Aleteia logoAleteia logo
Aleteia
Quinta-feira 21 Janeiro |
São Sebastião
home iconReligião
line break icon

Não podemos dormir tranquilos

John Perivolaris

Padre João Carlos Almeida, scj - Vox Gaudium - publicado em 10/02/14

A Igreja é esta mãe que volta seu coração preferencialmente para os que estão doentes, fracos, debilitados, excluídos

No dia 17 de agosto o Papa Francisco postou em sua conta verificada no twitter a frase: “Não podemos dormir tranquilos enquanto houver crianças que morrem de fome e idosos que não têm assistência médica.” Há um universo por trás deste grito breve e intenso de solidariedade. É a concretização da opção preferencial pelos pobres na figura de duas categorias extremas: crianças e idosos.

Qual é a mãe ou pai que dorme tranquilo sabendo que seu filho de três anos está com 40º de febre? A Igreja é esta mãe que volta seu coração preferencialmente para os que estão doentes, fracos, debilitados, excluídos. Alguém me perguntou se o pobre não pode ser todo aquele que precisa de Deus. Neste caso até os ricos mais ricos seriam de certa forma pobres. Esta forma de colocar as coisas chega a ser cínica. O pobre sabe que é pobre e não optamos preferencialmente por ele somente porque é pobre. Não se trata de uma opção sociológica. É uma opção teológica. Isto significa que seguimos os passos de Jesus que “se fez pobre por nós, para enriquecer-nos com a sua pobreza (cf. 2 Cor 8,9), conforme recordou o Papa Bento XVI na abertura da Conferência de Aparecida, em 2007.

A Igreja na América Latina tematizou de modo emblemático a “opção preferencial pelos pobres”, em 1979, na Conferência do Episcopado Latino-americano em Puebla. Mas, na verdade, a reflexão começara 10 anos antes, em 1968 na Conferência de Medellín que soou como um eco do Concílio Vaticano II (1962-1965). O capítulo 14 do documento final tratou da “Pobreza da Igreja”. Percebeu o título? É exatamente o que afirmou o papa Francisco logo após sua eleição: “Como eu gostaria de uma Igreja pobre, para os pobres”. Sua simplicidade e solidariedade com os pobres tem sido um testemunho que até quem não crê admira e vê.

O Documento de Medellín abre seu capítulo 14 com a frase: “O Episcopado Latino-americano não pode ficar indiferente ante as tremendas injustiças sociais existentes na América Latina, que mantêm a maioria de nossos povos numa dolorosa pobreza, que em muitos casos chega a ser miséria desumana.” É nesta convicção que se apoia o papa Francisco para dizer de modo atualizado que não podemos dormir tranquilos se um irmão está sofrendo. Em seguida Medellín reconhece que não é possível que padres e bispos desfrutem até de cooisas supérfluas se o povo passa fome. Pede-se que a Igreja seja pobre com os pobres.

Medellín distinguiu três formas de pobreza. A pobreza material dos bens necessários à vida é um mal que rouba a dignidade da pessoa humana. Na bíblia esta situação é denunciada pelos profetas e vista como fruto da injustiça e do pecado humano. A segunda forma de pobreza é espiritual. Esta é a atitude de abertura e disponibilidade ao Senhor. É valoriza mas não se apegar aos bens deste mundo reconhecendo como valor supremo o Reino de Deus. A terceira acepção de pobreza é o compromisso assumido em favor dos pobres. É a solidariedade seguindo o exemplo de Cristo. Citando o Papa Paulo VI o Documento de Medellín afirma: “A pobreza da Igreja e de seus membros na América Latina deve ser sinal e compromisso. Sinal do valor inestimável do pobre aos olhos de Deus; compromisso de solidariedade com os que sofrem”. Estas três acepções de pobreza evoluiram para o ficou conhecido como “opção preferencial pelos pobres”, qua foi assimilada pela Igreja como parte importante de sua Doutrina Social.

Como vemos, o Papa Francisco em suas frases claras e marcantes tem como fundamento o que está nos documentos da Igreja e que nem sempre lemos com toda a atenção. Quem dormir tranquilo sabendo que seu irmão passa fome, pague aluguel do nome de “cristão”.

Tags:
Pobreza
Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • A Aleteia é publicada em 8 idiomas: Português, Francês, Inglês, Árabe, Italiano, Espanhol, Polonês e Esloveno.
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

Oração do dia
Festividade do dia





Top 10
1
Larry Peterson
Ela se divorciou duas vezes, teve 8 filhos, virou freira e levou ...
2
FETUS
Francisco Vêneto
Abortos no mundo em 2021 já superam mortes por covid em toda a pa...
3
Pope Audience Wednesday
Vatican News
A importância de ir à Missa aos domingo, segundo o Papa Francisco
4
POPE AUDIENCE
Reportagem local
A oração de cura que pode ser dita várias vezes por dia
5
Aleteia Brasil
Na íntegra: as três partes do Segredo de Fátima - e uma interpret...
6
BLESSED CHILD
Philip Kosloski
Cubra seus filhos com a proteção de Deus através desta oração bíb...
7
Aleteia Brasil
O testemunho de São Sebastião, o soldado mártir do Império Romano
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia