Aleteia logoAleteia logoAleteia
Sexta-feira 12 Abril |
Aleteia logo
Religião
separateurCreated with Sketch.

“Bergoglio me disse: ‘Prefiro que me matem a um de vocês’”

gcet2igt5anjurpkayww54os5mckqii9oa98jadeitvr9uwmjlshutfchy81ggbl1ss1cgr7fpy_vjr_h5r8nudphec.jpg

IHU - publicado em 30/08/13

Quem conta essa história é o padre Pepe, que esteve na Itália para uma série de encontros, inclusive com seu antigo arcebispo, Bergoglio

“Prefiro que me matem a um de vocês…”. Com estas palavras o então cardeal Jorge Mario Bergoglio acolheu a notícia das ameaças de morte contra José María di Paola, o padre “Pepe”, pároco de uma das favelas de Buenos Aires.

O padre “Pepe”, que retornou à Argentina, contou isso no domingo passado durante um encontro público em Nepi (Itália). “Estas palavras – explicou ao Vatican Insider o sacerdote argentino, um pouco antes de pegar o avião de volta às vilas de Buenos Aires – expressam melhor que quaisquer outras a proximidade e a paternidade do bispo para com seus sacerdotes”.

A reportagem é de Andrea Tornielli e publicada no sítio Vatican Insider, 29-08-2013. A tradução é de André Langer, do IHU.

As primeiras ameaças de morte que o pároco de Nossa Senhora de Cacupé recebeu, na Vila 21-24 do bairro Barracas de Buenos Aires, vieram na primavera de 2009. O padre Pepe e os outros sacerdotes que Bergoglio havia enviado às favelas estavam trabalhando para recuperar muitíssimos jovens vítimas das drogas. Os narcotraficantes enviaram novas e mais duras ameaças em dezembro de 2010, e nesse momento o futuro Papa decidiu afastar o sacerdote em perigo, enviando-o a uma outra diocese do norte do país. Hoje, o padre Pepe voltou ao seu trabalho pastoral em outra vila e retomou o seu ministério entre os pobres.

Depois das primeiras ameaças, Bergoglio disse, em uma entrevista, que seus sacerdotes vileiros “trabalham. Não atacam ninguém. Quem disse que a droga é um perigo e não apenas nas favelas, mas em toda a cidade fui eu… Eu disse aos pais: vejam o que fazem seus filhos, cuidem deles, porque a droga chega a todas as partes, chega às portas das escolas. Eles, os sacerdotes das vilas, trabalham também na prevenção da drogadição e na reinserção social dos jovens que se drogam. Vê-se que os traficantes não gostaram nem um pouquinho disso. Alguns ficaram bravos”.

O padre Pepe agora revela alguns aspectos da conversa que teve então com o seu arcebispo. “Na segunda-feira me ameaçaram, na terça-feira fui conversar com o Bergoglio. Disse-lhe que se tratava de uma ameaça séria. Sua primeira reação foi me dizer essas palavras: ‘Prefiro que me matem a um de vocês’”.

Durante as duas semanas que passou na Itália, o padre Pepe teve muitos encontros nos quais descreveu o trabalho dos sacerdotes vileiros. O lugar da sua paróquia, em um lixão que se transformou em bairro, falta absolutamente tudo e está tratando de montar uma estrutura que ajude a reunir os jovens para afastá-los das drogas.

(Publicado em IHU, no dia 30 de agosto de 2013)

Tags:
DrogasPapa Francisco
Top 10
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia