Aleteia
Segunda-feira 26 Outubro |
São Fulco
Atualidade

6 coisas que você precisa saber sobre o Encontro pela Paz

Vincenzo Pinto/AFP

Carly Andrews - publicado em 10/06/14

Os esforços do Papa Francisco em prol da paz são religiosos e humanitários, não políticos

Quando o PapaFrancisco convidou os presidentes da Palestina e de Israel para irem até a sua casa e orar, ele disse: "Construir a paz é difícil, mas viver sem paz é um tormento constante".

Foi há apenas duas semanas, ao falar na Praça da Manjedoura de Belém. "Neste local do nascimento do Príncipe da Paz,eu gostaria de convidá-lo, presidente Mahmoud Abbas, juntamente com o presidente Shimon Peres, a se juntar a mim na oração de coração a Deus pelo dom da paz. Eu ofereço a minha casa no Vaticano como lugar para esse encontro de oração".

Existem 6 coisas que você precisa saber sobre este evento histórico:

1. Quem, o que, onde

O encontro, chamado oficialmente pela Santa Sé de "Invocação daPaz", aconteceu na Cidade do Vaticano neste domingo de Pentecostes.

O porta-voz da Santa Sé, Pe. Federico Lombardi, tinha declarado previamente, em comunicado divulgado na última sexta-feira, que Peres chegaria primeiro, às 18h15 (horário italiano), e Abbas, 15 minutos depois. Após receber cada um em particular na Casa Santa Marta, o Papa, juntamente com os dois presidentes e com o patriarca ecumênico Bartolomeu I, se dirigiu até um pátio triangular nos jardins do Vaticano, com vista para a Cúpula de São Pedro."É um local muito bonito", comentou Lombardi.

Sentado entre os dois presidentes, junto com o patriarca que chegou a Roma na vigília de Pentecostes, o Papa deu início ao momento de invocação da paz.

Após uma abertura musical, como havia explicado Lombardi, a invocação da paz foi feita por cada uma das três religiões, de acordo com a sua própria tradição. Seguiu-se a ordem cronológica do surgimento das três fés monoteístas: primeiro o judaísmo, depois o cristianismo e em seguida o islã.

A oração foi realizada em três momentos: de ação de graças pela criação, de pedido de perdão e de invocação da paz, com intervalos musicais apropriados entre cada momento.

Juntos, o PapaFrancisco e os dois presidentes invocaram a paz para a Terra Santa e, como gesto simbólico do desejo de paz, encerraram a parte pública do encontro plantando uma oliveira, acompanhados pelo patriarca Bartolomeu. Logo a seguir, os quatro protagonistas do evento histórico se reuniram privadamente para passar um tempo livre juntos e se despedir.

2. O contexto

O convite do Santo Padre foi feito em um momento particularmente pungente, com as negociações de paz entre Israel e a Palestina estancadas.

Em abril passado, Israel suspendeu as negociações de paz com a Palestina depois que as duas principais facções palestinas, Fatah e Hamas, assinaram um acordo de reconciliação.

Israel rejeitou toda forma de colaboração com o Hamas, considerado um grupo terrorista. "Peço a todos os responsáveis ​​da comunidade internacional que não reconheçam nenhum governo palestino do qual o Hamas faça parte ou que se apoie no Hamas", declarou o primeiro-ministro israelense, Benyamin Netanyahu. "O Hamas é uma organização terrorista que defende a destruição de Israel e a comunidade internacional não deve abraçá-la."

Um porta-voz do Fatah, porém, declarou que a Palestina prosseguiria com os seus "esforços para solidificar a unidade da nossa pátria e do nosso povo", apesar das "chantagens e ameaças" de Israel.

De fato, em 2 de junho, o novo governo de unidade nacional da Palestina foi empossado. Netanyahu comentou: "Hoje, Abu Mazen [Mahmoud Abbas] disse ‘sim’ ao terrorismo e ‘não’ à paz".

Os Estados Unidos tentaram fazer as negociações avançarem, mas o novo governo de unidade é um grande obstáculo na promoção do diálogo entre Israel e a Palestina.

Henrique Cymerman, o jornalista que trabalhou com o Santo Padre para marcar as reuniões entre os dois presidentes durante a viagem à Terra Santa, disse ao jornal espanhol “El Mundo” que "este é um dos momentos mais difíceis de que eu me lembro desde a Segunda Intifada. O processo de

  • 1
  • 2
Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • A Aleteia é publicada em 8 idiomas: Português, Francês, Inglês, Árabe, Italiano, Espanhol, Polonês e Esloveno.
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

Tags:
Papa FranciscoPaz
Oração do dia
Festividade do dia





Top 10
Philip Kosloski
3 poderosos sacramentais para ter na sua casa
Aleteia Brasil
Quer dormir tranquilo? Reze esta oração da no...
TRIGEMELAS
Esteban Pittaro
A imagem de Nossa Senhora que acompanhou uma ...
Papa Francisco
Francisco Vêneto
Papa Francisco e casais homossexuais: o que e...
Aleteia Brasil
O milagre que levou a casa da Virgem Maria de...
SAINT MICHAEL
Philip Kosloski
Oração a São Miguel por proteção contra inimi...
Rosário
Philip Kosloski
Benefícios do Rosário: 3 virtudes que aprende...
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia