Aleteia logoAleteia logoAleteia
Sexta-feira 23 Fevereiro |
Aleteia logo
Atualidade
separateurCreated with Sketch.

Imigrantes poloneses aumentam a demografia católica no Reino Unido

Jóvenes polacos JMJ – pt

© Fernanda sales/JMJ Rio 2013

Fr. Thiago Pereira, SCJ - Reparatoris - publicado em 27/11/13

A Igreja tem uma grande oportunidade em suas mãos. É chamada a fazer um trabalho com os imigrantes. Horizonte este que tem gerado novos planos pastorais

Comparada ao Reino Unido, a Polônia foi cristianizada tardiamente. Mas a Polônia continua sólida em seus fundamentos católicos, enquanto o Reino Unido, desde o século XVI, vê diminuir seu número de fiéis.

Reino Unido e catolicismo

A presença polonesa no Reino Unido, entretanto, tem mudado as taxas demográficas de cristãos nos países dessa região. Segundo a imprensa inglesa, nascem cerca de 18 mil crianças polonesas por ano na Inglaterra e País de Gales, e mais 2 mil na Escócia, que não tardam em ser batizados numa paróquia católica.

A taxa de natalidade das polonesas que vivem na Grã-Bretanha alcança o índice de 2,48, frente aos 1,84 das mulheres britânicas. Além disso, “no Reino Unido vivem 130 mil crianças menores de 14 anos que são polacas. Enchem a catequese das paróquias católicas e lotam as salas dos colégios católicos sempre que podem conseguir um (existem 2 mil colégios católicos na Inglaterra, com cerca de 725 mil alunos), afirmou o jornalista Pablo Ginés, em Religion en Libertad.

A atual situação da fé britânica é a seguinte: muitos, desacreditados na monarquia, também perderam a fé na religião oficial, o cristianismo anglicano, cujo representante maior é a rainha Elizabeth. O resultado dessa situação é: um grande número de anglicanos não-praticantes que, futuramente, casarão com uma filha de poloneses e se tornarão católicos praticantes, cujos filhos serão educados na fé cristã.

Filhos na Inglaterra

O Reino Unido oferece uma ajuda maior do que a Polônia para as mulheres gestantes, o que eleva o índice de filhos por família. Desta maneira, nascem mais crianças polonesas do que britânicas – salvaguardando, logicamente, as devidas proporções.

Em 2000, o Reino Unido possuía cinco milhões de imigrantes. Hoje, os números mudaram para oito milhões (13% da população), entre irlandeses, indianos e poloneses.
Muitos irlandeses, escoceses e galeses não se casam. Há 18 milhões de britânicos solteiros (um terço da população). Além disso, o número de divorciados subiu para 20% (4,5 milhões). Evidentemente, isso tudo afeta o índice de natalidade britânico.

Desafio para a Igreja

A Igreja tem uma grande oportunidade em suas mãos. É chamada a fazer um trabalho com os imigrantes. Horizonte este que tem gerado novos planos pastorais, como o “Projeto Londres”, dos Sacerdotes do Sagrado Coração de Jesus, que visa a fundação de uma comunidade internacional na capital da Inglaterra, a fim de que os padres dehonianos, provenientes de diversos países, possam trabalhar pastoralmente com os diversos grupos migratórios.

No ano de 2001, o censo do Reino Unido contabilizou 4,2 milhões de católicos na Inglaterra e País de Gales (8% da população). E, oito anos depois, apesar do “novo ateísmo”, já tinha 5,2 milhões (9,6% da população). Além disso, em meio a 51 milhões de habitantes na Inglaterra e Gales, aos domingos encontraremos 800 mil fiéis anglicanos em sua Igreja, ao passo que nas paróquias católicas poderemos contabilizar pouco mais que um milhão de fiéis. 

(Reparatoris)

Tags:
MigrantesViagem
Top 10
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia