Receba o boletim diário da Aleteia gratuitamente no seu email.
Alimente o seu espírito. Receba grátis os artigos da Aleteia toda manhã.
Inscreva-se

Sem condições de apoiar?

Veja 5 formas de você ajudar a Aleteia

  1. Reze por nossa equipe e pelo êxito de nossa missão
  2. Fale sobre a Aleteia em sua paróquia
  3. Compartilhe os artigos da Aleteia com seus amigos e familiares
  4. Desative o bloqueio de publicidade quando nos visitar
  5. Inscreva-se para receber nosso boletim gratuito e leia-nos diariamente

Obrigado!
Redação da Aleteia

Enviar

Aleteia

Por que Messi faz o sinal da cruz após cada gol?

© HO / OSSERVATORE ROMANO / AFP
Compartilhar

Conheça a história da capela dos jogadores argentinos e a fé da seleção de futebol dos “hermanos”

O astro do futebol mundial Diego Armando Maradona, para muitos o melhor jogador da história, é um personagem conhecido pelas suas polêmicas. Mas você sabia que, como técnico da seleção argentina, ele pediu que mantivessem abertas as portas da capela do prédio no qual o time treinava?
 
A maioria dos jogadores argentinos faz o sinal da cruz antes de entrar no campo. Lionel Messi, o jogador mais caro do planeta, por exemplo, o faz depois de cada gol.
 
Alguns consideram que os sinais de fé podem ser usados como amuletos no futebol, mas, na história recente da seleção argentina, uma capela pode esclarecer rapidamente a discussão.
 
Em uma entrevista ao jornal “La Nación”, o padre designado como assessor espiritual da seleção argentina recordou a história da capela São Francisco de Assis, situada no prédio que a AFA (Associação do Futebol Argentino) tem em Ezeiza, onde os jogadores treinam.
 
O sacerdote acompanhava a seleção desde 1997, quando, por indicação do arcebispo de Buenos Aires, a capela ficou à disposição da AFA, no marco da pastoral do futebol iniciada pelo cardeal Quarracino. Sua relação com os juniores sempre foi incentivada pelo então treinador José Pekerman.
 
Foi em 2001 que o time de juniores argentino, integrado por Maxi Rodríguez, pediu a construção do templo.
 
Muitos podem pensar que a imagem de Nossa Senhora do Luján, padroeira da Argentina, estaria na capela, mas não. No Campeonato Sul-Americano de 2007, no Paraguai, o time de juniores não conseguiu uma imagem a tempo, então acabou levando uma da Medalha Milagrosa.
 
O torneio era classificatório para o campeonato mundial da categoria e para os jogos olímpicos de Pequim 2008, e a Argentina ganhou ambos. Como o empate não servia, no intervalo a equipe rezou a Nossa Senhora. O gol veio no segundo minuto do acréscimo. Por isso, esta advocação ganhou um lugar no altar.
 
Mas a capela tem um local especial para Nossa Senhora do Luján também, que foi construído a pedido de Carlos Bilardo, treinador da seleção campeã do mundo em 1986.
 
Mas Pekerman não foi o único a deixar uma pegada “religiosa” na seleção. Maradona, treinador da seleção de 2010, foi quem mandou abrirem permanentemente as portas da capela.
 
“Diego frequentava muito a capela; era o técnico que mais vinha. Em duas ocasiões, ele quis entrar e a encontrou fechada. Fervorosamente, pediu que se mantivesse aberta. Foi graças a Maradona que agora ela fica sempre aberta”, contou o padre a “La Nación”.
 
Mas por que Messi faz o sinal da cruz após cada gol? Tomara que algum jornalista lhe pergunte isso. A verdade é que, como o Pe. Medina contou nesta entrevista, “Lionel frequenta a capela. Todos frequentam a capela, na verdade”.
 
Recentemente, Dilma Roussef pediu ao Papa Francisco que, ao rezar pela vitória argentina, tentasse ser “neutro”. Mas parece que, em uma capela longe do Vaticano, os jogadores argentinos já estão fazendo sua parte.
Boletim
Receba Aleteia todo dia