Aleteia logoAleteia logo
Aleteia
Quinta-feira 29 Outubro |
São Sálvio
home iconEstilo de vida
line break icon

Feministas pró-aborto atacam catedral de Buenos Aires

Reprodução

Aleteia Vaticano - publicado em 12/12/13

Grupo de fiéis em oração é agredido e insultado. Imagem do papa Francisco é queimada.

"Se não respeitam nem a vida, não podemos esperar que respeitem as igrejas", resumiu o pároco da catedral de San Juan, em Buenos Aires, pe. Rómulo Campora, ao comentar o ataque cometido no dia 24 de novembro, um domingo, por um grupo de feministas pró-aborto. Dentro da catedral portenha, 700 pessoas estavam rezando acompanhadas pelo bispo dom Alfonso Delgado.

O ataque aconteceu durante o Encontro Nacional de Mulheres, uma reunião anual das feministas argentinas que dizem defender os "direitos das mulheres". O encontro, que acontece em várias cidades de todo o país, é patrocinado pelo Ministério da Cultura a título de “evento de interesse social”.

A polícia teria declarado à imprensa que não interveio para impedir o ataque porque “elas são mulheres”.

Depois de tentar sem sucesso entrar na catedral, as mulheres queimaram uma imagem em tamanho natural do papa Francisco, gritando: "Se o papa fosse mulher, o aborto seria legalizado" (LifeSiteNews, 2 de dezembro). Depois, elas dançaram ao redor dos restos da imagem.

O pe. Campora afirmou que "atear fogo à imagem do papa é um insulto não só para a Igreja, mas para todo e qualquer argentino, já que o papa é argentino".

De acordo com o site pró-vida ArgentinosAlerta.org, não é a primeira vez que as feministas cometem atos violentos contra os católicos e contra as suas igrejas. "Esses encontros de mulheres representam bem a civilização atual, que quer impor as suas próprias regras a todo mundo", comenta o site. "Por um lado, elas tentam impor a agenda política ditada por organizações internacionais: controle populacional, aborto, contracepção, homossexualidade. Por outro, tornam-se selvagens no sentido mais literal do termo".

Os fiéis tentaram defender a catedral e continuaram rezando o terço enquanto as ativistas gritavam: "Aborto sim, aborto não, sou eu que decido". Entre outras palavras de ordem, elas insultavam e cuspiam nos fiéis.

Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • A Aleteia é publicada em 8 idiomas: Português, Francês, Inglês, Árabe, Italiano, Espanhol, Polonês e Esloveno.
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

Tags:
Abortofeminismo
Oração do dia
Festividade do dia





Top 10
TRIGEMELAS
Esteban Pittaro
A imagem de Nossa Senhora que acompanhou uma ...
Aleteia Brasil
O milagre que levou a casa da Virgem Maria de...
Philip Kosloski
3 poderosos sacramentais para ter na sua casa
Reportagem local
Corpo incorrupto de Santa Bernadette: o que o...
Aleteia Brasil
Quer dormir tranquilo? Reze esta oração da no...
No colo de Maria
Como rezar o terço? Um guia ilustrado
OLD WOMAN, WRITING
Cerith Gardiner
A carta de uma irlandesa de 107 anos sobre co...
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia