Aleteia logoAleteia logo
Aleteia
Sexta-feira 30 Julho |
Santos Abdon e Sénen
home iconEstilo de vida
line break icon

A beleza da maternidade

© PublicDomainPictures

Samuel Gutiérrez - publicado em 26/03/14

A verdadeira mãe é aquela que quer se entregar de corpo e alma aos seus pequenos

Nas últimas semanas, tive a alegria de contemplar, em diversas ocasiões, uma daquelas cenas que, pela sua beleza e simplicidade, conseguem tornar o dia especial: bebês nos braços de suas mães. Neste caso, eram duas mães de primeira viagem. A cena era de uma ternura inigualável. Antiga como o tempo, mas sempre nova.

A chegada do primeiro filho ao lar é uma aventura que não pode ser descrita. Há temores, cansaço, incertezas… Mas o amor costuma ganhar a batalha. O instinto materno, até então oculto, aparece com força e dissipa toda sombra de dúvida. Não faltarão provações nem dificuldades no caminho, mas o amor é quem guia e o medo já não tem a última palavra.

A maternidade é um mistério. Os laços que se tecem com essa criatura fraca e totalmente dependente são tão fortes, que fogem do mero critério biológico.

Nos braços da mãe, o filho se sente protegido. É o tempo do primeiro amor. De sussurrar ao ouvido e cantarolar as primeiras canções de ninar. Já mais crescidos, não costumamos lembrar disso, mas tenho certeza de que esses primeiros meses de intensa relação com a mãe são decisivos na hora de ir formando a própria personalidade.

A maternidade biológica é uma maravilha. Um presente. Mas também existem outros tipos de maternidade, não ligadas necessariamente à carne. Quando há amor, quando há gratuidade na entrega, os laços podem ser iguais ou até mais fortes que na maternidade biológica. O que determina a diferença é a qualidade da entrega.

É mãe aquela mulher que deseja sê-lo. Aquela que se entrega de corpo e alma aos seus pequenos. A que não se foca em si mesma, mas tem o olhar dirigido aos seus filhos.

Um exemplo belíssimo e muito fértil dessa maternidade não biológica é a da “Mãe Angélique”: por este nome é conhecida uma freira agostiniana do Congo por numerosas mulheres e crianças que, graças a ela, puderam reconstruir suas vidas.

Angélique Namaika se dedica, há mais de 10 anos, a acompanhar mulheres e crianças vítimas da violência do LRA. Marcadas desde muito jovens pela violência física e sexual, rejeitadas também muitas vezes pelas suas famílias, a Mãe Angélique vai ao seu encontro, as acolhe, as escuta e, com amor, cura suas feridas.

É uma maternidade de cura que caracteriza esta religiosa africana de olhar profundo e voz serena. Ela garante, no entanto, que não é uma heroína, que muitas vezes se sente sozinha e tem medo.

“Minha força vem do Senhor – reconhece. É Ele quem me convida a amar estas mulheres com amor de mãe”.

Tags:
AmorFilhosMaternidade
Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • Aleteia é publicada diariamente em sete idiomas: inglês, francês,  italiano, espanhol, português, polonês e esloveno
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

Oração do dia
Festividade do dia





Top 10
1
Ítalo Ferreira
Reportagem local
Ouro no surfe em Tóquio, Ítalo Ferreira rezou todos os dias às 3h...
2
SIMONE BILES
Cerith Gardiner
Simone Biles deixa as Olimpíadas com uma lição importante para to...
3
Batizado de Davi Henrique, 6 anos
Reportagem local
Davi, de 6 anos, reclama do padre no batizado: “Tá sabendo ...
4
CANDLELIGHT PROCESSION AND ROSARY
Elizabeth Zuranski
A oração escondida no fim da Ave-Maria
5
HIDILYN DIAZ
Cerith Gardiner
Olimpíadas: depois de ganhar o ouro, atleta exibe outra medalha e...
6
morning
Philip Kosloski
Uma oração da manhã fácil de memorizar
7
Madagascar
Francisco Vêneto
Seca e fome em Madagascar obrigam pessoas a comer solas de sapato...
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia