Aleteia logoAleteia logo
Aleteia
Sábado 27 Fevereiro |
Santa Honorina
home iconEstilo de vida
line break icon

Transexuais: será que o corpo humano mente?

Wikimedia

Bioeticaweb - publicado em 28/05/14

Apesar dos slogans ideológicos, a ciência afirma que a natureza humana exige coerência entre os genes e o sexo fisiológico

Assistimos a um experimento antropológico que se apoia na biotecnologia, com a pretensão de nos levar a um tipo de ser humano para o qual não existem sexos, apenas “papéis”, e segundo o qual a identidade sexual, ser homem ou mulher, é de livre escolha. Mas isso significa que não é importante, ou inclusive não é necessária, a conexão psicológica entre “eu e o meu corpo”?

Vivemos uma crescente preocupação pela saúde, pelo bem-estar físico e pela aparência física. Mas isso significa que é possível compreender nós mesmos, entender o que ocorre em nosso interior, à margem do próprio corpo?

Quando algo ou alguém nos afeta e desperta um sentimento, percebemos isso precisamente no corpo. Nosso corpo nos comunica com os outros e vice-versa. Será que podemos nos dar a entender e entender os outros se criamos uma situação de desencontro entre o eu, minha intimidade e o meu corpo?

Os conhecimentos atuais da biologia humana (especialmente os dados das neurociências) sobre a identidade sexual nos permitem analisar com seriedade, sem preconceitos, sem juízos de valor de nenhum tipo e sem transfobias as consequências do afastamento do próprio corpo.

O sexo corporal é determinado pela herança biológica recebida dos pais. Em primeiro lugar, pela diferente informação genética do par de cromossomos XX da mulher, ou XY do homem. Em segundo lugar, porque os padrões de feminilidade e masculinidade começam a funcionar ordenadamente por componentes específicos do cromossomo Y ou do par XX. A mesma herança genética (23 pares de cromossomos) está presente em todas as células do organismo.

Os genes das células que constituem os ovários ou testículos (que, por sua vez, geram as células de transmissão da vida, sejam femininas – óvulos – ou masculinas – espermatozoides), bem como as células que formam os genitais, e as células do cérebro, se ativam ou se silenciam ao compasso dos hormônios sexuais, cuja síntese é dirigida pela ausência de um cromossomo Y na mulher ou pela sua presença no homem.

Os órgãos da reprodução e o cérebro têm sexo. Só um corpo de mulher forma e amadurece óvulos, e só um corpo de homem produz espermatozoides. O estado do DNA dos óvulos é diferente do estado do material genético dos espermatozoides. Esse estado do DNA específico do sexo é um selo parental.

É bem conhecido que, para que um indivíduo viva e se desenvolva, é preciso que a dotação genética herdada, composta por 23 pares de cromossomos, tenha o selo materno em um dos cromossomos e cada par e o paterno no outro cromossomo.

Existe, nos primatas, uma barreira biológica por enquanto instransponível, que faz cair por terra a possibilidade de que um bebê nasça de um pai e sem mãe ou de uma mãe e sem pai. Pelo menos até agora (e não parece ser de outra forma), cada pessoa humana precisa ser filho(a) de um e de outro.

Por enquanto, e possivelmente para sempre, a ideia de uma reprodução assexuada, natural ou artificial, ou por manipulação dos óvulos e espermatozoides, não passa de ficção. A biotecnologia não conseguiu ultrapassar os limites da biologia.

A produção artificial de óvulos ou espermas a partir de células-tronco imaturas de uma mulher ou homem não deu resultados, pelo menos por enquanto. A reprodução artificial exige doadores humanos em cujo corpo se formara os gametas (óvulos ou espermatozoides), ou seus precursores.

É possível que a biotecnologia não veja necessidade de que se formem no corpo de uma mulher ou de um homem, respectivamente. Mas nem por isso deixaria de ser muito significativo humanamente o fato de que a identidade própria de cada pessoa é dada necessariamente pelo seu pai e sua mãe “biológicos”.

  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
Tags:
generoSexualidade
Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • Aleteia é publicada diariamente em sete idiomas: inglês, francês,  italiano, espanhol, português, polonês e esloveno
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

Oração do dia
Festividade do dia





Top 10
1
KOMUNIA NA RĘKĘ
Claudio de Castro
Padre chora copiosamente diante da falta de respeito com a Eucari...
2
Eucaristia
Reportagem local
Diocese afasta padre que convidou pastor para “concelebrar&...
3
OPERA SINGER
Cerith Gardiner
Cantora de ópera faz apresentação incomum e homenageia Maria e as...
4
PRAYER
Desde la Fe
Coisas que você não deve fazer na Missa e talvez não saiba
5
RECONSTRUCTED CHRIST
Lucandrea Massaro
Assim era Jesus: o misterioso Homem do Sudário, reconstruído em 3...
6
HOLY FAMILY
Philip Kosloski
A antiga oração a São José que é “conhecida por nunca ter falhado...
7
MEXICO
Pablo Cesio
México: homem chega à própria missa de corpo presente
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia