Aleteia logoAleteia logo
Aleteia
Quinta-feira 21 Outubro |
São Bertoldo de Parma 
Aleteia logo
home iconReligião
line break icon

A misericórdia salva o mundo

Cardeal Odilo Scherer - CNBB - publicado em 17/09/13

“Crer em Deus” significa crer no Deus de infinita misericórdia, que tem medidas de justiça muito mais largas que as nossas

A fé cristã em Deus não parte de conceitos intelectuais puros, mas de uma experiência com Deus. Essa experiência, retratada na Sagrada Escritura, é a história da salvação vivida por pessoas e por todo um povo. Eis porque, para bem compreender nossa fé, é tão importante conhecer e compreender a Escritura.

Nossa fé cristã católica nos diz que a misericórdia é um dos atributos de Deus, embora esse conceito não apareça, como tal, nos Símbolos da nossa fé. Também outras religiões, como o Islamismo, reconhecem que Deus é misericordioso e clemente. A Deus convém a misericórdia. E Deus nos trata com misericórdia.

No entanto, isso nem sempre está claro no conceito geral que se tem de Deus. Com facilidade, contrapõe-se poder e misericórdia em Deus, como se esses dois atributos fossem excludentes; ou se opõe a justiça divina à sua misericórdia. A fé cristã não permite essa contraposição. Deus é todo-poderoso e isso significa que também é onipotente no amor. Por isso, pode ser misericordioso, indo além da mera justiça. É próprio da justiça de Deus que ela seja aplicada com amor. E isso é a misericórdia divina, na concepção bíblica e da fé cristã.

O Povo de Deus, antes de Cristo, conheceu muitas vezes que Deus, embora castigando os culpados, para que se convertam e voltem ao bom caminho, é “misericordioso e clemente, paciente, rico em misericórdia e fiel, que conserva a sua misericórdia por mil gerações e perdoa culpas, rebeldias e pecados” (cf. Êx. 34,6-7). A justiça de Deus, quando aplicada na forma de castigo, é sempre pedagógica e corretiva, para levar o homem a se rever; e, apenas percebe arrependimento e desejo de conversão do homem, Deus “se recorda de suas misericórdias” (cf Sl 25,6).

A certeza de que Deus é misericordioso é uma convicção sólida do Povo de Deus, formada numa experiência longamente vivida. Os profetas recordam muitas vezes que Deus, com misericórdia eterna, se compadece do seu povo (cf Is. 54,8); que suas misericórdias não têm fim e se renovam todos os dias (cf Lm 3,22).

São Paulo usa muito esse conceito para referir-se a Deus, a quem chama de “Pai das misericórdias, Deus de toda consolação” (cf 2Cor 1,3). Deus é “rico em misericórdia”, pois nos amou quando éramos ainda pecadores e nem o conhecíamos (cf Ef, 2,4-5). O próprio Paulo reconhece ter experimentado a misericórdia de Deus por meio de Cristo Jesus, apesar de ter sido blasfemo e perseguidor de Cristo (cf 1Tm 1,13.16).

Jesus Cristo nos dá a conhecer ainda mais claramente que Deus é misericordioso; ao desaprovar a religiosidade formal dos fariseus e dos mestres da Lei, que o criticavam porque acolhia os publicanos e comia com eles, Jesus lhes recorda as palavras de Isaías: “misericórdia eu quero, e não holocaustos” (cf Mt 9,13). Semelhante contexto motiva Jesus, no evangelho de São Lucas, a contar as “parábolas da misericórdia” (cf Lc 15): Deus não fica feliz quando o homem se perde e sai à sua procura, até encontrá-lo; e o céu faz festa por um pecador que faz penitência mais que por 99 justos, que não têm necessidade de penitência. O pai da parábola do “filho pródigo” retrata bem o Deus misericordioso, que Jesus dá a conhecer: embora respeite e leve a sério as escolhas livres de seus filhos, mesmo quando o rejeitam e abandonam, Deus fica esperando “de braços abertos” que voltem a ele novamente, pronto para acolhê-los. E faz festa por causa do filho “que estava morto e tornou à vida; estava perdido e foi encontrado” (Lc 15,32).

O Ano da Fé nos vai fazendo refletir sobre o significado das afirmações da fé cristã. “Crer em Deus” significa crer no Deus de infinita misericórdia, que tem medidas de justiça muito mais largas que as nossas. Deus salva o mundo por sua misericórdia. Por isso, nossa fé está relacionada imediatamente com a esperança. Deus não nos trata conforme a mesquinhez de nossos pecados, mas conforme a abundância de suas misericórdias.

Tags:
Misericórdiavida crista
Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • Aleteia é publicada diariamente em sete idiomas: inglês, francês,  italiano, espanhol, português, polonês e esloveno
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

Oração do dia
Festividade do dia





Top 10
1
VENEZUELA
Ramón Antonio Pérez
Quando a vida surge do abuso atroz a uma jovem deficiente
2
Pe. Zezinho
Reportagem local
Pe. Zezinho faz alerta sobre orações de cura e libertação
3
COMMUNION
Philip Kosloski
Oração ao seu anjo da guarda antes de receber a comunhão
4
Carlo Acutis
Gelsomino Del Guercio
“Ele fechou os olhos sorrindo”: foi assim que Carlo Acutis morreu
5
Reportagem local
A bela lição que este menino deu a todos ao se aproximar do Papa
6
São José
Francisco Vêneto
Padre irmão de piloto de avião partido em dois: “São José tem mui...
7
Aleteia Brasil
O segredo da cidade bósnia onde jamais houve um divórcio
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia