Aleteia
Segunda-feira 26 Outubro |
São Fulco
Religião

Entenda por que é preciso ter cuidado com os objetos sagrados

© DR

Juan Ávila Estrada - publicado em 21/01/14

Terços, escapulários e imagens não são "amuletos": os objetos consagrados a Deus não substituem a relação com Ele

É a Palavra de Deus que nos permite crescer e melhorar nossa relação com Ele no caminho da vida.


Ao longo desse processo, há um costume generalizado, infelizmente, que se dá muitas vezes por falta de formação, e consiste em "divinizar" certos objetos. Em outras palavras, acabamos dando a certos objetos um poder que eles não têm; esquecemos de Deus e ficamos com as coisas que O representam ou que nos remetem a Ele.


Quando entramos em nossas igrejas, encontramos imagens, por exemplo. Uma das tentações que se tem é acreditar que delas emana um poder salvador e, por isso, muitos se aproximam delas, as tocam e fazem o sinal da cruz. Não há nada de mal nisso, mas é preciso recordar que as imagens, em si, não têm poder algum; não existem objetos com poder. O único poder procede da pessoa de Deus, não das coisas que foram consagradas a Ele.


A Bíblia nos ensina isso (cf. 1 Samuel, 4, 1-11). Os israelitas eram pessoas muito religiosas, mas tinham inimigos demais ao seu redor, entre eles os filisteus. Mesmo tendo a proibição de fazer imagens de qualquer coisa do céu ou da terra e prestar-lhe culto, houve um momento em que, sem perceber, acabaram prestando culto e reverência a duas coisas: o templo de Jerusalém e a arca da aliança.


Isso lhes dava segurança e os fazia pensar que nada de ruim aconteceria ao seu povo enquanto estas duas relíquias estivessem com eles. Os israelitas não perceberam que, pouco a pouco, a arca e o templo se tornaram objetos deificados, chegando quase a ser considerados como amuletos. "É o templo do Senhor, o templo do Senhor", repetiam, quase como um mantra de proteção.


As batalhas nas quais os israelitas se envolveram muitas vezes iam precedidas pela arca; o livro do Êxodo (25, 10ss) mostra como eles acreditavam que a arca era a "presença" de Deus, com toda a sua divindade. Mas, nesta batalha contra os filisteus, quando a arca foi levada de Siló, os israelitas não apenas foram duramente derrotados, senão que a arca foi sequestrada. Mas não era ela o próprio Deus no meio do seu povo em batalha? Não. Era um objeto sagrado, mas não era Deus.


O que tinha acontecido? Os israelitas haviam abandonado Deus para ficar comodamente com as coisas que o representavam, acreditando que os objetos poderiam salvá-los; trocaram o Deus das coisas pelas coisas de Deus. A arca se tornou um amuleto de salvação para eles.


Nenhum objeto religioso nos dá a salvação nem a vitória contra o pecado e a tentação. O que nos dá a vitória na batalha é a obediência irrestrita, o culto autêntico ao Deus dos céus.


Muitos anos depois, também o templo seria destruído duas vezes, para nunca mais ser reconstruído. A arca desapareceria e eles compreenderam que só Deus tem o poder de salvar e curar.


Hoje, é necessário voltar às fontes dessa salvação, recordar que qualquer relíquia, imagem ou coisa sobre a qual se tenha pronunciado uma bênção não substitui de forma alguma nossa relação com Deus, e que não há nada em absoluto que possa nos salvar, a não ser o amor de Deus por meio de Jesus Cristo.


A vida sacramental (Batismo, Confissão, Eucaristia – esta última sendo presença real de Jesus na terra) são as verdadeiras ferramentas pelas quais o Senhor quer chegar a cada pessoa, a cada um dos seus filhos, pois, por meio delas, é o próprio Deus quem se aproxima com ternura para fazer de nós criaturas novas e salvas em seu nome. A isso podemos acrescentar a leitura assídua da Palavra, a vida em comunidade e o cumprimento fiel dos preceitos divinos.


Os melhores altares para a divindade são aqueles que levantamos na alma e que têm como pedestal um coração contrito e humilde. As imagens são apenas imagens: não contêm Deus, nenhuma delas é Deus, elas apenas O representam.


Somente a Eucaristia é Deus e, diante dela, todo joelho deve se dobrar, no céu, na terra e no abismo, e toda língua deve proclamar que Jesus Cristo é o Senhor, para a glória de Deus.

Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • A Aleteia é publicada em 8 idiomas: Português, Francês, Inglês, Árabe, Italiano, Espanhol, Polonês e Esloveno.
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

Tags:
DeusImagens
Oração do dia
Festividade do dia





Top 10
Philip Kosloski
3 poderosos sacramentais para ter na sua casa
Aleteia Brasil
Quer dormir tranquilo? Reze esta oração da no...
TRIGEMELAS
Esteban Pittaro
A imagem de Nossa Senhora que acompanhou uma ...
Papa Francisco
Francisco Vêneto
Papa Francisco e casais homossexuais: o que e...
Aleteia Brasil
O milagre que levou a casa da Virgem Maria de...
SAINT MICHAEL
Philip Kosloski
Oração a São Miguel por proteção contra inimi...
Rosário
Philip Kosloski
Benefícios do Rosário: 3 virtudes que aprende...
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia