Receba o boletim diário da Aleteia gratuitamente no seu email.
Alimente o seu espírito. Receba grátis os artigos da Aleteia toda manhã.
Inscreva-se

Sem condições de apoiar?

Veja 5 formas de você ajudar a Aleteia

  1. Reze por nossa equipe e pelo êxito de nossa missão
  2. Fale sobre a Aleteia em sua paróquia
  3. Compartilhe os artigos da Aleteia com seus amigos e familiares
  4. Desative o bloqueio de publicidade quando nos visitar
  5. Inscreva-se para receber nosso boletim gratuito e leia-nos diariamente

Obrigado!
Redação da Aleteia

Enviar

Aleteia

Uma procissão eucarística em plena Universidade de Harvard

A Shepherd's Post
Compartilhar

“Grandes eventos” podem ser meros golpes publicitários, mas este, cheio de jovens universitários, foi diferente

A decisão de um grupo de estudantes da Universidade de Harvard de realizar uma “missa negra” no campus precipitou uma resposta maciça dos católicos dos Estados Unidos e de muitas outras partes do mundo. Eu ouvi falar de paróquias de todo o país que organizaram Horas Santas no mesmo momento em que o evento em Harvard estava programado (nota da redação: a “missa negra”, depois de muita polêmica, acabou sendo cancelada).
 
Eu mesmo participei de uma procissão eucarística magnífica do campus do MIT até a igreja de São Paulo, na Harvard Square. Centenas de católicos acompanharam o Senhor Eucarístico pela avenida em Cambridge, onde milhares de espectadores testemunharam o rebanho de fiéis que seguiam o seu Bom Pastor.
 
Eu não sou fã de “grandes eventos”: acho que eles correm o risco de virar substitutivos da verdadeira fé. Às vezes, parece que o esforço dedicado ao planejamento e à execução supera em muito os próprios benefícios. Esses eventos podem ser vistos, ainda, como golpes publicitários ou como uma forma de provocar fortes reações emocionais, mas com efeitos de curta duração. A procissão eucarística daquela noite, no entanto, me deu uma sensação diferente. Quando olhei ao meu redor e vi todos aqueles estudantes universitários, jovens, de várias universidades das redondezas, fiquei tocado pelo amor deles à Eucaristia e pelo seu desejo sincero de seguir a Cristo.
 
Durante o ano passado, uma coisa que realmente me impressionou, no caso dos universitários que eu encontrei, foi a fé eucarística. Muitas vezes, quando estou do lado de fora da igreja aos domingos antes da missa, eles me pedem: “Padre, o senhor teria tempo para uma confissão rápida?”. Todos os dias, durante trinta minutos antes da missa diária, eu ouço confissões. É raro o dia em que não aparece ninguém. E na missa dominical, há jovens que entram na fila da comunhão e pedem uma bênção em vez da Eucaristia: eu presumo que, depois de examinarem a consciência, eles decidem não receber a comunhão sem antes receber o sacramento da absolvição.
 
Tudo isso, para mim, é muito marcante. Eles não são jovens legalistas. Não são pessoas de consciência presa à mera letra da norma. Eles são, simplesmente, jovens que amam nosso Senhor e querem recebê-lo com devoção. O amor deles pela Eucaristia e a espontaneidade com que eles pedem o sacramento da penitência é um belo testemunho de Cristo e da sua graça. Eu me enriqueço muito com o exemplo deles.
 
Tudo isso me vem à mente hoje enquanto eu penso no “grande evento” da procissão eucarística e na blasfema “missa satânica” que o precipitou. Lembro-me da minha própria necessidade de aprofundar continuamente a devoção à Eucaristia. Esses eventos impulsionam todos nós a examinar e a renovar o nosso amor pelo Santíssimo Sacramento. Eu amo a Eucaristia? Eu vivo uma vida coerente com a Eucaristia que recebo? Eu me examino humildemente antes de receber a Eucaristia? Eu dedico tempo à oração diante do Santíssimo Sacramento e faço visitas ao Senhor Eucarístico? Eu recebo a Eucaristia com reverência? Ou ando distraído e descuidado?
 
Neste caso, o “grande evento” serviu para que todos nós, católicos, tentemos agir com mais coerência. Estávamos indignados com o sacrilégio prestes a ser cometido contra a Eucaristia, e com toda a razão, mas temos que ter a certeza de que não estamos agindo como simples "manifestantes" em nossa relação com a Eucaristia. Precisamos nos tornar mais eucarísticos em nossa vida diária. Este “grande evento” deve aprofundar o nosso desejo de crescer na intimidade eucarística. Queremos ter certeza de que nós mesmos não somos sacrílegos, blasfemos ou descuidados.
 
Eu acho que o “grande evento” da procissão eucarística na Universidade de Harvard dará mais frutos se for seguido pelos católicos de todos os lugares: se examinarmos a nossa consciência, confessarmos humildemente os nossos pecados e recebermos a absolvição.

Para mim, a procissão eucarística foi um testemunho incrível de pessoas que mostram o seu amor pela Eucaristia. Na minha vida, porém, o testemunho mais poderoso e mais convincente da fé eucarística é ver a procissão diária dos estudantes universitários a caminho do confessionário.

(Shepherd’s Post)

Boletim
Receba Aleteia todo dia
São leitores como você que contribuem para a missão da Aleteia

Desde o início de nossas atividades, em 2012, o número de leitores da Aleteia cresceu rapidamente em todo o mundo. Estamos comprometidos com a missão de fornecer artigos que enriquecem, informam e inspiram a vida católica. Por isso queremos que nossos artigos sejam acessados por todos. Mas, para isso, precisamos da sua ajuda. O jornalismo de qualidade tem um custo (maior do que o que a propaganda consegue cobrir). Leitores como você podem fazer uma grande diferença, doando apenas $ 3 por mês.