Receba o boletim diário da Aleteia gratuitamente no seu email.
Receba diretamente no seu email os artigos da Aleteia.
Cadastrar-se

Sem condições de apoiar?

Veja 5 formas de você ajudar a Aleteia

  1. Reze por nossa equipe e pelo êxito de nossa missão
  2. Fale sobre a Aleteia em sua paróquia
  3. Compartilhe os artigos da Aleteia com seus amigos e familiares
  4. Desative o bloqueio de publicidade quando nos visitar
  5. Inscreva-se para receber nosso boletim gratuito e leia-nos diariamente

Obrigado!
Redação da Aleteia

Enviar

Aleteia

JMJ na ONU: jovens construtores da paz

© JMJ Rio 2013
Compartilhar

Realizado no Rio de Janeiro o fórum “Jovens e cultura da paz”, uma iniciativa das Nações Unidas dentro da JMJ

“Para chegar a uma verdadeira cultura da paz, é necessário levar nossas crenças à ação”, afirmou Ahmad Alhendawi, secretário-geral da ONU para a juventude e enviado especial à Jornada Mundial da Juventude (JMJ), em um fórum de reflexão e debate organizado pela própria JMJ em parceria com a ONU.

O fórum teve como tema “Jovens e cultura da paz” e foi realizado no prédio da Ordem dos Advogados do Brasil; dele participaram mais de 600 jovens do mundo inteiro para discutir sobre o papel da juventude no desenvolvimento sustentável e na paz. O painel principal contou com a participação de 6 jovens peregrinos, representantes de todos os continentes.

Jovens, agentes de construção da paz

O representante dos Estados Unidos, Peter Cahill, comentou que a JMJ “é um exemplo de como podemos alcançar a paz. Por meio da nossa fé, compartilhamos experiências com pessoas de diversas línguas e países, e reconhecemos o que há de bom em cada uma. Fazemos amigos e podemos compartilhar e promover o respeito às outras culturas”.

O jovem japonês Ravi Budhooram disse que “nós, jovens, devemos ser os agentes da nossa paz, e promover a nossa própria mudança” rumo à tolerância, para construir assim uma cultura de dignidade e paz global.

Por outro lado, Madeleine Gilbery, da Austrália, expressou que, para chegar a uma verdadeira cultura de paz, os jovens “também precisam de oportunidades igualitárias para todos, oportunidades de acesso à educação e a boas oportunidades de trabalho”.

A JMJ como experiência de paz

Alguns dos jovens participantes do debate comentaram que encontros como este são positivos, porque demonstram que, na construção da paz, é preciso contar com o esforço de todos. Também destacaram o importante papel da Igreja Católica nesta tarefa.

Anteriormente, Dom Joel Portella, secretário executivo da JMJ, havia comentado que a Jornada é uma valiosa oportunidade para ouvir os jovens e conhecer suas expectativas diante do mundo.

“A JMJ tem uma característica muito interessante: ela leva os jovens a olhar para Deus, para o mundo e para si mesmos. E esse olhar carrega uma grande responsabilidade na construção desse mundo novo”, afirmou.

Boletim
Receba Aleteia todo dia
São leitores como você que contribuem para a missão da Aleteia

Desde o início de nossas atividades, em 2012, o número de leitores da Aleteia cresceu rapidamente em todo o mundo. Estamos comprometidos com a missão de fornecer artigos que enriquecem, informam e inspiram a vida católica. Por isso queremos que nossos artigos sejam acessados por todos. Mas, para isso, precisamos da sua ajuda. O jornalismo de qualidade tem um custo (maior do que o que a propaganda consegue cobrir). Leitores como você podem fazer uma grande diferença, doando apenas $ 3 por mês.