Aleteia

Papa Francisco: estar aberto às surpresas de Deus

© ALBERTO PIZZOLI / AFP
Compartilhar

“Ser jesuíta significa ser uma pessoa de pensamento incompleto, aberto, porque pensa sempre mirando no horizonte que é a glória de Deus”, afirmou o Papa

O Papa Francisco afirmou hoje que os cristãos devem ter o pensamento aberto às surpresas de Deus, porque Ele sempre nos surpreende.

O Papa presidiu à Missa na Igreja de Jesus, no centro de Roma, um templo da Companhia de Jesus, os jesuítas, Ordem a que pertence Francisco.

Em sua homilia, o Papa pediu que os jesuítas sigam o exemplo de São Pedro Fabro, um dos primeiros companheiros de Santo Inácio e fundador da Companhia de Jesus.

“Pedro Fabro era completamente centrado em Deus e por isso, podia ir, em espírito de obediência e muitas vezes a pé, a qualquer lugar da Europa e dialogar com todos com doçura, anunciando o Evangelho”.

“Um dos maiores desejos de Fabro era ser ‘dilatado’ em Deus, ele queria dedicar o centro de seu coração a Jesus, era devorado pelo anseio de comunicar o Senhor. E nós também devemos deixar agir em nós o fascínio de Jesus”.

O Papa Francisco afirmou que os jesuítas querem “ter os mesmos sentimentos de Cristo”. Isso significa “pensar como Ele, querer bem como Ele, ver como Ele, caminhar como Ele. Significar fazer tudo o que Ele fez, com os sentimentos de seu coração”.

“Ser jesuíta significa ser uma pessoa de pensamento incompleto, aberto, porque pensa sempre mirando no horizonte que é a glória de Deus, que nos surpreende sempre”, disse.

É preciso “procurar Deus para encontrá-lo, e encontrá-lo para procurá-lo e achá-lo ainda e sempre”.

“É esta inquietude que dá paz ao coração de um jesuíta, uma inquietude apostólica, que não nos deixa jamais cansar de anunciar o querigma, de evangelizar com coragem. Sem inquietude, somos estéreis”, afirmou o Papa. 

(Com informações da Rádio Vaticano)

Boletim
Receba Aleteia todo dia