Aleteia logoAleteia logo
Aleteia
Sexta-feira 30 Outubro |
Santo Angelo de Acri
home iconAtualidade
line break icon

Caminho do desenvolvimento do Brasil: cultivar, nutrir e educar

Vladimir Platonow/ABr

<span>Rio de Janeiro - crian&ccedil;as na Favela do Mandela</span>

Cáritas Brasileira - publicado em 23/10/13

Dom Mauro Morelli: podemos planejar de forma solidária o desenvolvimento do Brasil de baixo para cima, para que nosso povo seja saudável, inteligente, criativo e bem humorado

Por Thays Puzzi, assessora de Comunicação da Cáritas Brasileira | Secretariado Nacional

"Devemos combater a riqueza com sua filha primogênita, a miséria"

A fala é de dom Mauro Morelli, bispo emérito da Diocese de Duque de Caxias, no Rio de Janeiro, e presidente do Conselho Estadual de Segurança Alimentar e Nutricional e Sustentável de Minas Gerais (CONSEA/MG). Ele participou da mesa de abertura da XIX Assembleia Nacional da Rede Cáritas Brasileira que, com o tema “fome e pobreza no Brasil e no mundo”, reuniu em Brasília (DF), de 17 a 20 de outubro, cerca de 250 agentes e voluntários da entidade.

Dom Mauro afirmou que a falta de alimentação no mundo está diretamente relacionada com o modelo de desenvolvimento e ressaltou ainda que é preciso acabar com a riqueza. “A pobreza, segundo o Evangelho, é uma sociedade onde não existe acúmulo, que haja efetiva distribuição. Ser pobre é não acumular e nem desperdiçar o alimento e os recursos indispensáveis para vida saudável e digna. Ser pobre é ter casa, com salubridade e privacidade, ter assento à mesa e acesso à cidadania sempre mais plena por meio da educação e da participação.”

Confira a entrevista concedida à assessoria de comunicação da Cáritas Brasileira.

Cáritas – O senhor afirmou que a falta de alimentação está relacionada com o atual modelo de desenvolvimento. Como se dá essa relação?

Dom Mauro – Em qualquer época quem mais sofre a insegurança alimentar é a mãe.  Por essa razão, a mulher, com intuição e inteligência, coloca a semente no canteiro, desencadeando um processo de desenvolvimento através de plantio, colheita, armazenamento, processamento e preparo dos alimentos. As mulheres tornam-se as mães da agricultura e da segurança alimentar, superando a necessidade de vida nômade. A partir de sua descoberta, surgem a tecnologia e a ciência, a arte que se expressa em danças e cantos.

Considerando os Objetivos do Desenvolvimento do Milênio, a segurança alimentar e nutricional é uma questão de gênero, bem como determinante para os demais objetivos, pois sem alimentos saudáveis e adequados não são atingidas as outras metas relacionadas à saúde, educação, mortalidade infantil, etc.

O papa Paulo VI, na Encíclica sobre o Desenvolvimento dos Povos, adverte que mais alimento na mesa do povo e consequente distribuição dos bens, deve ser a primeira diretriz para a escolha de um modelo de desenvolvimento.

Assim, também, foram as conclusões da primeira conferência de segurança alimentar da Nação Brasileira em julho de 1994.

Não sem razão, o Movimento pela Ética na Política, em 1992, afirmara que a maior corrupção é nosso país, situado entre as maiores economias do mundo, convivendo com exclusão social, miséria e o povo sofrendo os males da fome. Ordem e Progresso, entre nós, tem sido cassação da cidadania, degradação ambiental, concentração de riqueza, geração de miséria e dos males da fome.

A Ação da Cidadania foi apontada como caminho para gestar um novo modelo de desenvolvimento a serviço de uma sociedade justa, fraterna e solidária. Aprendi com o Papa João Paulo II, em suas inúmeras alocuções e mensagens, que somente uma articulação entre família, da sociedade com todas as instituições e governos, em todos os níveis e expressões, pode garantir a segurança alimentar e nutricional da família humana.

Cáritas – A falta de alimentação também está relacionada com a má distribuição e concentração de renda e de alimentos. Como efetivar uma distribuição que garanta comida para todos e todas?

Dom Mauro – Enquanto houver mercantilização dos alimentos vai haver degradação ambiental (graças à monocultura e consequente empobrecimento nutricional), produção e distribuição de alimentos caros e nocivos à saúde humana, miséria e fome na face da Terra.

À luz do binômio indissolúvel educação e nutrição, aplicando-se com rigor e grandeza a Lei Federal 11.947/09, sobre alimentação escolar, ampliada para 365 dias, a partir das micro bacias, podemos planejar de forma solidária o desenvolvimento do Brasil de baixo para cima, para que nosso povo seja saudável, inteligente, criativo e bem humorado. Cultivar, nutrir e educar, eis o caminho!

A atual regulamentação da lei é medíocre e rotineira, não contemplando a grandeza da própria lei que embora mutilada é revolucionária, pois afirma o direito do ser humano ao alimento saudável e adequado, produzido pela agricultura familiar do município e região, dentro do processo de relações que caracteriza a educação em que a pessoa é sujeito de seu próprio desenvolvimento.

Observo que as cidades podem e devem ser também grandes produtoras de alimentos saudáveis, adequados e solidários, nas casas e em terrenos baldios, por meio de hortas familiares e comunitárias, inclusive nas varandas e telhados. É urgente uma lei federal que defina e garanta a agricultura urbana.

Cáritas – Qual a importância do papel da Igreja e da sociedade civil na lutar contra a pobreza?

Dom Mauro – Considerando a Cáritas a articuladora da ação social da Igreja em nível diocesano, regional, nacional e internacional, e a coordenação pastoral da Igreja, em todos os seus níveis, cabe a ambas a responsabilidade pela efetiva participação da Igreja no engajamento pela superação da miséria e dos males da fome em nosso tempo.

Na Encíclica Caridade na Verdade (n.27), Benedito XVI afirma que não devemos tratar como questão de caridade o que é um direito, mais ainda, que participar no empenho por mundo livre da miséria e da fome, é contribuir para a preservação do planeta e a construção da paz.

Cabe à Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) urgir a Igreja, em cada diocese a cumprir o compromisso assumido pelos bispos em assembleia geral, de 10 a 19 de abril 2002, por ocasião de seu Jubileu de Ouro, expresso no documento (Documentos da CNBB número 69): Exigências Evangélicas e Éticas de Superação da Miséria e da Fome.

Devemos combater a riqueza com sua filha primogênita, a miséria. Ser pobre é não acumular e nem desperdiçar o alimento e os recursos indispensáveis para vida saudável e digna. Ser pobre é ter casa, com salubridade e privacidade, ter assento à mesa e acesso à cidadania sempre mais plena por meio da educação e da participação.

Oxalá! Não sejamos como os levitas e sacerdotes que circulam como baratas tontas sem entender porque grassam violência no campo, miséria e fome na cidade (Jeremias 14,18). Brilhe a nossa luz pela partilha do pão, não só nos templos, mas em todas as casas (Isaías 58, 7-8). Que não haja entre nós famintos e necessitados, vítimas da injustiça e da iniquidade. Paz e bem.

(Publicado em Cáritas Brasileira, no dia 23 de outubro de 2013)

Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • A Aleteia é publicada em 8 idiomas: Português, Francês, Inglês, Árabe, Italiano, Espanhol, Polonês e Esloveno.
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

Tags:
BrasilfomePolíticaSaúde
Oração do dia
Festividade do dia





Top 10
TRIGEMELAS
Esteban Pittaro
A imagem de Nossa Senhora que acompanhou uma ...
Aleteia Brasil
O milagre que levou a casa da Virgem Maria de...
Philip Kosloski
3 poderosos sacramentais para ter na sua casa
OLD WOMAN, WRITING
Cerith Gardiner
A carta de uma irlandesa de 107 anos sobre co...
Aleteia Brasil
Quer dormir tranquilo? Reze esta oração da no...
Reportagem local
Corpo incorrupto de Santa Bernadette: o que o...
No colo de Maria
Como rezar o terço? Um guia ilustrado
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia