Aleteia
Quarta-feira 21 Outubro |
São Bertoldo de Parma
Estilo de vida

Para dar, é preciso ter recebido antes

© Toni Pallares / Flickr / CC

Carlos Padilla Esteban - publicado em 26/03/14

Nossa vocação é ser fontes, mas para isso precisamos buscar o poço que as alimenta

É difícil passar sede. É duro viver continuamente com sede. A sede do deserto. A sede da solidão. A sede do pecado, da angústia. Cristo, do alto da cruz, diz: “Tenho sede”. Mas a sede de Jesus é sede de amor, do nosso amor sincero. Ele tem sede de nós, que muitas vezes lhe fechamos a porta. Tem sede da nossa vida, que com frequência desperdiçamos.


O homem de hoje também tem muita sede. Sede de uma água pura, sede de verdade, de justiça, de amor, de paz. Sede de uma família na qual descansar, de um lar no qual enraizar-se. Sede de um Deus que acalme sua necessidade de infinito. Sede de perdão, de misericórdia, de uma mão que o socorra e o tire de sua dor. Sede de saúde, de vida plena, de alegria.


Muitas vezes, caminhamos com sede. Só quem tem sede deseja beber. Só quem experimentou a seca pode, cansado, suplicar por água. Às vezes, nem percebemos essa nossa sede: vivemos os dias automaticamente e não olhamos para o nosso interior.


A Quaresma é esse momento de deserto, de olhar para dentro de nós, de parar um pouco, de ver nossa sede, nossa inquietude. Tempo de pedir a Deus e ao próximo que nos dê de beber, que nos dê a água que nos falta.


É verdade que, se não sabemos de que temos sede, não podemos pedir nada. E se não conhecemos a sede do próximo, não podemos dar nada. Mas às vezes vivemos assim, cada um com a sua água, desconhecendo a água do outro, a sede do outro, a minha sede, a minha água.


Qual é a minha sede? Aquilo por que eu anseio, o que me inquieta, o que me acontece e não me deixa repousar, isso que me queima por dentro. E qual é a água que eu posso dar? Meus dons, qualidades, minha capacidade de amar.


E qual é a sede do meu próximo? Qual é a água que os outros têm e que me falta? Sei pedi-la?


Precisamos voltar aos poços dos quais é possível tirar água pura. Abbé Pierre disse: “Para que haja fontes no deserto, é preciso haver poços escondidos na montanha”. Da fonte mana a água que vem dasprofundezas do poço.


Nós temos a vocação de ser fontes, mas para isso precisamos buscar o poço que as alimenta, o poço do qual podemos tirar a água da qual necessitamos.


Segundo S. Alberto Magno, “existem três tipos de plenitude: a do vaso, que retém e não dá; a do canal, que dá e não retém; e a da fonte, que cria, retém e dá”. Queremos dar a água que recebemos, queremos nos abrir para que muitos possam beber. Não queremos ser como o vaso nem como o canal. Isso não nos basta. Nossa vocação é ser fontes.


Mas, para isso, o poço precisa ter água. Se a fonte está seca, é porque o poço também está. O poço precisa ser profundo, para que a água nunca se acabe. Para isso, precisamos votar sempre novamente a esses lugares nos quais podemos nos encher de água e de vida.


Quais são as fontes das quais bebemos? Como enchemos de água nosso próprio poço? Os lugares nos quais abastecemos nosso poço podem ser lugares santos, nos quais o coração vibra, se enamora, descansa e sonha.


Mas também podem ser pessoas santas que nos enchem de Deus, aquelas pessoas de cuja autenticidade e verdade podemos beber, nas quais podemos descansar. São lares nos quais somos o que temos de ser, sem medo de ser rejeitados.

Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • A Aleteia é publicada em 8 idiomas: Português, Francês, Inglês, Árabe, Italiano, Espanhol, Polonês e Esloveno.
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

Tags:
AmorDeusQuaresma
Oração do dia
Festividade do dia





Top 10
Aleteia Brasil
Quer dormir tranquilo? Reze esta oração da no...
CARLO ACUTIS
John Burger
Como foram os últimos dias de vida de Carlo A...
violência contra padres no Brasil
Francisco Vêneto
Outubro de cruz para padres no Brasil: um per...
TRIGEMELAS
Esteban Pittaro
A imagem de Nossa Senhora que acompanhou uma ...
SAINT JOSEPH SLEEPS
Philip Kosloski
Durma em paz com esta breve oração a São José
Pe. Gilmar
Reportagem local
Padre é encontrado após três dias desaparecid...
No colo de Maria
Como rezar o terço? Um guia ilustrado
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia