Aleteia
Quinta-feira 22 Outubro |
São Moderano
Atualidade

A tribo dos fantasmas

AFP PHOTO/MILLIYET DAILY HANDOUT/BUNYAMIN AYGUN

TANZANIA, UNITED REPUBLIC OF, Dar es Salaam : This image courtesy of the Milliyet Daily shows women carrying their albino children on May 5, 2014, in Dar es Salaam. The Tanzanian government has taken some steps in the wake of the killing spree, opening shelters for albino children in some parts of the country and commissioning task forces to investigate albino killings. Tanzanian President Jakaya Kikwete appointed the country's first albino member of parliament in 2008. Gauging the size of Tanzania's albino population is difficult, and estimates vary wildly. The government has undertaken a national survey of albinos but has not released its findings. Albino advocacy groups put the number somewhere above 100,000, out of a total population of roughly 48 million people. AFP PHOTO/MILLIYET DAILY HANDOUT/BUNYAMIN AYGUN

Chiara Santomiero - publicado em 02/06/14

O drama dos albinos da África: a doença é considerada uma maldição, e muitas crianças são torturadas e mortas

Na África, a chamada “tribo dos fantasmas”, sombras brancas não caminham, mas somem. É a história dramática dos albinos africanos, denunciada pelo arcebispo de Tabora, na Tanzânia, Dom Paul R. Ruzoka. Fala-se pouco do assunto, e a denúncia do bispo trouxe à tona uma tragédia esquecida.

O bispo usou palavras fortes: “É diabólico. O fato que um similar ‘holocausto’ se verifique nos anos da civilização, anos em que o homem chegou a muitos objetivos, faz com que a situação trágica, aos olhos dos ocidentais que não devem permitir tais sacrifícios (Il Sismografo, 27 de maio). Também o Papa Francisco nos meses passados quis que o drama dos albinos fosse discutido em um seminário de estudo da pontifícia Academia das Ciências, convidando a falar um funcionário da ONU, Cristiano Gentili, que escreveu um livro que denuncia a tragédia dos albinos. 

A situação é particularmente grave na Tanzânia, onde também o governo decidiu se ocupar. Segundo o Today.it (10 de maio), “o drama de quem pertence à ‘tribo dos fantasmas’ se tornou uma verdadeira emergência nacional, tanto que o governo quis criar abrigos específicos para centenas de crianças albinas e criou uma força tarefa para investigar os homicídios”. 

Na Tanzânia, a cada 1400 nascidos, um é albino. O albinismo é uma doença genética de origem cromossômica que impede a função da melatonina. São tantos porque, para se protegerem, se casam entre eles aumentando o número. Mas o racismo e a superstição, tornam-os verdadeiras presas. A pele deles é especial e o corpo vale uma fortuna. São assassinados e mutilados, às vezes mutilados ainda vivos, porque os feiticeiros acreditam que quanto mais fortes são os gritos de dor de um albino, mais têm valor as partes de seus corpos. Orelhas, narizes, línguas e genitais podem valer até 75 mil euros. A pele no mercado negro pode chegar a 7 mil euros, se for de uma criança. Alguns pensam que ter relações sexuais com um albino pode curar a AIDS, e isso muitas vezes se traduz em violências e estupros.

O bispo lembrou que, em 2007, foram registrados mais de 290 casos de crianças albinas brutalmente atacadas e vendidas a feiticeiros na Tanzânia e em outras partes da África: “Tradicionalmente o albinismo é considerado uma maldição ou um tabu na África – explica John Makumbe, professor albino de Ciência política da Universidade do Zimbábue e presidente da Zimbábue Albino Association (ZAA) -. Muitos crêem que ter um parente albino seja uma punição nas relações de família” (Il Sismografo, 27 de maio).

Até agora, algumas ONGs, nas quais a católica Cuamm (Colégio Universitário Assistentes Médicos Missionários), denunciou o drama dos albinos e se ocupa deles. Após as palavras do bispo de Tabora, também o governo da Tanzânia parece mover-se.

Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • A Aleteia é publicada em 8 idiomas: Português, Francês, Inglês, Árabe, Italiano, Espanhol, Polonês e Esloveno.
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

Tags:
ÁfricaDoençaMorteViolência
Oração do dia
Festividade do dia





Top 10
Aleteia Brasil
Quer dormir tranquilo? Reze esta oração da no...
CARLO ACUTIS
John Burger
Como foram os últimos dias de vida de Carlo A...
TRIGEMELAS
Esteban Pittaro
A imagem de Nossa Senhora que acompanhou uma ...
nuvens sinais
Reportagem local
Estão sendo fotografados "sinais do céu"?
Aleteia Brasil
O milagre que levou a casa da Virgem Maria de...
st charbel
Reportagem local
Por acaso não está acontecendo o que São Char...
Philip Kosloski
3 poderosos sacramentais para ter na sua casa
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia