Receba o boletim diário da Aleteia gratuitamente no seu email.
Receba diretamente no seu email os artigos da Aleteia.
Cadastrar-se

Sem condições de apoiar?

Veja 5 formas de você ajudar a Aleteia

  1. Reze por nossa equipe e pelo êxito de nossa missão
  2. Fale sobre a Aleteia em sua paróquia
  3. Compartilhe os artigos da Aleteia com seus amigos e familiares
  4. Desative o bloqueio de publicidade quando nos visitar
  5. Inscreva-se para receber nosso boletim gratuito e leia-nos diariamente

Obrigado!
Redação da Aleteia

Enviar

Aleteia

Por que não somos pontuais?

© Aleksandr Markin/SHUTTERSTOCK
Compartilhar

Viver o valor da pontualidade é uma maneira de tornar a vida do próximo mais agradável

A falta de pontualidade denota desordem, mau uso do tempo, falta de planejamento em nossas atividades e, certamente, carência de uma agenda bem feita. Mas será que há algo a mais por trás disso?
 
O interesse, o desejo e os gostos estão muito associados à impontualidade. Ou seja, quando temos um interesse total em algo, como, por exemplo, uma entrevista de emprego, certamente chegaremos antes do horário combinado e tomaremos todas as medidas necessárias para cumprir este compromisso. Uma consulta no dentista já é diferente, porque ela nos incomoda e tentamos adiá-la até o último minuto.
 
Obviamente, há atividades que geram maior interesse ou atração; por isso, para algumas pessoas, o valor do tempo vai depender da situação. O resultado de viver de acordo com os nossos gostos é a perda de formalidade em nosso agir, o que vai gerando o vício de sempre chegar tarde.
 
Há outro fator que também influencia a pontualidade: a ordem. Quando não temos clareza de ideias, nem prioridades, uma lista de tarefas ou um guia que nos oriente, o mais comum é que se perca tempo facilmente. A preguiça, o esquecimento, a falta de concentração também são elementos que afetam a pontualidade.
 
Além do anterior, a falta de pontualidade tem certo grau de egocentrismo. Em outras palavras, parte-se do pressuposto de que o tempo dos outros é menos valioso que o nosso, então não importa chegar tarde, porque "a outra pessoa não é tão importante quanto eu". Além de egoísmo, isso denota desrespeito.
 
Mas não nos tornamos pontuais da noite para o dia. Para corrigir este hábito, é preciso ter vontade, disciplina, determinação, compromisso e responsabilidade em todos os propósitos.
 
Antes de começar a usar despertadores, encher agendas, escrever bilhetes que lembrem dos compromissos, é preciso mudar a mentalidade. Precisamos ser conscientes de que toda pessoa, evento, reunião, atividade ou consulta tem um grau particular de importância. Nossa palavra deverá ser sinônimo de garantia, para poderem contar com a nossa presença no momento preciso e necessário.
 
Unido a isso, é preciso encontrar as causas da nossa impontualidade, como as mencionadas anteriormente: interesse, importância, ordem, egocentrismo, preguiça, esquecimento, falta de concentração etc. Aqui é possível encontrar muitas respostas e também as soluções para desterrar este mau hábito.
 
Estabelecer uma ordem e delimitar prioridades é básico. Da mesma maneira, concentrar-se na atividade que estamos realizando, procurando manter nossa atenção para não divagar e aproveitar melhor o tempo. Talvez seja preciso recorrer a algumas ajudas, como lembretes no computador, agenda eletrônica, celular, pedir a um familiar ou amigo que nos lembre de certos compromissos etc.
 
Finalmente, é preciso fazer alguns ajustes em nosso novo estilo de vida, no contexto da pontualidade: talvez levantar um pouco mais cedo, adiantar uns minutos o relógio, estabelecer um horário, entre outras coisas.
 
Viver o valor da pontualidade é uma maneira de tornar a vida do próximo mais agradável, melhorar nossa ordem pessoal e transformar-nos em pessoas mais dignas de confiança.
São leitores como você que contribuem para a missão da Aleteia

Desde o início de nossas atividades, em 2012, o número de leitores da Aleteia cresceu rapidamente em todo o mundo. Estamos comprometidos com a missão de fornecer artigos que enriquecem, informam e inspiram a vida católica. Por isso queremos que nossos artigos sejam acessados por todos. Mas, para isso, precisamos da sua ajuda. O jornalismo de qualidade tem um custo (maior do que o que a propaganda consegue cobrir). Leitores como você podem fazer uma grande diferença, doando apenas $ 3 por mês.