Aleteia
Terça-feira 27 Outubro |
São Fulco
Atualidade

Crise no Egito pode agravar

Agência Brasil - publicado em 26/08/13

Segundo embaixadores brasileiros, situação pode piorar se a oposição for mantida afastada das decisões políticas

O subsecretário-geral de Política 3 do Ministério das Relações Exteriores do Brasil, embaixador Paulo Cordeiro, alertou que se a tendência atual de repressão e violência se mantiver no Egito, a situação no país pode ficar mais grave.

Para ele, a detenção de oposicionistas e aliados do presidente deposto Mohamed Mursi, em 3 de julho, é uma ameaça às instituições e à democracia como um todo. Cordeiro lembrou, em entrevista à Agência Brasil que geralmente o “enfrentamento leva a tragédias, que geram sofrimento, muitas vezes duradouro".

O alerta de Cordeiro ocorre dias depois de que manifestantes e forças policiais se enfrentaram, no Cairo, por três dias, em conflitos que acabaram com pelo menos 750 mortes. “O governo do Brasil espera que o Egito retorne à institucionalidade democrática. Esperamos, sinceramente, que as autoridades egípcias tenham a sabedoria de ser inclusivas e não tomem o caminho oposto”, disse.

O emissário do Brasil para o Oriente Médio mais a Turquia e o Irã, embaixador Cesário Melantonio Neto, acrescentou à Agência Brasil que com a prisão de cerca de 8,3 mil integrantes da Irmandade Muçulmana e o anúncio da ordem de detenção do líder Mohamed ElBaradei, o governo do Egito encerra a possibilidade de diálogo.

“Todas as vias de diálogo estão interrompidas, as forças políticas [de oposição às Forças Armadas] estão alijadas e se havia dúvidas sobre o processo de destituição de Mursi, democraticamente eleito, agora não há mais”, destacou Melantonio Neto.

Nos últimos meses, diariamente há protestos nas principais cidades do Egito. Sob a liderança da Irmandade Muçulmana, simpatizantes de Mursi ocupam as ruas, acampam em praças públicas e defendem o presidente deposto – que é mantido preso desde sua destituição em local não divulgado. As forças policiais reagem de forma intensa e violenta.

Apesar do agravamento da situação, no último dia 21, o ministro das Relações Exteriores, Antonio Patriota, defendeu que quaisquer medidas de sanção ou restrição ao Egito sejam adotadas em nível multilateral. Ele descartou a hipótese de o Brasil suspender os acordos existentes, pois para ele as medidas devem ser definidas com base nas orientações do Conselho de Segurança das Nações Unidas.

 “O que nós defendemos é que haja um debate multilateral e que se houver alguma razão para a adoção de sanções, que sejam desenhadas de tal maneira que tornem ainda maior o sofrimento da população civil maior do que já é em função dos distúrbios e da violência”, disse Patriota após reunião com o chanceler do Níger, (África), Mohamed Bazoum, no Palácio Itamaraty.

Mesmo com as dificuldades causadas pelos impactos da Primavera Árabe, em 2011, no Egito, o país não reduziu o volume de comércio com o Brasil. Ao lado da Arábia Saudita, da Turquia e do Irã, o Egito está entre os principais parceiros do Brasil envolvendo os países muçulmanos. Em 2012, o volume do comércio bilateral atingiu US$ 2,7 bilhões.

A reação do Brasil, de evitar a adoção de sanções, ocorre no mesmo momento em que os chanceleres dos 28 países que integram a União Europeia (UE) anunciaram a suspensão das licenças de exportação de equipamentos de segurança e de armas para o Egito. Os chanceleres  decidiram rever a ajuda ao Egito, em resposta à onda de violência na região.

Tradicionalmente, o governo do Brasil condena a violência e a violação aos direitos humanos no Egito. Após a onda de violência, o embaixador do Egito no Brasil, Hossam Edlin Mohamed Ibrahim Zaki, foi chamado ao Itamaraty para prestar esclarecimentos e ouvir das autoridades brasileiras o protesto em relação aos confrontos no país.

(Agência Brasil, 25 de agosto de 2013)

Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • A Aleteia é publicada em 8 idiomas: Português, Francês, Inglês, Árabe, Italiano, Espanhol, Polonês e Esloveno.
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

Tags:
PerseguiçãoViagemViolência
Oração do dia
Festividade do dia





Top 10
Philip Kosloski
3 poderosos sacramentais para ter na sua casa
Aleteia Brasil
Quer dormir tranquilo? Reze esta oração da no...
TRIGEMELAS
Esteban Pittaro
A imagem de Nossa Senhora que acompanhou uma ...
Aleteia Brasil
O milagre que levou a casa da Virgem Maria de...
No colo de Maria
Como rezar o terço? Um guia ilustrado
SAINT MICHAEL
Philip Kosloski
Oração a São Miguel por proteção contra inimi...
São Padre Pio de Pietrelcina
Oração de cura e libertação indicada pelo exo...
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia