Aleteia logoAleteia logo
Aleteia
Quinta-feira 29 Outubro |
São Colmano
home iconAtualidade
line break icon

Clamor pela paz

Dom Demétrio Valentini - CNBB - publicado em 13/09/13

A recente experiência de diversas guerras ocorridas na complexa situação do Oriente Médio, a lição mais clara parece ser esta: a intervenção militar estrangeira em nada ajuda a solucionar os problemas

Continua a angústia com a situação da Síria, envolvida em complicada guerra civil que vem se prolongando, sem perspectivas de solução. Por mais justa que possa parecer, a guerra traz sempre consigo graves equívocos, que desautorizam sua opção. E quando se trata de guerra civil, as circunstâncias são ainda mais trágicas, pois coloca em confronto cidadãos do mesmo país, apelando para a força das armas, em vez de apostar no diálogo que a democracia possibilita.

A complexidade de uma guerra civil, coloca a difícil questão de discernir como e quando seria conveniente uma intervenção com garantia da neutralidade, e com ascendência moral para levar as partes em conflito a deporem as armas, e retomarem as negociações. Em princípio, caberia às Nações Unidas tomar a iniciativa de persuadir as partes a abdicarem das armas, e instaurarem um processo de reconciliação nacional.

O organismo previsto nos próprios estatutos das Nações Unidas para estas hipóteses seria o Conselho de Segurança. Mas de novo assistimos ao triste espetáculo da incapacidade deste organismo, que foi pensado para ser um primeiro esboço de uma espécie de “governança global” de que a humanidade há mais tempo necessitaria. Por sua vez, quanto mais complicada a situação do país envolvido em guerra civil, mais difícil se torna uma ação externa com vistas a cessar os combates e providenciar a indispensável ação de mediadores, com a garantia de neutralidade diante das posições contrastantes das forças em combate.

A recente experiência de diversas guerras ocorridas na complexa situação do Oriente Médio, a lição mais clara parece ser esta: a intervenção militar estrangeira em nada ajuda a solucionar os problemas. Ao contrário, acaba acirrando os ânimos e radicalizando sempre mais as posições. Uma intervenção militar significaria colocar lenha na fogueira. Ainda mais na complicada situação dos países próximos à Síria.

O que não significa que todas as ações externas sejam vedadas. Mas todas elas, devem ter o claro propósito de dissuadir as partes a continuarem o confronto militar. Se possível, uma mediação que ajude a superar impasses, deveria garantir a todas as partes envolvidas no conflito, que serão respeitadas, e poderão contar com o efetivo apoio das outras nações para a consecução da paz.

Uma mediação muito importante e imprescindível, para a situação atual da Síria, é continuar o esforço iniciado pelo Papa Francisco, procurando envolver a todos no esforço de garantir as condições de paz para a Síria. Para isto, é bom colocar o peso da instituição à qual cada um está integrado. Mas em casos tão complicados e delicados como este que o povo sírio está vivendo, mais que as instituições, vale o testemunho pessoal de quem goza de autoridade moral, que precisa ser sempre preservada como patrimônio comum da humanidade.

Todos nos damos conta de quanto foi preciosa a iniciativa do Papa Francisco, de promover um dia de oração e de jejum pela paz na Síria. Esta iniciativa deteve o ímpeto belicista do Governo dos Estados Unidos, e conseguiu ao menos que a hipótese de uma mesa de negociações se torne possível e seja assumida pelas partes envolvidas, como caminho de diálogo e de superação das desavenças acontecidas.

A solução deste difícil conflito é um desafio que poderá significar a superação das causas que o produziram, e a confirmação do Papa Francisco como personalidade de ascendência moral importante, de que a humanidade tanto precisa hoje. Não podemos ficar em paz, enquanto povos irmãos se degladiam em guerra. Que Deus atenda nossas preces, e ajude o povo sírio a experimentar a nobreza de espírito das atitudes de perdão mútuo, de reconciliação fraterna e de paz duradoura!

Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • A Aleteia é publicada em 8 idiomas: Português, Francês, Inglês, Árabe, Italiano, Espanhol, Polonês e Esloveno.
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

Tags:
GuerraMundo
Oração do dia
Festividade do dia





Top 10
TRIGEMELAS
Esteban Pittaro
A imagem de Nossa Senhora que acompanhou uma ...
Aleteia Brasil
O milagre que levou a casa da Virgem Maria de...
Philip Kosloski
3 poderosos sacramentais para ter na sua casa
Reportagem local
Corpo incorrupto de Santa Bernadette: o que o...
Aleteia Brasil
Quer dormir tranquilo? Reze esta oração da no...
OLD WOMAN, WRITING
Cerith Gardiner
A carta de uma irlandesa de 107 anos sobre co...
No colo de Maria
Como rezar o terço? Um guia ilustrado
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia