Aleteia logoAleteia logo
Aleteia
Terça-feira 22 Junho |
Santo Eusébio de Samosata
home iconEstilo de vida
line break icon

Eu odiava a Igreja Católica, mas a graça de Deus me tocou

Aquinas College

Ignacio Pérez Tormo - publicado em 23/05/14

O escritor britânico Joseph Pearce, especialista em Chesterton, fala da sua própria conversão

JosephPearce é professor de literatura inglesa e autor de biografias de escritores britânicos como Chesterton, C. S. Lewis e Oscar Wilde, entre outros. Foi batizado na Igreja Católica já adulto.

Sua biografia acaba de ser publicada em espanhol (“Mi carrera com el diablo”). Para apresentá-la, Pearce passou por várias cidades espanholas. Em Barcelona, pudemos dialogar com ele sobre o processo criativo do seu último livro e seu conteúdo: sua conversão ao catolicismo.

As tendências modernas a fazer biografias não se limitam a descrever a realidade que se observa, mas, de certa forma, a transfigurá-la, transformá-la. Nisso, Pearce tem um bom Colaborador.

O que sua biografia pode oferecer aos leitores?

Espero que o meu livro demonstre que ninguém está fora do alcance da glória de Deus. Eu já fui preso duas vezes por delitos ligados ao ódio. Odiei a Igreja Católica. Mas ninguém está fora do alcance da graça. Espero que as pessoas leiam o livro, sejam elas cristãs, anticristãs… Que sejam tocadas pela graça de Deus e, pelo menos que ele seja um empurrão na direção certa.

O diabo está no título do seu livro. Ele o assusta?

O título é, obviamente, um jogo de palavras com o termo “race”, de “raça” e “corrida”. Mas acho que o mal é satânico, porque existe uma dimensão acima da natureza. Não sou um relativista. Acho que a corrida com o diabo não está vencida. Ainda estou nela. Acho que ela só vai acabar quando morrermos. Todos nós temos anjos da guarda para ajudar-nos, temos santos para ajudar-nos e demônios para tentar-nos. Penso que há uma dimensão sobrenatural acima da realidade.

Os amigos “mortos” de Pearce: Chesterton e Oscar Wilde

A leitura de um livro de Chesterton (“The well and the shallows”), enquanto cumpria pena na prisão pela segunda vez, o fez descobrir algo cuja presença sentia que o acompanhava desde a infância. “Era o bom, o belo e o verdadeiro”, explica. Desde então, ele tem paixão pela leitura dos seus escritores favoritos. Isso o levou a escrever suas biografias. Mas agora ele nos surpreende com a biografia de alguém a quem conhece.

O que você aprendeu escrevendo a biografia de outros, para escrever sobre si mesmo?

Ao escrever biografias de escritores que nos tocam, chegamos a conhecer muito bem a pessoa sobre a qual escrevemos. Às vezes, digo que tenho como melhores amigos alguns homens mortos. Se você passa muitas horas pesquisando e escrevendo a biografia de um homem (Chesterton, Oscar Wilde etc.), acaba conhecendo-o e ele o ajuda a entender a natureza humana. Escrever uma autobiografia é outra história. Você não consegue deixar de ser subjetivo, mas é preciso aspirar à objetividade.

Você teve uma experiência intensa de Deus, uma conversão, e escreveu um livro. Por que o livro?

Primeiramente, porque sou escritor. Mas também porque as pessoas sabiam mais extensamente sobre o meu passado em uma organização nazista e nos grupos anticatólicos da Irlanda do Norte do que sobre a minha nova vida cristã.

Comecei a sentir cada vez mais que precisava contar a história. Adiei a ideia por muito tempo, porque não tinha certeza de estar preparado para isso. De certa forma, é a coisa mais dura que já escrevi. É muito pessoal e eu quis ser honesto. Mas acho que era preciso fazer isso e estou contente por ter escrito.

Tinha chegado a hora. Ele já se sentia preparado para descrever seu caminho rumo a Deus. E define sua situação atual como de “amor racional”. Pearce agora é razão e amor: cabeça e sorriso. Com sua cabeça ordenada, ganhou o respeito dos seus colegas e editores. Com seu sorriso, o coração de todos.

Tags:
Igreja Católica
Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • Aleteia é publicada diariamente em sete idiomas: inglês, francês,  italiano, espanhol, português, polonês e esloveno
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

Oração do dia
Festividade do dia





Top 10
1
BABY GIRL
Mathilde de Robien
12 nomes de meninas cujo significado é ligado a Deus
2
Lucía Chamat
A curiosa foto de “Jesus” que está comovendo a Colômb...
3
Frank Stephens Global Down Syndrome Foundation
Reportagem local
“Eu tenho Síndrome de Down e não deveria precisar justifica...
4
SPANISH FLU
Philip Kosloski
Os poderosos conselhos do Padre Pio durante uma pandemia na Itáli...
5
Imagem de Nossa Senhora intacta após explosão
Francisco Vêneto
Viraliza imagem de Nossa Senhora intacta após explosão de carro-b...
6
Gelsomino Del Guercio
Estuprada, queimada viva e salva pela chuva: mas o milagre maior ...
7
Miguel Cuartero Samperi
Menino de 2 anos obrigado a se transformar em menina: uma tortura...
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia