Aleteia logoAleteia logoAleteia
Domingo 21 Abril |
Aleteia logo
Atualidade
separateurCreated with Sketch.

Panorama laboral da América Latina

desempleo brasil – pt

© MAURICIO LIMA / AFP

Associated Press - publicado em 19/12/13

Segundo o relatório da Organização Internacional do Trabalho, as perspectivas são difíceis

Os salários cresceram menos, continuou a informalidade laboral e a quantidade de jovens desempregados nas cidades foi maior que nas zonas rurais: estas são algumas das conclusões do Panorama Laboral da América Latina, apresentado na terça-feira pela Organização Internacional do Trabalho (OIT).

O relatório mostrou que os salários dos latino-americanos em 2013 só cresceram entre 1% e 2,6%, devido à perda do "dinamismo econômico" regional. "O crescimento econômico perde força. Em 2013, registra um aumento moderado de 2,7%. O prognóstico para 2014 é de uma leve melhoria, de 3,1%, em um cenário de incerteza na economia internacional", afirma a pesquisa.

Segundo o estudo, a informalidade laboral chega a 130 milhões de latino-americanos, compostos em sua maioria por trabalhadores independentes, de pequenas empresas, de serviço doméstico e por aqueles que trabalham para um familiar. "De cada 10 trabalhadores latino-americanos e caribenhos, pelo menos 3 não têm acesso a nenhum tipo de proteção social."

Por outro lado, 14,8 milhões de homens e mulheres procuraram emprego em 2013, sem sucesso. O estudo mostrou que a taxa de desemprego foi mais baixa nas zonas rurais que nas cidades. De acordo com o relatório, a maior parte dos desempregados é composta por jovens.

"O desânimo e a frustração sem dúvida contribuíram para que 22 milhões de jovens não estudassem nem trabalhassem. Não é por acaso que, em diversas cidades, foram os jovens que encabeçaram protestos questionando o sistema", afirmou.

A OIT, cujo escritório regional se encontra em Lima (Peru), prepara este relatório anualmente, há duas décadas.

Tags:
Trabalho
Top 10
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia