Aleteia logoAleteia logo
Aleteia
Quinta-feira 06 Maio |
Bem-aventurada Anna Rosa Gattorno
home iconAtualidade
line break icon

A Copa do Mundo é nossa? (Parte 1)

César Nebot - publicado em 19/06/14

Documentário dinamarquês sobre o preço social e humano da Copa do Mundo no Brasil

Uma família muito humilde que morava em uma favela recebeu uma inesperada e surpreendente notícia. O pai havia atendido a ligação de um importante homem de negócios: “Dentro de três dias, jantaremos em sua casa”. Um grupo de poderosos empresários internacionais desejava visitá-los. O pai foi passando, pouco a pouco, do estupor ao entusiasmo.

“Não é todo dia que temos uma oportunidade como esta”, repetia para si mesmo. Talvez conseguisse um emprego que lhe permitisse ganhar o suficiente para alimentar seus cinco filhos, que lhe tirasse da miséria e lhe oferecesse um futuro – não só o seu futuro, mas o dos seus filhos. Talvez a Providência estivesse enviando um sinal para resgatá-lo do poço em que se encontrava. “Para que perguntar-se o porquê?”, pensava a esposa – afinal de contas, o importante era como esta oportunidade mudaria suas vidas.

O casal começou a pensar em como deixariam seu barraco mais decente. Toda a família participou. Não lhes restava muito tempo, mas tudo o que pudesse ser feito seria bom. Comprariam uma televisão, sim. Tinham um aparelho velho, meio quebrado, indigno demais para receber tão ilustres visitantes. Pediram emprestado um sofá e uma cortina. Proibiram os filhos de sentar-se no sofá, para não estragá-lo, já que estava destinado a pessoas importantes.

Chegado o dia, estiveram preparando o jantar com os melhores pratos que conheciam e podiam comprar. Finalmente, chegou a hora. O encontro tão esperado.

Vários veículos de luxo estacionaram na frente da sua humilde casa. Desviando-se do barro da rua, os magnatas começaram a entrar. A família estava toda em pé para recebê-los, com olhos cheios de esperança. Mas ninguém sequer lhes dirigiu o olhar. Entraram e se sentaram à mesa, sem cumprimentá-los.

A mãe, solícita, ofereceu-lhes o jantar, enquanto as crianças iam pegando os humildes pratos e a bebida. Os visitantes recusaram o jantar, pois estavam concentrados demais na negociação. O que se cozinhava ali não eram alimentos, mas um grande negócio, porque nenhum dos magnatas tirava os olhos dos documentos. O jantar esfriou e nem o experimentaram.

Ao acabar, sentaram-se no sofá para ver uma partida de futebol na televisão. Comemoraram o gol do seu time, que lhes deu a vitória do campeonato, e foram embora sem quase nem se despedir. Antes de entrar no carro, um deles agradeceu ao pai de família, que não conseguia sequer formular uma frase.

O filho melhor, de apenas três anos, perguntou a um dos visitantes: “Senhor, gostou da cortina?”. O homem olhou para o menino com indiferença e lhe perguntou: “O quê? Quem é você? Que cortina?”. Olhou para seu relógio e nem esperou a resposta. Entrou no carro e desapareceu. O filho mais velho saiu de casa gritando: “Um dólar no sofá! Deve ter caído do seu bolso!”.

* * *

Começou a Copa do Mundo 2014, no Brasil. A mídia nos inunda com notícias deste grande evento global. Há vários jogos diariamente. Debates televisivos sobre a atuação dos jogadores. Os fãs de futebol acompanham com atenção os resultados.

No entanto, entre uma notícia e outra, aparece a dura realidade socioeconômica do país. O Brasil é um vulcão de descontentamento social, em meio a greves e manifestações. Tal descontentamento se torna mais clamoroso diante do desembolso de 16,5 milhões de dólares dos cofres públicos para investimentos em obras da Copa.

Segundo estatísticas da ONU, o Brasil ostenta o 123º lugar de um total de 135 países no ranking mundial de igualdade econômica. A desigualdade do Brasil alcança um índice de Gini de 54,7%, vinte pontos a mais que os países da Zona Euro, Grécia e Espanha, com 34%.

  • 1
  • 2
Tags:
BrasilEsporte
Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • Aleteia é publicada diariamente em sete idiomas: inglês, francês,  italiano, espanhol, português, polonês e esloveno
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

Oração do dia
Festividade do dia





Top 10
1
Sangue de São Januário ou San Gennaro
Francisco Vêneto
Milagre do sangue de São Januário volta a ocorrer em Nápoles
2
Mãe de Toda a Ásia, no Monte Maria, é a maior estátua de Maria do mundo
Reportagem local
Maior estátua de Maria do mundo é inaugurada e marca sinal de esp...
3
Creche
Reportagem local
URGENTE – Jovem com facão invade creche e mata crianças e p...
4
Pe. Charles Pope
O demônio diante da Eucaristia
5
Papa Francisco reza o terço
Reportagem local
Maratona de 30 dias de oração, convocada pelo Papa, começa neste ...
6
Aleteia Brasil
5 milagres que a ciência tentou, mas nunca conseguiu explicar
7
Monsenhor Jonas Abib, fundador da Canção Nova
Reportagem local
Fundador da Canção Nova, monsenhor Jonas Abib é diagnosticado com...
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia