Aleteia logoAleteia logo
Aleteia
Sexta-feira 22 Outubro |
Aleteia logo
home iconAtualidade
line break icon

A tragédia católica de Quebec

Karla Lopez

David Carlin - Aleteia Vaticano - publicado em 14/06/14

Como a província canadense que já foi sinônimo de catolicismo subverteu seus valores até aprovar a eutanásia

Quem se lembra dos tempos em que a província de Quebec era considerada um dos lugares mais católicos do mundo todo?

A província canadense abundava em famílias numerosas (os quebequenses não eram grandes fãs da contracepção) e produzia um número de padres e freiras tão alto a ponto de muitos não serem “necessários” localmente e acabarem “exportados” para a província da Nova Inglaterra, para onde os trabalhadores de Quebec migravam a fim de trabalhar nas fábricas e escapar da então tradicional pobreza da sua terra natal. Aqueles padres e freiras passavam a cuidar das paróquias e escolas paroquiais francófonas da Nova Inglaterra e, graças em grande parte a eles, os imigrantes quebequenses e seus descendentes mantinham não só a fé católica, mas a língua francesa e muito da cultura de Quebec.

Durante muito tempo, Quebec e seus filhos dispersos se mantiveram solidamente católicos, a ponto de ser impossível pensar em Quebec sem pensar no catolicismo.

Recentemente, porém, a outrora católica província canadense aprovou por lei a eutanásia.

Não se trata do chamado "suicídio medicamente assistido", tal como nas como leis que estão em vigor nos Estados norte-americanos de Oregon e Washington. Esses Estados permitem que os médicos, em certas circunstâncias, apliquem uma dose letal nas pessoas que desejam morrer. Mas é o próprio paciente/vítima quem tem que realizar o procedimento suicida: o médico pode prescrever a dose, mas não administrá-la. São, portanto, legislações de suicídio, não de eutanásia, embora seja preciso reconhecer que o suicídio em questão está apenas a um ou dois passos da eutanásia propriamente dita.

Pois bem, Quebec deu estes passos.

A lei da eutanásia foi promulgada em 5 de junho pela Assembleia Nacional de Quebec (que é, na verdade, uma assembleia provincial como as demais assembleias legislativas das províncias canadenses; o termo “nacional” se deve à tese que considera Quebec uma nação distinta dentro da Confederação Canadense, ideia defendida pelos separatistas que pretendem desmembrar a província e torná-la um país independente). A nova lei permite que, em determinadas circunstâncias, os médicos não só prescrevam, mas administrem a dose letal.

Essa legislação de Quebec, aliás, não chama o procedimento de eutanásia. Chama de "ajuda médica ao morrer". É um eufemismo do eufemismo, dado que "eutanásia" significa “boa morte”, o que já é um eufemismo para o ato de "assassinar quem está velho e doente". Se as pessoas sentem a necessidade de acumular eufemismo sobre eufemismo, elas devem perceber que o que estão fazendo, objetivamente, não é coisa boa.

Mas, voltando a Quebec: como e por que esta mudança tão grande? Como foi que um dos lugares mais católicos do mundo se tornou tão não-católico a ponto de legalizar o assassinato? A longa história não é facilmente narrável por alguém que, como eu, não é canadense nem quebequense. Mas vou tentar contá-la.

Poderíamos começar em 1759, quando os ingleses derrotaram os franceses na Batalha de Quebec e assumiram o controle do território que, até então, tinha sido chamado de Nova França. Mas pulemos uns 200 anos. Nas décadas posteriores à Segunda Guerra Mundial, uma "revolução silenciosa" foi acontecendo em Quebec. A província, relativamente pobre, se tornou depressa um lugar mais modernizado, mais industrializado, mais próspero e mais laico. O nacionalismo de Quebec, florescido desde 1759, sempre tinha se identificado, quase inseparavelmente, com o catolicismo de Quebec.

Começou, porém, uma bifurcação: o nacionalismo quebequense foi se separando do catolicismo e se tornando um nacionalismo cada vez mais laico. E já que todo nacionalismo laico é um rival quase “religioso” da religião tradicional, o nacionalismo laico de Quebec se tornou rival do catolicismo ao longo dos últimos 50 ou 60 anos, crescendo em força enquanto o catolicismo quebequense ia se enfraquecendo. Além disso, em termos gerais, é de se observar que em praticamente todos os países modernizados, secularizados e prósperos do antigo mundo cristão o catolicismo está em acentuado declínio.

  • 1
  • 2
Tags:
AbortoEutanásia
Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • Aleteia é publicada diariamente em sete idiomas: inglês, francês,  italiano, espanhol, português, polonês e esloveno
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

Top 10
1
VENEZUELA
Ramón Antonio Pérez
Quando a vida surge do abuso atroz a uma jovem deficiente
2
Reportagem local
A bela lição que este menino deu a todos ao se aproximar do Papa
3
Casal brasileiro com 8 filhos espera gêmeos
Francisco Vêneto
Jovem casal brasileiro com 8 filhos espera gêmeos: “cada um vale ...
4
Pe. Zezinho
Reportagem local
Pe. Zezinho faz alerta sobre orações de cura e libertação
5
Carlo Acutis
Gelsomino Del Guercio
“Ele fechou os olhos sorrindo”: foi assim que Carlo Acutis morreu
6
São José
Francisco Vêneto
Padre irmão de piloto de avião partido em dois: “São José tem mui...
7
morning
Philip Kosloski
Uma oração da manhã fácil de memorizar
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia