Aleteia

Como surgiram os ovos e o coelhinho da Páscoa?

© MANDY GODBEHEAR/SHUTTERSTOCK
Compartilhar

Ao chegar o cristianismo ao norte da Europa, algumas tradições continuaram as mesmas, mas o sentido mudou

O que tem a ver o ovo da páscoa com o coelho? Coelho põe ovo? Na realidade, este símbolo pascal está relacionado com uma lenda da páscoa alemã (Ostern). A Alemanha era uma terra onde não havia cristianismo, apenas bárbaros pagãos. Por isso, toda a população cultuava deuses e um deles era a Eostre (deusa da fertilidade).

Conta uma lenda alemã que numa tarde de primavera a deusa transformou o pássaro que havia pousado no seu braço em um coelho, a fim de que as crianças pudessem brincar com ele. Mas a transformação não agradou o passarinho e este, agora coelho, estava muito triste. As crianças pedem que a deusa transforme a lebre em pássaro novamente. Entretanto, era inverno e Eostre não tinha forças para fazê-lo.

Mas quando chega a nova primavera a deusa da fertilidade recobra as suas forças e transforma o coelho. Quando este vira pássaro, põe ovos e os dá à deusa como forma de agradecimento. E às crianças dá ovos pintados. Até hoje se tem esse costume na Alemanha e no sul do Brasil. Quando chega a Páscoa dão-se ovos pintados com amendoim doce dentro para as crianças, bem como os ovos de chocolate – que são uma invenção francesa originada muitos anos depois.

Ao chegar o cristianismo ao norte da Europa, porém, algumas tradições continuaram as mesmas, mas o sentido mudou. É na primavera (ressurreição/páscoa) que Deus demonstra a sua força de mudar as coisas. E é através da nossa vida, transformada por Jesus, que devemos amar a Deus e aos que vivem conosco – através dos “ovos”, isto é, aquilo que temos e somos.

(Reparatoris)

Boletim
Receba Aleteia todo dia