Aleteia
Terça-feira 27 Outubro |
São Fulco
Atualidade

Exército russo recua ao menos 10km da fronteira ucraniana

<p>O presidente russo, Vladimir Putin</p>

AFP - publicado em 20/05/14

Esta é a primeira vez que a Rússia mostra claramente sua vontade de diminuir a tensão

As tropas russas recuaram a pelo menos 10 quilômetros da fronteira com a Ucrânia, um gesto simbólico para acalmar a tensão, a cinco dias da eleição presidencial fundamental para o futuro do país.

Várias vezes anunciada pelo Kremlin, a retirada dos soldados mobilizados ao longo da fronteira nunca havia sido confirmada pela Aliança Atlântica e os Estados Unidos. Esta é a primeira vez que a Rússia mostra claramente sua vontade de diminuir a tensão.

Após sobrevoar 820 km de fronteira, os guardas da fronteira constataram a movimentação, que acontece no momento em que o homem mais rico da Ucrânia, Rinat Akhmetov, maior empregador da região leste, mergulhada em uma insurreição armada pró-russa, faz um apelo aos ucranianos por uma oposição aos separatistas.

A posição firme do oligarca em favor da unidade da Ucrânia constitui uma derrota para os separatistas e uma possível virada na crise.

Dez quilômetros

"Nós podemos dizer que as tropas russas estão agora a pelo menos 10 quilômetros da fronteira. Sobre o que acontece para além (desses 10 km), não sou eu que devo responder", mas os russos, declarou Sergui Astakhov, comandante da Guarda de Fronteira.

O presidente russo, Vladimir Putin, ordenou na segunda-feira que suas tropas retornassem aos seus quartéis, mas nem a Otan nem os Estados Unidos confirmaram a retirada.

Nesta terça-feira, o ministério da Defesa russo indicou que as tropas estavam na fase de preparativos para a partida.

Acusada por Kiev de apoiar a rebelião armada, a Moscou havia mobilizado 40.000 soldados perto da fronteira ucraniana, como parte de manobras militares.

A demonstração de força alimentou na Ucrânia, Europa e Estados Unidos o temor de uma invasão da Ucrânia, após a anexação em março da península da Crimeia.

O anúncio da retirada das tropas russas ocorre em meio a confrontos esporádicos entre insurgentes armados e soldados ucranianos nas regiões separatistas da Lugansk e Donetsk, no leste.

Akhmetov contra os separatistas

A ação de Rinat Akhmetov pode representar um ponto de inflexão na crise ucraniana, já que o oligarca — dono de um vasto conglomerado de carvão e aço — é extremamente influente no leste do país.

Ele pediu nesta terça-feira a todos os seus funcionários que protestem pacificamente contra os separatistas pró-Rússia do leste do país, a cinco dias das eleições presidenciais.

"Peço a todos os meus funcionários de Donbass (sudeste da Ucrânia) que protestem pacificamente diante das empresas nas quais trabalham", afirma o bilionário ucraniano em um comunicado do grupo System Capital Management (SCM).

"As pessoas estão cansadas de viver com medo e terror. Estão cansadas de sair às ruas e de serem vítimas de tiros. Pessoas caminham com armas e lança-granadas. As cidades são cenários de atos de vandalismo e de saques", destacou Akhmetov, que segundo a revista Forbes tem uma fortuna de 12,2 bilhões de dólares.

As manifestações diante das fábricas, minas e empresas de energia do empresário deveriam começar por volta do meio-dia na cidade portuária de Mariupol, em Donetsk, assim como em várias cidades do leste da Ucrânia.

Akhmetov se envolveu nos últimos dias na defesa de seus funcionários e de seus complexos industriais contra os separatistas.

Milícias não armadas, recrutadas entre os funcionários de Akhmetov, foram criadas para ajudar a restaurar a ordem na cidade de 500.000 habitantes.

Ao posicionar-se como um homem de paz, o empresário pediu às autoridades de Kiev o fim da operação militar "antiterrorista" iniciada em 13 de abril para retomar o leste do país, ao mesmo tempo em que pediu aos ativistas pró-Rússia que desistissem da independência e negociassem com Kiev.

  • 1
  • 2
Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • A Aleteia é publicada em 8 idiomas: Português, Francês, Inglês, Árabe, Italiano, Espanhol, Polonês e Esloveno.
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

Tags:
Mundo
Oração do dia
Festividade do dia





Top 10
Philip Kosloski
3 poderosos sacramentais para ter na sua casa
Aleteia Brasil
Quer dormir tranquilo? Reze esta oração da no...
TRIGEMELAS
Esteban Pittaro
A imagem de Nossa Senhora que acompanhou uma ...
Aleteia Brasil
O milagre que levou a casa da Virgem Maria de...
No colo de Maria
Como rezar o terço? Um guia ilustrado
SAINT MICHAEL
Philip Kosloski
Oração a São Miguel por proteção contra inimi...
São Padre Pio de Pietrelcina
Oração de cura e libertação indicada pelo exo...
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia