Receba o boletim diário da Aleteia gratuitamente no seu email.
Newsletter Aleteia: uma seleção de conteúdos para uma vida plena e com valor. Cadastre-se e receba nosso boletim direto em seu email.
Registrar

Sem condições de apoiar?

Veja 5 formas de você ajudar a Aleteia

  1. Reze por nossa equipe e pelo êxito de nossa missão
  2. Fale sobre a Aleteia em sua paróquia
  3. Compartilhe os artigos da Aleteia com seus amigos e familiares
  4. Desative o bloqueio de publicidade quando nos visitar
  5. Inscreva-se para receber nosso boletim gratuito e leia-nos diariamente

Obrigado!
Redação da Aleteia

Enviar

Aleteia

Sem fraternidade não há paz

@DR
Compartilhar

Análise da primeira mensagem do Papa Francisco para o Dia Mundial da Paz

Em sua primeira mensagem para o Dia Mundial da Paz, o Papa Francisco afirma que não pode haver paz na terra sem justiça, e que não pode haver paz nem justiça sem fraternidade.
 
Mas tampouco haverá fraternidade sem paternidade: "A raiz da fraternidade está contida na paternidade de Deus. Não se trata de uma paternidade genérica, indistinta e historicamente ineficaz, mas do amor pessoal, solícito e extraordinariamente concreto de Deus por cada um dos homens" (n. 3).
 
O fato de não considerarmos todos como irmãos, filhos de um mesmo Pai, nos levou a uma lista de iniquidades:
 
– A persistente vergonha da fome no mundo
– As múltiplas formas de corrupção
– A formação das organizações criminosas
– O drama lacerante das drogas, com o qual alguns lucram
– A devastação dos recursos naturais e a contaminação
– A tragédia da exploração trabalhista
– A lavagem de dinheiro e a especulação financeira, que levam milhões de pessoas à pobreza
– A prostituição, que gera vítimas diariamente
– O abominável tráfico de seres humanos
– Os delitos e abusos contra menores
– A escravidão, que ainda espalha terror em muitos lugares do mundo
– A tragédia dos migrantes
– As condições inumanas de muitas prisões
– A globalização da indiferença, que nos habitua ao sofrimento do outro
 
Quase ninguém duvidaria deste elenco de horror que o Papa Francisco mostra, mas poucos percebem que só o amor dado por Deus nos permite acolher e viver plenamente a fraternidade; que "não podemos, porém, deixar de constatar que os acordos internacionais e as leis nacionais, embora sendo necessários e altamente desejáveis, por si sós não bastam para preservar a humanidade"; e que, diante de tudo isso, é preciso que a fraternidade seja "descoberta, amada, experimentada, anunciada e testemunhada", a partir de "uma conversão do coração que permita a cada um reconhecer no outro um irmão do qual cuidar e com o qual trabalhar para, juntos, construírem uma vida em plenitude para todos".
Boletim
Receba Aleteia todo dia