria Romana. 

Os membros da comissão para a reforma das finanças vaticanas são todos leigos, com exceção de um sacerdote, que terá as funções de secretário. Trata-se do padre Lucio Ángel Vallejo Balda, espanhol, que é também secretário da Prefeitura para os Assuntos Econômicos da Santa Sé.

O presidente da Comissão será o economista Joseph FX Zahra, antigo diretor do Banco Central de Malta.

Integram a mesma: Francesca Inmacolata Chaouqui, encarregada de relações externas e comunicação em Ernst & Young, o ex-ministro de Comércio e Indústria de Singapura George Yeo, assim como o economista espanhol Enrique Llano. 

O Papa pede à comissão, segundo indica o quirógrafo, que elabore “soluções estratégicas de melhoria, necessárias para evitar o desperdício de recursos econômicos, para promover a transparência na aquisição de bens e serviços, para aperfeiçoar a administração do patrimônio móvel e imóvel, para operar cada vez com maior prudência no setor financeiro, para garantir a correta aplicação dos critérios contáveis e garantir assistência de saúde e seguridade social a todos os que têm direito”.

A nova comissão para a reforma da administração econômica do Vaticano colaborará com o Conselho de Cardeais para o Estudo dos Problemas Organizativos e Econômicos da Santa Sé, que supervisiona as contas vaticanas.

Tags:
DinheiroEconomiaPapa FranciscoVaticano
Top 10
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia