Aleteia
Sábado 24 Outubro |
São Maglório
Atualidade

Primeira sessão do Parlamento iraquiano termina em caos

<p>A reunião foi marcada por trocas de acusações entre curdos e sunitas contra o governo do primeiro-ministro xiita, Nuri al-Maliki</p>

AFP - publicado em 01/07/14

O caos reinava durante a sessão, ilustrando as profundas divisões que minam o Iraque

O Parlamento iraquiano teve nesta terça-feira sua primeira sessão em meio a uma desordem generalizada, depois de não conseguir iniciar o processo de formação de um governo, essencial para acabar com a ofensiva jihadista que ameaça o país.

A reunião foi marcada por trocas de acusações de curdos e sunitas contra o governo do primeiro-ministro xiita Nuri al-Maliki, presente na sala. Maliki tem cada vez menos chances de concorrer a um terceiro mandato diante do avanço dos insurgentes liderados pelos jihadistas do Estado Islâmico (EI) e o fracasso de seu Exército.

A Constituição estabelece que os deputados devem eleger no primeiro dia de sessão o chefe do Parlamento, o primeiro passo no processo de formação de um governo.

O caos reinava durante a sessão, ilustrando as profundas divisões que minam o Iraque, no momento em que a unidade das diferentes comunidades e religiões é mais importante do que nunca para evitar um colapso do país.

As últimas declarações do presidente da região autônoma do Curdistão iraquiano, Massud Barzani, também acentuaram os receios de uma divisão, tendo este anunciado a organização de um referendo sobre a independência da região curda nos próximos meses.

‘Vamos esmagar suas cabeças’

Durante a sessão, a parlamentar curda Najiba Najib exigiu que o governo de Maliki transfira os recursos devidos ao Curdistão.

Kazem al-Sayadi, um deputado do bloco de Maliki, respondeu: "Massud Barzani é um traidor e um agente. Quer exportar petróleo para Israel. Vamos esmagar suas cabeças e vamos mostrar o que vamos fazer depois de a crise terminar".

Os deputados sunitas saíram da sala quando o Estado Islâmico foi mencionado. A situação tornou-se caótica e a reunião foi encerrada.

O enviado da ONU Nickolay Mladenov denunciou a atitude dos parlamentares, afirmando que "os políticos no Iraque deveriam compreender que o país não está vivendo uma situação normal".

Apelando pela eleição do presidente do Parlamento na próxima sessão, prevista para 8 de julho, Mladenov afirmou que "todo atraso em relação ao prazo fixado pela Consituição acontecerá em detrimento da integridado do país".

Depois da eleição do presidente do Parlamento, os deputados elegerão um presidente da República.

Caberá a este último escolher o candidato do bloco parlamentar que venceu a votação para formar um governo, no caso o de Maliki. Mas, de acordo com um diplomata ocidental, mesmo dentro de sua coalizão xiita, discute-se a possibilidade de substituí-lo após dois mandatos consecutivos.

Enfraquecido pelo fracasso de seu Exército frente a ofensiva dos insurgentes, Maliki, no poder desde 2006, é acusado há meses por seus detratores de concentrar o poder e de conduzir uma política de discriminação contra os sunitas.

Dessa forma, mesmo que as regiões de maioria sunita não tenham recebido de braços abertos os insurgentes, também não têm dado apoio ao Exército, incapaz de conter o avanço dos jihadistas nos primeiros dias da ofensiva lançada em 9 de junho.

Nesta terça-feira, depois de o EI proclamar no domingo um "califado" nos territórios conquistados entre a cidade de Aleppo (norte da Síria) e a província de Diyala (leste iraquiano), os jihadistas assumiram o controle de Albu Kamal, importante cidade síria na fronteira com o Iraque, depois de três dias de confrontos contra combatentes rivais.

"O Estado Islâmico tomou o controle de Albu Kamal na (província rica em petróleo de) Deir Ezzor, depois de violentos confrontos contra rebeldes apoiados pela Frente Al-Nusra, filiada à Al-Qaeda", segundo o Observatório Sírio dos Direitos Humanos.

Omar Abu Leyla, porta-voz dos rebeldes da província de Deir Ezzor, declarou à AFP que "a luta foi feroz… mas o EI venceu essa partida", após receber reforços do Iraque.

  • 1
  • 2
Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • A Aleteia é publicada em 8 idiomas: Português, Francês, Inglês, Árabe, Italiano, Espanhol, Polonês e Esloveno.
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

Tags:
Mundo
Oração do dia
Festividade do dia





Top 10
Philip Kosloski
3 poderosos sacramentais para ter na sua casa
TRIGEMELAS
Esteban Pittaro
A imagem de Nossa Senhora que acompanhou uma ...
Aleteia Brasil
Quer dormir tranquilo? Reze esta oração da no...
Aleteia Brasil
O milagre que levou a casa da Virgem Maria de...
SAINT MICHAEL
Philip Kosloski
Oração a São Miguel por proteção contra inimi...
Rosário
Philip Kosloski
Benefícios do Rosário: 3 virtudes que aprende...
Papa Pedro João Paulo II Bento XVI Francisco
Reportagem local
Pedro, João Paulo, Bento e Francisco: 4 Papas...
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia