Aleteia logoAleteia logo
Aleteia
Quinta-feira 29 Outubro |
São Colmano
home iconAtualidade
line break icon

Tribunal sudanês condena cristã à morte por acusação de apostasia

<p>A catedral católica de São Mateus perto da capital sudanesa, Cartum</p>

Agências de Notícias - publicado em 16/05/14

Durante a audiência, após um longo discurso de um líder religioso muçulmano que tentou convencê-la, a jovem disse de maneira calma ao juiz: "sou cristã e nunca cometi apostasia"

Um tribunal de Cartum condenou nesta quinta-feira à morte na forca uma cristã sudanesa de 27 anos por apostasia, sem levar em consideração os apelos dos países ocidentais a favor da liberdade religiosa.

A jovem, grávida de oito meses, está detida com o filho de 20 meses, segundo a organização Anistia Internacional (AI), que pede sua libertação imediata.

"Demos três dias para abjurar de sua fé, mas você insistiu em não voltar ao Islã. Eu a condeno à pena de morte na forca", declarou o juiz Abas Mohamed al-Khalifa, que se dirigiu à mulher pelo sobrenome de seu pai, que é muçulmano.

Meriam Yahia Ibrahim Ishag (seu nome cristão) também foi condenada a receber 100 chicotadas por "adultério".

A jovem permaneceu impassível ao ouvir o veredicto.

Durante a audiência, após um longo discurso de um líder religioso muçulmano que tentou convencê-la, a jovem disse de maneira calma ao juiz: "sou cristã e nunca cometi apostasia".

Quase 50 pessoas protestaram contra a sentença na porta do tribunal e prometeram prosseguir com os protestos. "Não à execução de Meriam", "Os direitos religiosos são um direito constitucional", diziam alguns dos cartazes.

Um manifestante garantiu que o movimento de protesto continuará com as ocupações até que a jovem seja libertada.

As condenações ocidentais não demoraram a aparecer.

Várias pessoas foram até o tribunal para ouvir o veredicto, sobretudo, diplomatas de embaixadas estrangeiras.

O Departamento de Estado americano pediu ao governo sudanês que "respeite o direito à liberdade religiosa contemplado em sua própria Constituição interina de 2005".

"Condenamos com firmeza essa sentença e impelimos o governo sudanês a respeitar as obrigações contempladas pelas leis internacionais de direitos humanos", acrescentou a porta-voz do Conselho de Segurança Nacional, Caitlin Hayden.

O secretário de Estado britânico de Relações Exteriores encarregado da África, Mark Simmonds, disse estar "verdadeiramente consternado".

"Essa sentença bárbara mostra a cruel brecha entre as práticas dos tribunais sudaneses e as obrigações internacionais do país em matéria de Direitos Humanos", declarou, em um comunicado.

Na terça-feira, as embaixadas dos Estados Unidos, Canadá, Reino Unido e Holanda já haviam manifestado "preocupação" com o caso da sudanesa. Em um comunicado conjunto, essas missões diplomáticas pediram ao governo do Sudão que respeitasse o "direito à liberdade de religião e, em particular, o direito de mudar de fé, ou de crença".

De acordo com a Anistia Internacional, Ishag foi criada no Cristianismo ortodoxo, a religião de sua mãe, já que o pai, muçulmano, esteve ausente durante sua infância. Alguns anos depois, a jovem se casou com um cristão do Sudão do Sul.

A AI afirma que a lei islâmica em vigor no Sudão estipula que uma muçulmana não pode casar com um homem de outra religião. Apesar de o regime islamita sudanês ter introduzido a lei corânica em 1983, as condenações à morte ainda são raras.

(AFP)

Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • A Aleteia é publicada em 8 idiomas: Português, Francês, Inglês, Árabe, Italiano, Espanhol, Polonês e Esloveno.
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

Tags:
ÁfricaMuçulmanospena de mortePerseguição
Oração do dia
Festividade do dia





Top 10
TRIGEMELAS
Esteban Pittaro
A imagem de Nossa Senhora que acompanhou uma ...
Aleteia Brasil
O milagre que levou a casa da Virgem Maria de...
Philip Kosloski
3 poderosos sacramentais para ter na sua casa
Reportagem local
Corpo incorrupto de Santa Bernadette: o que o...
Aleteia Brasil
Quer dormir tranquilo? Reze esta oração da no...
OLD WOMAN, WRITING
Cerith Gardiner
A carta de uma irlandesa de 107 anos sobre co...
No colo de Maria
Como rezar o terço? Um guia ilustrado
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia