Aleteia logoAleteia logo
Aleteia
Sábado 24 Julho |
home iconAtualidade
line break icon

Por que os católicos amam as teorias da evolução e do Big Bang?

Brian Wright

Daniel McInerny - Aleteia Vaticano - publicado em 03/04/14

A série de documentários "Cosmos", de Carl Sagan, pode não ser tudo o que gostaríamos, mas não pelas razões que você imagina

O título deste artigo não pretende ser jocoso. O catolicismo é mesmo apaixonado pelas teorias da evolução e do Big Bang. Nós, católicos, não temos nenhuma razão para nos unir aos protestos recentes dos nossos irmãos cristãos em defesa dos relatos bíblicos da criação e contra a série de documentários "Cosmos", da rede FOX.

Quem espera que os católicos se juntem às vozes que condenam o programa, organizado pelo astrofísico norte-americano Neil deGrasse Tyson, deve estar se perguntando por que nós preferimos explicar o nosso amor pelas teorias evolucionistas e pelo Big Bang.

Já vou tentar explicar. Mas, antes, proponho que você leia estes breves excertos de dois documentos importantes:

"Hoje, as novas descobertas levam ao reconhecimento da teoria da evolução como mais do que uma hipótese. É notável que esta teoria tenha sido progressivamente aceita pelos pesquisadores com base em uma série de descobertas em vários campos do conhecimento. A convergência dos resultados de trabalhos realizados de forma independente já é, em si mesma, um argumento significativo a favor dessa teoria".

Quem faz esta declaração é o papa João Paulo II, em sua mensagem de 1996 para a Academia Pontifícia das Ciências. Ele afirma que a teoria da evolução é "mais do que uma hipótese": é o melhor relato que nós temos sobre a emergência e o desenvolvimento material das espécies.

Agora leia também a seguinte passagem de uma homilia do papa emérito Bento XVI, na Festa da Epifania de 2011:

"Não devemos deixar que as nossas mentes sejam limitadas por teorias que só chegam até certo ponto, e que, se olharmos com mais atenção, estão longe de competir com a fé, porque não conseguem explicar o sentido último da realidade. Não podemos deixar de perceber, na beleza do mundo, o seu mistério, a sua grandeza e a sua racionalidade, a eterna racionalidade; nem podemos dispensar, sob a sua orientação, o único Deus, criador do céu e da terra".

O contexto desta passagem, uma meditação sobre a estrela seguida pelos reis magos até a manjedoura de Belém, indica com força que, quando menciona as "teorias que só chegam até certo ponto", Bento XVI está pensando na teoria do Big Bang. À primeira vista, ele parece rejeitá-la. Mas continue lendo: ele afirma que essas teorias "estão longe de competir com a fé".

Isto nos leva à razão pela qual os católicos não só não têm problema algum com as teorias da evolução e do Big Bang, como também as amam positivamente. Por quê? Porque os católicos amam a verdade e acreditam que a verdade é fundamentalmente una: assim, a verdade científica, sendo verdade, não pode contradizer a verdade teológica. Em outras palavras: os católicos acreditam na absoluta harmonia entre fé e razão.

É por isso que não temos medo de abraçar as teorias científicas bem fundamentadas.

Outra coisa crucial a entender sobre a visão católica da ciência é que ela enxerga as teorias da evolução e do Big Bang como "causas materiais". A teoria da evolução, por exemplo, explica como as espécies vieram a ser e como, em determinados contextos, elas deixaram de ser. A teoria do Big Bang explica como a matéria formou fisicamente o universo. Ambas as teorias, no entanto, ficam bem aquém de explicar tudo o que precisa ser explicado, em particular sobre os seres humanos.

Como o papa João Paulo II observa na mencionada mensagem à Pontifícia Academia das Ciências, a teoria da evolução não explica a natureza do ser humano, dotado de uma alma intelectual que anseia por sobreviver à morte do corpo. Essa lacuna da ciência, no entanto, é aceitável, já que uma explicação dessas é tarefa da filosofia e da teologia, e não dos cientistas.

  • 1
  • 2
Tags:
CiênciaVirtudes
Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • Aleteia é publicada diariamente em sete idiomas: inglês, francês,  italiano, espanhol, português, polonês e esloveno
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

Top 10
1
Reportagem local
A arrepiante oração de uma mulher no corredor da morte por ser ca...
2
CROSS;
Reportagem local
O que significa o sinal da cruz feito sobre a testa, os lábios e ...
3
Aleteia Brasil
Sorrisão e joelhos: 2 pais brasileiros e seus bebês que emocionar...
4
Papa Francisco
Reportagem local
Papa: como não culpar Deus diante da morte de um ente querido
5
Atriz Claudia Rodrigues
Reportagem local
Assessora pede orações por atriz Claudia Rodrigues: “está m...
6
PADRE PIO
Philip Kosloski
A oração que Padre Pio fazia todos os dias ao Anjo da Guarda
7
Orfa Astorga
Até que idade é saudável morar na casa dos pais?
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia