Aleteia logoAleteia logoAleteia
Quinta-feira 18 Agosto |
Santo Eônio
Aleteia logo
Atualidade
separateurCreated with Sketch.

Argentinos criticam esquema de segurança da Jornada

pxpu9yi3suyf8kpqanxzgnhaf7vljg9rt_mgbxhdkanpuciizqn5uv_9a3c2q3w7b4dosk-vci5qngidevf1lepkizji.jpg

Agência Brasil - publicado em 25/07/13

Ao deixar a igreja, o pontífice acenou para os peregrinos que não conseguiram entrar no templo, chegando a levantar uma bandeira argentina

Muitos peregrinos argentinos que tentaram se encontrar com o papa Francisco hoje na catedral do Rio de Janeiro estavam frustrados porque não conseguiram entrar na catedral, que tem capacidade para 5 mil pessoas sentadas.

Foi o caso de Claudia Mut, de 56 anos, que coordena um grupo de 19 jovens da cidade argentina de Rosario de Santa Fé. Hospedada no Colégio São José, na Tijuca, Claudia tomou um ônibus e chegou à catedral às 8h, mas não conseguiu entrar. Para ela, o encontro do papa com os peregrinos argentinos deveria ter ocorrido em um estádio, como o Maracanã, para comportar um número maior de fiéis.

Claudia reclamou do policiamento nas imediações da catedral. “Diferentemente dos outros dias, hoje, o patrulhamento não nos assistiu muito bem. Pedimos ajuda, mas não vimos muitos carros de polícia”, disse ela.

Dolores Injaurralde, de 26 anos, que veio de Buenos Aires, também criticou o esquema de segurança montado para a Jornada Mundial da Juventude (JMJ). “No meu grupo, dois peregrinos já tiveram celulares roubados. Não demos queixa, não faz sentido, não vamos conseguir recuperar”, lamentou Dolores, que está hospedada em São João de Meriti, na Baixada Fluminense.

Apesar disso, ela se disse satisfeita com a presença de Francisco no Rio de Janeiro. “O fato de o papa ser argentino nos traz um sentimento acolhedor. Nós nos sentimos em casa.”

No final do encontro com o papa Francisco, os compatriotas dele que ficaram do lado de fora da catedral rezaram juntos uma Ave Maria. Ao deixar a igreja, o pontífice acenou para os peregrinos que não conseguiram entrar no templo, chegando a levantar uma bandeira argentina.

Em seguida, em carro fechado, Francisco dirigiu-se à residência Assunção, no Sumaré, para almoçar e descansar até a hora de ir para a Festa da Acolhida, em Copacabana.

(Com Agência Brasil)

Tags:
JMJMundoPapa Francisco
Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • Aleteia é publicada diariamente em sete idiomas: inglês, francês,  italiano, espanhol, português, polonês e esloveno
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

PT300x250.gif
Oração do dia
Festividade do dia





Envie suas intenções de oração à nossa rede de mosteiros


Top 10
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia