Sem condições de apoiar?

Veja 5 formas de você ajudar a Aleteia

  1. Reze por nossa equipe e pelo êxito de nossa missão
  2. Fale sobre a Aleteia em sua paróquia
  3. Compartilhe os artigos da Aleteia com seus amigos e familiares
  4. Desative o bloqueio de publicidade quando nos visitar
  5. Inscreva-se para receber nosso boletim gratuito e leia-nos diariamente

Obrigado!
Redação da Aleteia

Enviar

Aleteia

Por que são santos?

Public Domain
Compartilhar

Primeiro briefing sobre a canonização de Papa Roncalli e Papa Wojtyla

O primeiro briefing desta semana em preparação para a Canonização de João Paulo II e João XXIII teve como tema “Por que são santos?”. Hoje estavam presentes os postuladores das causas de canonização dos dois Beatos: Padre Giovangiuseppe Califano, dos Frades Menores, para Papa Roncalli, e o presbítero polaco, Mons Slawomir Oder para Papa Woityla

A santidade de João XXIII era um objetivo que ele cultivava em qualquer época da vida, como padre, bispo e Papa, sempre renovado através de quatro resoluções. Quando tinha 15 anos, ainda seminarista, escreveu: “Eu renovo a proposta de ser santo de verdade, e farei através quatro resoluções que me proponho de prática: espírito de união com Jesus, recolhimento no Seu coração, oração do Rosário, ser sempre consciente em todas as minhas ações”.

Padre Califano caracterizou a santidade de João XXIII a uma vida de profunda humildade e abandono à Providência, simples e envolvente e leve. No fim do dia Papa Roncalli dizia “Deus é tudo, eu sou nada: isto me basta”. Concluindo, ele era um pastor e padre, de uma paternidade que comovia o mundo, feita de alegria e cordialidade, qualidades que deram seu apelido “Papa bom”.

A verdadeira bondade do Papa João XXIII está na obediência que viveu, abandonando-se à Divina Providência, desligando-se de si mesmo para aderir completamente a Cristo. A radicalidade de sua santidade se encontra na obediência evangélica à voz do Senhor. 

Mons Slawomir Oder citou os companheiros universitários do Beato João Paulo II, que escreviam no seu quarto “Futuro Santo”, impressionados com  sua atitude na oração e reflexão sobre o valor da vida, provavelmente relacionada a uma infância de sofrimento pela perda em um curto período de tempo, de toda a família. 

A fé simples e popular de João Paulo II se deve ao seu pai, bem como ao atual arcebispo de Cracóvia. Também caracterizavam sua personalidade sua profundidade mística e coragem de afrontar as adversidades com tenacidade, lendo sempre na história a presença de Deus.

A tarefa do Papa, assim como a da Igreja – repetia sempre João Paulo II – é evangelizar e levar todos à santidade. 

São leitores como você que contribuem para a missão da Aleteia

Desde o início de nossas atividades, em 2012, o número de leitores da Aleteia cresceu rapidamente em todo o mundo. Estamos comprometidos com a missão de fornecer artigos que enriquecem, informam e inspiram a vida católica. Por isso queremos que nossos artigos sejam acessados por todos. Mas, para isso, precisamos da sua ajuda. O jornalismo de qualidade tem um custo (maior do que o que a propaganda consegue cobrir). Leitores como você podem fazer uma grande diferença, doando apenas $ 3 por mês.