Aleteia logoAleteia logo
Aleteia
Domingo 25 Julho |
home iconReligião
line break icon

Quando nossa pequenez nos aproxima de Deus

© Raúl Hernández González

Carlos Padilla Esteban - publicado em 14/03/14

Nossas fraquezas são uma ponte que nos liga ao céu quando aceitamos a misericórdia de Deus

Precisamos da experiência do perdão para poder depois ser misericordiosos. Uma pessoa dizia: "Em minha carência de amor, reconhecida diante de Deus, é onde posso encontrar a fonte de amor para refletir esse amor aos outros. Na medida em que experimento a misericórdia de Deus em mim, posso oferecer misericórdia".

É precisamente a Confissão que nos torna humildes e necessitados de misericórdia. Cada vez que recorremos à Confissão, nós nos humilhamos e isso nos faz bem, porque assim crescemos em humildade. Nós nos tornamos pobres e necessitados.

Frente ao nosso pecado, Deus nos oferece a imensidade da sua graça, da sua misericórdia. Seu perdão é infinito. Nossa fraqueza é uma ponte que nos conduz ao céu, um caminho que nos eleva ao mais alto.

O Pe. Kentenich dizia: "Nossas faltas e misérias são o meio mais valioso para levar-nos aos braços do Deus Todo-poderoso. A esta luz, a experiência das nossas fraquezas morais nos fará ver a verdade daquelas palavras de São Paulo: gloriar-se na fraqueza (cf. 2 Cor 11, 30). Minha fraqueza me encaminha à misericórdia de Deus. É preciso tirar proveito das nossas faltas e pecados; elas são como um adubo".

Precisamos ver o pecado como algo natural, porque, se não o enfrentamos de maneira saudável, ele se torna um bloqueio e não nos deixa amar. O coração se bloqueia e não permite que o amor e a vida fluam. Acabamos nos fechando à ação de Deus em nossa vida, à ação da graça.

Mas também é muito comum perder a consciência do pecado. Muitos não se confessam porque não veem nenhum motivo para pedir perdão. Nada lhes parece pecado e não são conscientes de suas quedas e culpas.

Frente ao extremo dos escrúpulos, encontra-se esta consciência laxa, na qual não há culpa. A pessoa não se sente responsável pelos seus atos. As circunstâncias, os outros, a vida, permitem que ajamos de uma ou outra maneira. Já não parecemos culpados, já não falamos de pecado.

E, quando não temos consciência de termos pecado, então nos endurecemos e afastamos. A falta de consciência do pecado nos torna autossuficientes. Assim, perdemos a experiência do perdão, o poder palpar a imensidão da graça com a qual Deus atua.

O primeiro pecado do homem, narrado pelo Gênesis, tem a ver com esse desejo de ser como Deus. O homem não quer errar, não quer pecar, quer ser capaz de tudo. De fato, não gostamos dos limites. Queremos decidir, dominar, governar. Não queremos obediência e submissão. É o desejo de ser todo-poderosos. Fugimos dos limites e das barreiras.

Todos nós pecamos dessa soberba que nos faz querer ser como deuses. É a soberba que nos leva a fugir de Deus, porque seu poder nos espanta e limita. Sentimo-nos fracos diante do seu amor.

A atração do poder e de possuir a glória e a honra. O medo de que o outro tome as rédeas e nos submeta aos seus caprichos.

A tentação de ser poderosos, de controlar a vida, de ter o futuro em nossas mãos. O querer que a vida seja decidida de acordo com o nosso critério, de acordo com os nossos desejos. E, ao mesmo tempo, a tentação de possuir, de ter honra e fama. A tentação que nos leva a querer ter tudo: todos os reinos, toda a fama, toda a glória.

E acabamos esquecendo que as pessoas precisam ver Deus em nós. O seu rosto, não o nosso. Sua pobreza, e não nossa aparente riqueza. É a Ele a quem servimos.

Tags:
AmorDeusPecado
Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • Aleteia é publicada diariamente em sete idiomas: inglês, francês,  italiano, espanhol, português, polonês e esloveno
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

Top 10
1
Reportagem local
A arrepiante oração de uma mulher no corredor da morte por ser ca...
2
CROSS;
Reportagem local
O que significa o sinal da cruz feito sobre a testa, os lábios e ...
3
Aleteia Brasil
Sorrisão e joelhos: 2 pais brasileiros e seus bebês que emocionar...
4
Papa Francisco
Reportagem local
Papa: como não culpar Deus diante da morte de um ente querido
5
JENNIFER CHRISTIE
Jeff Christie
Minha mulher engravidou de um estuprador – e eu acolhi o bebê nas...
6
st charbel
Reportagem local
Por acaso não está acontecendo o que São Charbel disse?
7
PADRE PIO
Philip Kosloski
A oração que Padre Pio fazia todos os dias ao Anjo da Guarda
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia