Aleteia
Quarta-feira 28 Outubro |
São Sálvio
Estilo de vida

Quando roubam o sorriso de uma criança

© aboikis

Manuel Bru - publicado em 03/01/14

Podem ter todos os brinquedos e aparelhos do mundo, mas lhes falta o mais importante

Dizem que, daqui a algumas centenas de anos, analisarão os arquivos dos nossos costumes e dirão que as pessoas do século 21 estavam loucas, porque, entre outras coisas, a belíssima tradição dos presentes de Natal ou dos Reis Magos se transformou em mero consumismo.

Dirão que as crianças, cada vez menos amadas, menos escutadas, menos levadas em consideração, eram bombardeadas cada vez mais com brinquedos; que seus quartos pareciam o barco de um náufrago que juntou tudo o que podia, ou a vitrine de uma loja, local para estacionar as crianças durante horas, meses, anos, como uma prolongada incubadora, para vê-las, controlá-las, mantê-las calados e isoladas.

Dirão que, enquanto alguns tinham brinquedos saindo pelas orelhas, sem ter sequer tempo para dedicar-se a cada um deles (fora o colégio, judô, balé, violão, inglês), outros (a maioria, mas desconhecida, porque não aparecia nos comerciais da televisão) se contentavam com uma bola furada, um pedaço de tábua com uma corda ou as peças de um brinquedo quebrado que foi caridosamente doado pelos pais de uma criança rica, depois da faxina em seu dormitório-jaula.

Com o passar do tempo, muitas pessoas vão perdendo uma característica própria das crianças: a capacidade de se surpreender, de maravilhar-se, de assombrar-se. Isso sim é sagrado, e me dói a alma cada vez que vejo uma criança cujo sorriso foi roubado.

crianças – as da bola furada – cujos sorrisos já não existem porque receberam doses cavalares de dor, de miséria, de perigos da rua (que é como uma selva com animais selvagens), de falta de recursos, sobretudo da segurança dos seus pais (que estão ainda mais perdidos na selva que elas).

Outras – as do quarto que parece vitrine – também tiveram seus sorrisos roubados. Não é apenas tédio, mas falta de vontade, decepção. Elas têm de tudo, mas lhes falta o mais importante: o presente do olhar, do carinho, da ternura, do tempo, muito tempo.

Estas crianças não têm os perigos das ruas, mas têm o perigo de não aprender jamais o que significa amar e ser amado; correm o risco de tornar-se robôs comerciais, discípulos fiéis do individualismo.

Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • A Aleteia é publicada em 8 idiomas: Português, Francês, Inglês, Árabe, Italiano, Espanhol, Polonês e Esloveno.
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

Tags:
FilhosNatal
Oração do dia
Festividade do dia





Top 10
TRIGEMELAS
Esteban Pittaro
A imagem de Nossa Senhora que acompanhou uma ...
Philip Kosloski
3 poderosos sacramentais para ter na sua casa
Aleteia Brasil
Quer dormir tranquilo? Reze esta oração da no...
Aleteia Brasil
O milagre que levou a casa da Virgem Maria de...
No colo de Maria
Como rezar o terço? Um guia ilustrado
Pe. Zezinho
Francisco Vêneto
Duas emissoras brasileiras deturpam fatos em ...
Reportagem local
Corpo incorrupto de Santa Bernadette: o que o...
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia