Aleteia
Terça-feira 27 Outubro |
São Fulco
Atualidade

O Papa Francisco incomoda a máfia?

© Mazur/catholicnews.o rg.uk

Lucandrea Massaro - publicado em 18/12/13

As palavras e ações do Papa Francisco são claras: luta contra armas, drogas e pobreza – terreno em que as máfias proliferam

As organizações criminosas que se desenvolvem junto às formas de corrupção, hoje tão estendidas, “ofendem gravemente Deus, prejudicam os irmãos e atentam contra a criação, mais ainda quando têm conotações religiosas”: estas são palavras do PapaFrancisco em sua mensagem para o Dia Mundial da Paz. Segundo ele, a política deve agir de maneira transparente e responsável, para favorecer uma fraternidade que gere paz social.


Obviamente, dizer isso em um país como a Itália tem suas repercussões. Segundo o juiz Nicola Gratteri, há líderes da máfia que estão ficando nervosos. A luta contra a lavagem de dinheiro nas estruturas financeiras da Santa Sé, a denúncia do narcotráfico, da prostituição, do tráfico de pessoas, da adoração do “deus suborno” são contínuas no discurso do PapaFrancisco, durante estes nove meses de pontificado – mas também o eram antes, em seu ministério em Buenos Aires.


Isso estaria gerando cólera entre os “poderosos chefões” (e grande esperança entre os que lutam contra a máfia), ainda que, segundo um sacerdote como Giacomo Panizza, denunciante ativo da “Ndrangheta” (a máfia de Calábria, no sul da Itália), não há, pelo menos até agora, um perigo direto para o Papa (Linkiesta, 12 de dezembro).


Para Dom Vincenzo Bertolone, arcebispo de Catanzaro e postulador da causa do Pe. Puglisi, o famoso padre assassinado pela máfia, o Papa, com sua ação curativa na Igreja, é um exemplo concreto de luta contra as máfias, e explica como mudou a atitude da Igreja com relação aos clãs: “A Igreja nunca ignorou totalmente o fenômeno mafioso, desde o pós-guerra. No entanto, sua compreensão e avaliação amadureceram gradualmente. A publicação, em 1991, do belíssimo e significativo documento dos bispos italianos “Educar na legalidade”, a visita de João Paulo II à Sicília e a morte de Puglisi marcam uma mudança de rumo”.


Desde então, explica o prelado ao Vatican Insider (12 de dezembro), “a denúncia civil é normativa, e sempre se acompanha de uma incisiva ação pastoral dirigida à reafirmação dos princípios evangélicos em sua dimensão humana e social. Já foi feita muita coisa, mas ainda resta muito por fazer na conscientização do fenômeno mafioso, não só na Sicília, mas na Igreja inteira. Sem exceções nem dúvidas”.


A edição italiana da Aleteia conversou sobre isso com Maurizio Patriciello, pároco de São Paulo Apóstolo, na província de Nápoles. Este padre é muito ativo na denúncia da catástrofe provocada pelo enterro de detritos tóxicos por parte da Camorra, na tristemente conhecida como “terra dos fogos”, com o conseguinte envenenamento da população.

Na mensagem para o Dia Mundial da Paz, o Papa condena abertamente o fenômeno mafioso. Você acha que ele está incomodando os mafiosos?


O Papa sempre vai incomodar quem tem a consciência suja, e os mafiosos são assim; então, não é de se estranhar que haja alguns “chefões” ressentidos pela ação do PapaFrancisco.

Como combater a “omertà” (lei do silêncio entre os mafiosos)?


Aqui na minha paróquia, eu sempre pergunto: vocês percebem o que significa “omertà”? É “omertà” ou medo? O Estado aqui é fraco e os mafiosos estão muito presentes na vida das pessoas. Infelizmente, aqui acontece que o desejo de normalidade precisa se tornar heroísmo. Aqui, o desejo de normalidade passa por atos de heroísmo e pelo sangue, tristemente.


A isso se une uma crise econômica duríssima: quando não se pode fazer mais do que uma refeição por dia, como pretender não ceder a certas tentações? A máfia se torna forte onde o Estado é fraco. É preciso esmagar a cabeça desta serpente, mas é necessário um compromisso forte de todos, começando pelas instituições.

Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • A Aleteia é publicada em 8 idiomas: Português, Francês, Inglês, Árabe, Italiano, Espanhol, Polonês e Esloveno.
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

Tags:
IgrejaPapa Francisco
Oração do dia
Festividade do dia





Top 10
Philip Kosloski
3 poderosos sacramentais para ter na sua casa
Aleteia Brasil
Quer dormir tranquilo? Reze esta oração da no...
TRIGEMELAS
Esteban Pittaro
A imagem de Nossa Senhora que acompanhou uma ...
Aleteia Brasil
O milagre que levou a casa da Virgem Maria de...
No colo de Maria
Como rezar o terço? Um guia ilustrado
SAINT MICHAEL
Philip Kosloski
Oração a São Miguel por proteção contra inimi...
São Padre Pio de Pietrelcina
Oração de cura e libertação indicada pelo exo...
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia