Receba o boletim diário da Aleteia gratuitamente no seu email.

Sem condições de apoiar?

Veja 5 formas de você ajudar a Aleteia

  1. Reze por nossa equipe e pelo êxito de nossa missão
  2. Fale sobre a Aleteia em sua paróquia
  3. Compartilhe os artigos da Aleteia com seus amigos e familiares
  4. Desative o bloqueio de publicidade quando nos visitar
  5. Inscreva-se para receber nosso boletim gratuito e leia-nos diariamente

Obrigado!
Redação da Aleteia

Enviar

Aleteia

Conselhos para ser um escritor católico

© Paloma Baytelman / Flickr / CC
Compartilhar

Para comunicar Deus, é preciso tê-lo no coração, pois é Ele quem toca as pessoas

Muitas pessoas me escrevem perguntando o que precisam fazer para iniciar uma editora ou ser um escritor católico. Isso me faz lembrar de um jovem que queria conhecer o “passo a passo” a ser seguido e me questionou: “Qual é a primeira coisa que devo fazer?”. Então, eu respondi: “A primeira coisa é ir ao Sacrário. Antes de começar, visite Jesus”.
 
É do Sacrário que extraímos a força necessária para iniciar qualquer projeto; no Sacrário está a nossa esperança. Para comunicar Deus, é preciso tê-lo no coração. Sua graça e sua paz serão tão grandes, que você não conseguirá guardá-las apenas para você mesmo.
 
Este anseio que você experimenta não é seu. Foi Ele quem, em seu infinito amor, fixou seus olhos em você. E é maravilhoso o que você quer fazer com sua vida: escrever é um dom que pode ser colocado ao serviço das pessoas.
 
A seguir, algumas sugestões simples:
 
1. Comece a visitar Jesus no sacrário diariamente. Se puder, participe da Missa todos os dias também. Uma boa confissão sacramental é de grande ajuda. A comunhão diária, conservar o estado de graça e visitar Jesus são ações que servem como combustível para começar.
 
Tenha um caderninho sempre à mão. Todos os meus livros, sex exceção, eu comecei a escrever em minhas visitas ao Sacrário ou durante uma Missa. As ideias fluem nesses momentos e são tantas, que preciso dizer a Jesus: “Calma, vá devagar”.
 
2. Leia livros de espiritualidade que possam alimentar seu espírito e lhe mostrar o caminho a seguir. Algumas sugestões:
 
– História de uma alma (Santa Teresinha)
– Imitação de Cristo (Tomás de Kempis)
– O peregrino russo
Deus existe e eu o encontrei (Frossard)
– Buscando Deus (Larigaudie)
– Orações para rezar na rua (Michel Quoist)
– Livros sobre a vida dos santos
 
Estes livros não falam de teologia profunda ou de coisas complicadas. Contam histórias, vivências cotidianas. E se apoiam na Bíblia. Eu procurei seguir seus exemplos e só narro histórias, vivências cotidianas, coisas que aconteceram comigo ou que me contaram. E uso muitas citações bíblicas.
 
3. Passe mais tempo a sós com Deus. Você e Ele. E escute-o.
 
4. Depois de iniciar este caminho, pegue um papel e comece a contar suas histórias e a forma como Deus se fez presente em sua vida. Você não precisa fazer mais nada. Eu não dou palestras, só escrevo. O resto, o importante, é Deus quem faz. É Ele quem toca os corações, quem transforma as pessoas e as faz renascer.
 
Alguns conselhos práticos:
 
1. Escreva histórias simples. E use sempre citações bíblicas.
 
2. Não diga nada negativo, pois para isso já existem os jornais. Faça algo diferente, dê esperança, mostre que é possível, que acontecem coisas boas no mundo.
 
3. Que o livro não ultrapasse 150 páginas. Quanto mais curto, melhor.
 
4. Um livro não é escrito em um dia. Cada dia é diferente, novo. Por isso, comece sempre com algo novo, diferente, que leve a Deus.
 
5. Use frases curtas. Cada frase corresponde a uma respiração. Uma vez terminado um capítulo, leia-o em voz alta, e então você perceberá onde é necessário colocar uma vírgula ou um ponto.
 
6. Peça a algum amigo ou amiga (que conheça de ortografia) que revise seu texto. Use também corretores ortográficos.
 
Agora é a sua vez. Que bom que você quer ser um escritor de Jesus! Que o bom Deus o guie sempre.
 
(Por Claudio de Castro, diretor do Grupo Editorial Vida)

Tags:
Deus